terça-feira, 6 de setembro de 2016

TRAIÇÃO (5)

No post de hoje,trago mais um conto sobre traição.Wan trai o marido com um amigo.É possível ter amizade assim,entre sexos diferentes,sem a tentação de transar ?

CASADA E FELIZ
Conto de Wan.

Escrever um relato desses talvez só me faça bem, assim sendo, achei melhor escrever e deixar que saíssem os demônios do passado. O que aconteceu tem exatos 4 anos no mês de junho. Eu havia conhecido um cara, detalhe sou casada e naquela época estava quase que em Lua de Mel, bem conheci um cara maravilhoso. Alegre, bem humorado, viajado, bem sucedido, cabeça, muito cabeça. Ele também era casado. Inicialmente pensei que teríamos apenas uma amizade. Eu estava recém casada e ele casado. Mas as minha amigas, sempre falavam das aventuras sexuais dele.

Inicialmente fiquei meio chateada. Achava que a minha amizade era uma coisa legal, e vi que ele era mais que amigo de uma série de mulheres. Bem as aventuras sexuais, se por um lado me davam uma certa raiva, nojo de um comportamento galinha e promíscuo, não posso negar que me deixavam um pouco enciumada e até mesmo, excitada. Algumas falavam que ele era um animal na cama, que tinha um pênis gigantesco, que falava palavrão, que dava tapa, que tratava a gente como vagabunda na cama. E eu pensava, ele tem cara de safado, mas tem uma cara de bom garoto. Olhos azuis, forte, inteligente. Não combinava com o ogro que era descrito.

Bem, de tanto ouvir, acabei prestando mais atenção nele. Eu não me excitava com a possibilidade de ir pra cama com ele, mas achava divertido. Eu ficava ofegante sempre que o via. Ficava com vontade de fazer perguntas mais quentes, mas no fundo nossa amizade impedia.

Um dia de tarde estava almoçando com algumas amigas, e eis que uma comenta que havia estado com o meu amigo na cama na noite anterior. Falou que era um absurdo de bom, que o único inconveniente é que o pênis dele era imenso demais. Vindo de uma amiga muito saidinha, quase galinha, a mesa inteira perguntou, “é grande assim?” fazendo vários gestos com a mão. Ela apenas comentava que é uma coisa colossalmente grande. Todas ficaram extremamente curiosas, não era excitação, era curiosidade.

Acabando o almoço, fui pagar o estacionamento do shopping e quem eu encontro, de terno e gravata? Meu amigo que havia sido o alvo dos comentários. Ele vem até mim. Não sei por que, mas falei, “Aí você anda muito falado nas rodas femininas” Ele desconversou e me deu um beijo, eu por culpa de duas caipirinhas de saquê com morango, falei no ouvido dele “Falaram que seu pau é do tamanho de um braço, fiquei curiosa.” Ele, se assustou. E respondeu no meu ouvido :”Mentira, é pequenininho, você precisa ver”. E riu, saindo e me deixando no vácuo.

Aquilo foi à senha. Esqueci que tanto eu quanto ele éramos casados e dei uma corrida. Segurei ele e falei, agora eu quero ver. Ele só me olhou, não falou absolutamente nada. Me pegou pelo braço e deu a entender para eu segui-lo. Ele foi direto para o estacionamento VIP. Ainda sem falar nada. Minha respiração ofegante. Ele mexia nas minhas costas. Na minha nuca, mas não falava nada. Eu estava sem graça, estava zonza. Não sabia o que estava fazendo. O resultado, assim que entrei no carro dele, ele me deu um beijo de arrancar a minha alma. Nunca nenhum homem havia me beijado com aquela vontade. Pegou o carro e fomos direto para um motel.

Em lá chegando, ele me agarrou, nem deixou que eu subisse e começou a me agarrar ainda na escada do motel. Ali eu vi, pela primeira vez um homem com um pênis super dotado. Detalhe meu marido é muito bem servido neste ponto e bem acima da média, mas o deste meu amigo, era uma coisa realmente de assustar. Ele me agarrava, me pressionava contra a parede, metia de leve. Eu pedia me fode, aí ele me estocou com força, vi estrelas, mas a esta altura estava louca. E ele metia, me colocou deitada na cama agarrava minha bunda e fez o melhor papai com mamãe que eu já fiz. Me comia com vontade, me dava tapa na cara, na bunda, me chamava de puta, de piranha, coisas que , sem moralismo, até aquele momento eu nunca havia feito. Vim por cima, o pau dele não cabia todo em mim.

Era uma coisa enorme, grossa, mas deliciosa por tudo em volta e o que acontecia. Era praticamente do tamanho de minha coxa. Um dia relatando com amigas, posso garantir que tinha mais de 25 cm. Era uma coisa que não parecia humano. Transamos por 3 horas sem nos falarmos direito. Engraçado até irmos para cama era o homem que eu mais falava e ali, tudo o que eu queria era sexo, era vontade, era tapa, era o pau grande dele, era o beijo. Nem vi a hora passar. Fiquei assustada. Estava vermelha no rosto, medo que ficasse marcado. No rosto ele não me marcou, mas minha cintura, minha coxa e minha bunda estavam irremediavelmente marcadas e eu iria dar um jeito de tentar me explicar ao meu marido.

Claro que sempre existe castigo, naquela noite meu marido chegou com um presente, um ursinho e um brinco de presente. Me senti culpada e jurei nunca mais ver este meu amigo. Que me deu a melhor transa da minha vida. Depois dele apimentei minha relação, coloquei meu marido mais pra cima.

Mas no dia, eu em senti culpada, uma puta. E quando meu marido metia, eu sentia falta do pênis do meu amigo bem dotado, assim eu acabei me soltando mais e meu marido disse que foi nossa melhor transa. Na verdade eu pulava, me mexia mais para sentir. Berrava me fode, me come com vontade, bate na minha bunda. Parecia que eu estava incorporada. Estava com a xoxota um pouco esfolada pela camisinha e por um pau enorme, mas acabei dando ao meu marido uma noite inesquecível.

E eu me sentindo uma puta e culpada, mas me sentindo mulher, amada e bem comida sabia que era uma nova fase da minha vida. Sobre o meu amigo, ele continua casado. Evito ve-lo, mas agora eu consigo ve-lo, deseja-lo e saber que não deve rolar nada.

Nos falamos por mensagem,pela rede social,mas evito o contato. Ele me deixa com a respiração ofegante de falar no telefone. Mas com certeza foi o cara que me desvirginou de verdade, tirou a virgindade da minha alma. Me ensinou em poucas horas a ser mulher. Eu agradeço, meu marido agradece. Sou feliz, sou mulher e foi à única infidelidade em todo meu casamento. E valeu a pena.(http://erotismoemletras.blogspot.com/ )

 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Conte sua fantasia