sexta-feira, 21 de agosto de 2015

CIO




Eu estava com muito tesão. Acordei no meio da noite suada e com vontade. Fui para a hidromassagem, levando os meus brinquedinhos do amor. Meu banheiro é espaçoso e com espelhos grandes por todos os lados. Num streptease sensual observei: minhas curvas generosas, meus seios grandes e empinados, minhas pernas grossas, meus pés com unhas bem cuidadas, meu rosto anguloso, meus olhos azuis ardentes e minha boca entreaberta.

Comecei a passar as mãos de unhas longas pelo meu ventre até o púbis, notei que alguns pêlos já estavam brotando, tinha feito depilação há apenas três dias. Peguei um barbeador e sentei na beirada da banheira. Passei a loção espuma no meu sexo e fiquei excitada com o toque no clitóris. A lâmina deslizou pela pele bronzeada causando-me um arrepio, decidi ficar carequinha. Quando terminei, o aparelho estava coberto de pêlos, espuma e baba que escorria da minha vagina excitada. Entrei na banheira.

A sensação massageadora da água na minha buceta lisinha, fêz-me gemer baixinho, desejando uma língua para me levar ao paraíso. Fiquei de costas abrindo as pernas e toquei meus lábios vaginais. Esfreguei de leve e depois com ardor. Lambi os bicos dos seios, tentando mordê-los. Meti dois dedos na minha grutinha melada enquanto com a outra mão batia no grelo. Já gozei várias vezes assim, só batendo, dá um tesão danado. Quanto mais eu batia, ficava mais excitada. A abertura da vagina ia ficando cada vez mais larga e rosada. Não pensava em ninguém e ao mesmo tempo em todas as mulheres e todos os homens que já havia trepado. Fui ficando impaciente com o corpo pedindo gozo e ao mesmo tempo querendo prolongar a sensação gostosa anterior ao prazer.

A masturbação silenciosa foi dando lugar a gemidos, e soluços entrecortados por palavras. - Quer gozar, quer? Falava olhando pro espelho e imaginando alguém ali. Levantei e fiquei de cócoras de frente pro espelho. De vários ângulos, senti um tesão absurdo vendo a buceta dilatada e com o grelinho duro, estiquei os babadinhos até dobrar de tamanho e bati de novo bem em cima. Gritei de dor. Senti vontade de roçar em outra mulher, de sentir-me sugada e penetrada por um homem gostoso e forte. Gemi procurando uma posição melhor.

Prendi um pênis, grosso e curto na borda da banheira e senti os músculos internos darem passagem, encaixei meu sexo ali. Liguei o vibrador e o membro de silicone começou a mexer gostoso dentro de mim. Mudei de posição. Impaciente, sentei numa cadeira levando o membro engatado em mim. Imaginei um homem da boca gostosa e de língua grande chupando meu grelo que já estava enorme. - Ai, que tesão! - Vem amor, come meu cuzinho! Queria agora dois machos, me amando. Peguei um membro pequeno e meti no meu rabo que estava pegando fogo.

Na minha gretinha chorosa um cacete de 22 cm, com vibrador em forma de joaninha na parte de cima, as duas patinhas prendem o grelo e a sensação é êxtase puro. Fechei os olhos. Aumentei a velocidade das vibrações e meu cú deu várias piscadas, expulsando o consolo pra longe. Eu já estava gozando e dei um gemido infeliz. Imediatamente, substitui por dois dedos.

Esfreguei as patinhas da joaninha no meu clit, enquanto aumentava a velocidade do vibrador, gozei imediatamente. Foi um prazer solitário, mas intenso e arrebatador, gritei explodindo toda a tensão interna, em lavas quentes que saiam de dentro de mim, acalmando minhas entranhas. Estremeci mais uma vez, enquanto tirava o membro lambuzado de meu prazer.

Acariciei a bucetinha dengosa, passando os dedos em cima do grelinho sentindo os últimos espasmos. Tomei um banho relaxante e voltei pra minha cama saciada parcialmente, pois sentia necessidade de um corpo quente e firme invadindo-me de todas as maneiras.

Desci minha mão até a minha buceta e comecei a me masturbar me imaginando naquela situação. Eu enfiava o dedo na minha buceta um pouco e depois massageava o meu clitóris imaginando que ele estava sendo chupadinho. Pra completar, comecei a alternar enfiando outro dedo no meu cu. Comecei a gemer feito uma cadela, repitindo aquele círculo gostoso: dedo na buceta, massagem no clitóris e dedo no cu. Fiquei maluca imaginando meu homem fazendo aquilo comigo, que gozei mais rápido do que eu queria, gritando e me contorcendo no sofá feito uma cadela.

 

sábado, 15 de agosto de 2015

reblogando do blog da Baronesa ..brincando de prostituta

Uma tarde qualquer com Sandra: Brincando de Prostituta.

"Eu me identifico muito com a Baronesa numa coisa. Eu gosto de trair. Mas acabo contando a maioria das traições ao meu noivo, que cada dia gosta mais das minhas putarias. Por isso amo esse site da Baronesa.

Ele cuida do apartamento de um amigo dele, que foi aquele primeiro com quem a gente realizou uma fantasia. Esse apartamento fica no centro de Porto Alegre, e um dia ele me sugeriu que fizesse algo lá com alguém, já que esse amigo fica 20 dias por mês em outro estado. Eu topei.
As primeiras experiências foram estranhas, mas teve um dia que acabei agendando vários encontros no mesmo dia. Meu noivo ajudou a organizar, mas até o último momento ele não acreditou que eu ia topar até o fim.

O primeiro homem que chegou era um rapaz, meio estranho, feio. Um pau médio. O trato era apenas se masturbar no meu corpo. Ele escolhei peitos e rosto, pois se apaixonou pelos meus seios. Combinamos 80 reais, pois seria rápido, mas acabei deixando ele me passar a mão no corpo todo, e quase enfiar o pênis na minha boca. Gozou muito, me melecou inteira, e dava risada de mim. Se limpou, deixou mais 20 reais além do combinado, cumprimentou meu noivo, que assistia paralisado a cena, e foi embora.

Meu noivo não acreditava no que viu. Eu mantive a postura, tomei um banho, e voltei pra sala, olhando pra ele com cara de indiferente, e perguntei: Próximo?

Ele mexeu um pouco no whatsapp, e me avisou pra ficar pronta. Pois agora era um grupo de homens. E era mesmo. Tocou o interfone, e subiram seis. Homens comuns. Uns meio gordos, dois muito bonitos, mas todos educados e discretos aparentemente. 
O trato era camisinha o tempo todo, e isso a gente não abriria mão de jeito nenhum. E seria sempre de um em um, e fiquei de quatro no sofá. Todos, um a um, vieram por trás, e me comeram por apenas alguns minutos cada um. Eles terminavam, e colocavam uma nota de 50 reais na minha frente em cima do sofá, conforme combinaram com meu noivo. O que demorou mais foi por uns 10 minutos, e me fez gozar. Quando o último terminou, os outros batendo papo, o primeiro perguntou pro meu noivo se dava pra “meter um pouco na bunda da putinha”. Meu noivo fez um gesto meio assim, e disse que sairia mais caro. “Pelo menos mais 20 reais”. Pensei “que filho da puta! Pq não dá o rabo dele por 20 reais?” rsrs

Três deles vieram de novo, e fizeram anal em mim por mais uns instantes. Quanto terminaram, meu noivo foi o último, e como era o único sem camisinha, entrou fácil, quase nem senti, nem precisou lubrificante, eu tava cheia de lubrificante dos outros. Gozou em 5 minutos, urrando. Outro deles se animou, e queria também, mas meu noivo disse que agora não, pois depois que ele comia, ninguém mais comia. Ele tinha que ser o último. Eu amei a resposta dele, foi tão amorosa!

Depois que foram embora, o último agendado era um rapazinho de “...” que foi com o irmão mais velho, pra perder a virgindade. Eu, que tava cansada, gostei muito da ideia, até me reanimei! E fizemos, bem simples, vaginal. O menino até que foi bem, meio sem jeito, mas gostou! Antes de ir embora, dei uma chupada de presente no irmão mais velho, pois foram muito generosos comigo. Isso foi bom, pois esse garoto se tornou um grande parceiro, de vez em quando traz grupos de amigos pra se divertirem comigo e tomarem cerveja no apartamento do amigo do meu noivo.

Fico com pena do meu noivinho, que tem que limpar tudo depois, pro amigo não desconfiar. Mas ele fica todo feliz, adora a experiência.

No próximo relato que eu farei com mais tempo, tem uma outra tarde que passamos lá, em que recebi um homem que queria apenas se masturbar e ser chupado olhando fotos de um pessoa específica no computador, um outro que propôs levar um cachorro e levou, e outro que pediu gosta de levar lingeries da filha dele pra transar mexendo nelas
Eu adoro o que estou vivendo, sabe Baronesa! Eu posso não ser perfeita, a mais linda das mulheres. Mas sou uma mulher bonita e jovem, 23 anos, tenho porte elegante, sou culta e educada. E gosto de estar diante de homens estranhos sendo tratada sem respeito algum no sentido sexual. Gosto da sensação de estar sendo abusada, de ser só um brinquedo sexual descartável, que você paga, pega, usa, goza, e descarta. Amo! E fico feliz de ter um parceiro que viaja comigo nessa loucura gostosa! Brincando de prostituta!
Beijos! "
Sandra (Porto Alegre/RS – embuscadealgomais@hotmail.com  )