segunda-feira, 8 de outubro de 2012

ELAS E ELE

conto de Beattrice

138082 Olhou no relógio, passava das 21h, uma hora antes do combinado. A porta entreaberta parecia um convite.

Ok! Havia um acordo de jamais interferir nos relacionamentos dela, ou ela nos relacionamentos dele a menos que ambos tivessem optado por isso, mas… Não havia nenhuma restrição quanto observá-la. Apenas teria que fazê-lo discretamente e com certeza ela não se incomodaria com isso.

Do lado de fora, pela fresta da porta, ele pôde ver seus pés pendendo da cama. Aqueles pés que salivava ao lembrar dela esfregando-o em sua face. Ouvia os sorrisos, os sussurros… Ela estava com uma menina.

O som daquela intimidade acontecendo fazia sua mente voar. Afinal, daquele ponto sua visão da cena era péssima, no entanto, quem diz que a mente é a principal zona erógena do ser humano, está completamente certo. Cada gemido da companheira dela, cada barulho do roçar dos corpos, do farfalhar dos lençóis, o excitava mais e mais.

Precisou liberar o pau para melhor masturbar-se, sentou no chão, recostou-se à parede, estava teso e totalmente melado. Imaginá-las ali se pegando, é óbvio que atiçava seu desejo de saciá-las com sua pica, a vontade de pegá-las de jeito e mostrar que duas bucetas até se roçam, mas um pau é que preenche com vontade, mas… A conhecia bem demais para saber que o prazer dela com uma mulher era completamente diferente do prazer que sentia com ele.

Certa vez, para atiçá-lo durante uma viagem dele, ela fez sexo com uma amiga diante da webcam ligada, em tempo real, só para ele ver. A simples lembrança o enlouquecia, morria de tesão ao ver aquela boca que com tanta vontade abocanhava e mamava seu pau, matando a sede na buceta depilada da amiga,que gemia e rebolava de prazer. No entanto, nada se compara ao que estava acontecendo ali, diante dos seus olhos, bem pertinho. E o melhor, furtivamente, escondido, o proibido tem sabor de quero mais…

Se masturbava freneticamente de olhos fechados, concentrando-se nos sons que elas emitiam, quando não aguentou e gozou! Gemeu alto, o som do seu gozo ecoou pelo apartamento em silêncio e, é claro que chamou a atenção dela, que se aproximou com as mãos na cintura e olhar reprovador.

Ainda em êxtase, sorriu, tendo sido pego em flagrante. E ela também sorriu em retribuição. “Olha, temos platéia, venha ver!”, disse alto e a amiga se aproximou, coberta com o lençol.

Imediatamente viu que não era a mesma da web cam, o que o deixou com mais tesão.  Impossível não perceber que esta era bastante jovem. Cabelos vermelhos, tipo mignon, tatuagens, piergings… Um visual bastante alternativo. Como podia aquela mulher tão discreta seduzir tantas e tão diferentes pessoas? Ele, principalmente.

Ela lhe estendeu a mão, e sem dizer nada o conduziu ao quarto. Mudamente o despiu, dando cada peça que tirava para a menina tatuada, que dobrava as peças com cuidado e pousava sobre a cômoda. Intencionalmente, a gravata foi a última peça a ser tirada, e por ela ele foi puxado e conduzido até uma cadeira que tinha no quarto. A mesma cadeira que ela adorava sentar em seu colo para que ele comesse o seu cu.

Ela o fez sentar tirou a gravata e amarrou suas mãos para trás. Era curiosa a sua calma, enquanto ele respirava ofegante, o pau endurecendo mais uma vez, enquanto a menina observava.

Aqueles seios fartos, nus, a centímetros de sua face, eventualmente roçavam em seu corpo provocando um arrepio. O pau ele já não comandava mais. A ereção estava tão intensa que eventualmente pulsava, dando estocadas ao vento, sem nenhum domínio. Ela não falava, ele não perguntava  e a menina muito menos. Era um silêncio tenso e tesante, em todos os sentidos.

Devidamente amarrado, ela então pegou a menina que ainda tinha  o lençol passado sobre o corpo, colocou-a diante dele e tirou o lençol, deixando-o cair.

Que tesão, os seios eram mínimos, mas arredondados.. As tatuagens cobriam o corpo, os piercings não se detinham à face, mas também mamilos. O pau pulsava tanto, mas tanto que parecia querer estourar, explodir em gozo.

Ela acariciou a menina diante dos olhos dele, os mamilos estavam rijos, tesos, como o pau dele. Ela fechou os olhos enquanto era acariciada, pôde perceber quando contraiu as coxas, estava visivelmente excitada com a situação. Ela também percebeu isso e ali, de pé, por trás dela, com a mão esquerda segurou seu pescoço, enquanto com a direita masturbava-a. Colando seu corpo ao dela e dizendo-lhe safadezas bem baixinho ao pé do ouvido.

Sem deixar de me olhar nos olhos, enfiava o polegar na boca da menina que, de olhos fechados, chupava enquanto recebia a carícia delicadamente rápida no clitóris. Não demorou o gozo, ela inclinou o corpo pra frente, sendo amparada pela mão firme, enquanto enfiava fundo seus dedos nela. Que logo depois foi pousada na cama com as pernas abertas, em uma posição perfeita para que ele pudesse ver o suco que escorria pelas pernas dela.

Ela então se ajoelhou diante dela, olhou pra trás, no fundo dos seus olhos e sorriu antes de arreganhá-la ainda mais e passar a língua do cu á buceta, bebendo cada gota do gozo, diante dele. Estimulando-a uma vez mais ao orgasmo, dessa vez tão intenso que a menina gemeu alto, quase desfalecendo de prazer na cama.

Nesse momento, algo inusitado aconteceu com ele, que amarrado, sem nenhuma estimulação, ejaculou em um gozo intenso, era como se a boca que bebia a menina o mamasse também. Como se ela pudesse ser duas, ou ele e a menina um só, não sabia explicar.

Percebendo isso, ela deixou  a menina na cama e partiu para ele, mamando de maneira sôfrega o seu pau. Chupando e lambendo cada gota que jorrou dele como uma fonte natural de prazer.   E uma vez tendo chupado e bebido ela e depois ele, ela sorrindo se aproximou, pegando com as mãos o seu rosto e beijando sua boca de forma intensa e apaixonada.

Definitivamente, aquela mulher era diferente de todas, sequer era capaz de imaginar o que viria depois…

roubado do blog A Vida Secreta    
www.avidasecreta.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Conte sua fantasia