sexta-feira, 29 de junho de 2012

Transando feito puta dentro do carro

02 Autor: Ana Paula

Primeiramente vou me apresentar aos amigos, sou morena clara, cabelos castanhos, seios e bunda grandes e um pouco gordinha, não me acho uma mulher linda mas até que para quem tem 37 anos,eu ainda chamo a atenção.

Meu marido e eu temos uma relação aberta desde quando ele me confidenciou que sentia tesão em me imaginar com outros, aí eu acabei confessando a ele que já o fazia de corno desde o inicio do nosso namoro. Nem preciso dizer que ele amou saber e começou a tentar me convencer a dar pra outros na frente dele, mas eu curto mesmo é sair sozinha. Então ele aceitou e começou a me incentivar sempre a sair com outros,e é uma dessas que eu contarei agora. eu conheci Rafael num chat de relacionamento na internet no inicio de 2009, ficamos por uns 4 meses conversando pelo msn e nos conhecendo melhor, ele era casado,advogado, tinha 42 anos na época, depois que ja tinhamos nos conhecido melhor resolvemos partir para o real, marcamos de nos encontrar num shopping aqui da grande São Paulo, meu marido me levou até o shopping e ficou de longe olhando eu me encontrar com o Rafael, ele havia me falado que quando eu terminasse ligasse pra ele que ele me esperaria dentro do carro. Eu cheguei cumprimentei o Rafael e ele me falou pra irmos para o carro dele,chegando no carro dele ele ligou o ar condicionado, o som e começamos a conversar, ele me perguntou se poderiamos ir ao motel eu disse que sim, ele então perguntou se eu não topava realizar uma fantasia dele, perguntei qual era e ele disse que era de transar dentro do carro, eu achei bem louca, mas nunca tinha feito isso e pensei que poderia ser excitante fazer isso e falei que topava, como era noite e seu carro era totalmente insulfilmado nãotinha perigo de ninguem ver.

Então ele jogou os bancos pra frente e fomos para o banco de tras,ele então começou a me beijar e foi descendo pelo meu pescoço e foi abrindo minha blusinha, então tirou meu soutien e começou a chupar meus seios, enquanto me chupava ia tirando minha saia e minha calcinha, em pouco tempo eu estava totalmente nua, Rafael então foi descendo sua lingua pelo meu corpo todo até chegar em minha buceta atolando sua lingua nela me fazendo tremer de tesão.

Rafael chupava muito bem passando a lingua pelo clitóris e enfiando ela toda na minha buceta,em poucos minutos cabei gozando gostoso na boca de Rafael. Então ele tirou sua roupa e foi minha vez de retribuir o prazer que ele havia me dado, comecei a chupar sua rola que eu ja conhecia pela cam, uma rola deliciosa de 21cm e bem grossa, eu abocanhava com gula, engolia toda,passava a lingua me volta da cabeça fazendo Rafael gemer de prazer, da mesma forma que eu tinha gozado, eu falei para que ele gozasse, então ele jorrou toda sua porra na minha boca, um pouco eu engoli, um pouco acabou voando nos meus cabelos,meu rosto, me deixando toda melada.Limpei meu rosto em minha blusinha, e ficamos conversando um pouco e eu mexendo em seu pau, então seu pau ficou duro novamente e eu sem vacilar, me ajeitei e sentei naquela rola deliciosa, acomodando centimetro por centimetro dentro da minha buceta.

Comecei então a cavalgar bem lentamente em sua rola enquanto ele chupava meus seios me fazendo ficar cada vez mais louca de tesão, comecei a acelerar os movimentos e sentia uma sensação deliciosa sentindo seu pau tocar fundo no meu utero. Rafael então mandou que eu me colocasse de quatro e socou com força na minha buceta, eu gemia, sussurrava,dizendo que era puta, que tava adorando ser vadia dele, ele começou a foder mais rapido enquanto me xingava de cadela,de vaca,de puta e dava tapas em minha bunda,estava tão gostoso que soltei um gemido mais forte quando gozei e fiquei com medo de que alguem ouvisse.Rafael falou que iria gozar e perguntou onde eu queria receber porra, eu falei que ja tinha bebido o suficiente que ele podia encher minha buceta, e foi o que ele fez, acelerou os movimentos e gozou me apertando a bunda que chegou a deixar marcas,foi tanta porra que melou minhas coxas e só não sujou o banco do seu carro porque minha saia estava por baixo.Me sentei e sentia a porra escorrendo de dentro de mim, nos beijamos muito,então Rafael falou que havia adorado realizar a sua fantasia,eu falei que tambem havia adorado transar com ele,ele me perguntou se eu queria que ele me levasse em casa ,e eu falei que não precisava pois meu marido estava me esperando dentro do shopping. Então me despedi dele com um longo beijo e falei que marcariamos outra vez. Sai do carro, liguei para meu marido e fui até nosso carro,minha calcinha estava dentro da bolsa,minha saia toda melada de porra,minhas coxas escorriam porra,meus cabelos melados,então entrei no carro meu marido me recebeu com um longo e carinhoso beijo, então passou os dedos na minha buceta pegou um pouco de porra que ainda escorria pos em minha boca e me beijou,eu disse a ele pra irmos para casa,mas ele falou que não que iria parar em um motel pois queria me comer melada de porra do Rafael. e foi o que ele fez, fomos para o motel e transei com ele. Quando acabamos eu desmaiei de cansaço e acordei por volta das duas da manhã, então tomei um banho e voltei a dormir, passamos a noite no motel e só fomos embora no outro dia.Depois disso sai com Rafael mais umas seis vezes e numa dessas liberei meu cuzinho para ele.Espero que curtam esse meu conto.

(publicado em
http://www.swingprive.com/principal.htm )

sexta-feira, 22 de junho de 2012

MUITA PUTARIA SAINDO DO BARZINHO

gifs_speed_324 conto de Gabriel - narcisosantos@hotmail.com

Conheci Leila pela internet e, logo de cara, descobrimos ter muitas coisas em comum: éramos da mesma cidade e estavamos com muito tesão.
Depois de teclarmos e de falarmos muita putaria pelo telefone, resolvemos nos encontrar. Eu estava louco pra foder com ela, pelas fotos que me enviou era uma mulher muito bonita, de cerca de 40 anos, seios grandes e um olhar provocante...
Leila sugeriu que nos encontrassemos num barzinho .
Cheguei cheio de tesão e expectativa. Fiquei meio decepcionado quando ela me recebeu com um insosso beijinho no rosto e ao ver que ela estava com alguns amigos e com a sua irmã que logo me apresentou. Ela me disse prá ficar à vontade, que logo a gente ia poder conversar, mas à medida que o tempo ia passando, comecei a ver que ela estava adorando se exibir, adorando ser o centro das atenções. Os amigos faziam piadinhas ,ela sorria maliciosamente, e ,devido ao barulho no ambiente eu não conseguia ouvir quase nada.
Resumindo, tenho que confessar que fiquei decepcionado e com ciúmes. Ela não estava me dando um pingo de atenção . De vez em quando me olhava e sorria, mas era só...

Me preparei prá ir saindo de mansinho, sem ninguem ver. Chamei o garçon discretamente e pedi a minha conta.
Sentada ao meu lado estava a irmã de Leila, devido ao barulho não consegui entender muito bem o nome dela, acho que era Tatiane, Tati, alguma coisa assim. Só tinhamos conseguido trocar algumas palavras, mas foi a única pessoa com quem eu havia conversado.
Confesso que não tinha dado muita atenção prá ela e ela tinha sido gentil comigo. Ela me perguntou se eu estava indo embora e eu não tive outro jeito senão dizer a verdade: disse que sim, inventei uma desculpa.
Paguei a minha conta  e quando estava me levantando discretamente ela me perguntou se eu podia lhe dar uma carona, porque ela queria ir embora também. Ela me disse que também ia sair sem se despedir de ninguém e saimos " à francesa", como se diz.

Na rua, prestei atenção em Tati, que me sorria : muito mais jovem que Leila, estatura média,  bunda  grande e  coxas bem grossas (ao mesmo era o que transparecia pelo contorno da calça jeans apertada)  peitos pequenos e um rosto muito bonito, com olhos castanhos claros, seus olhos eram penetrantes e chamavam muito atenção.
Com os olhos cheios de curiosidade ela logo me perguntou de onde eu conhecia sua irmã.
Eu disse que não lembrava mas ela disse que sabia, que era da sala de sexo, disse também que todas as pessoas que estavam na mesa eram da sala de sexo que Leila frequentava. Enquanto caminhavamos em direção ao estacionamento, ela desculpou-se pela atitude da irmã e diz ter percebido que eu estava deslocado e disse que também estava se sentindo assim, a sua irmã a havia convidado mas que ela não gostou do jeito do pessoal, e finalizou que só mesmo sua irmã é que era capaz de gostar de gente assim..
Eu me senti na obrigação de dizer prá ela que , de uma certa forma, eu também fazia parte "daquele pessoal". Ela sorriu e disse que, de qualquer maneira, eu era diferente. Tatiane encheu minha bola , disse que sentiu que era eu um cara gentil e educado, etc etc..

Ela me passou o endereço, programei no GPS e depois de conversarmos um pouco sobre coisas variadas ela começou a fazer perguntas sobre meus papos com sua irmã, a conversa evoluiu para conversas nas salas de bate papo, ela falou que achava meio bobo esse negócio de sexo virtual ( confesso que me senti bobo também, pela maneira como ela disse ) e que, prá ela sexo tinha que ser real. Concordei com ela e continuamos falando sobre sexo, sobre nossas experiências e fantasias. E para quase tudo que eu relatava ela dizia que eu era legal, mas me achava meio bobo prá minha idade. Eu sorria sem graça, porque ja estava me sentindo incomodado .
Uns instantes depois, o GPS indicou que tinhamos chegado. A rua estava deserta , parei em frente a um prédio. Tati me agradeceu a carona, beijei seu rosto. Ela tentou abrir a porta,estava um pouco emperrada, ela não estava conseguindo, então me debrucei para ajudá-la, senti seu perfume, e quando fiquei com o rosto bem proximo do dela, nos olhamos profundamente, seus olhos castanhos claros me hipnotizaram e sem nos falarmos, começamos a nos beijar. Seus beijos eram uma delícia, e apesar da posição incomôda, não conseguia parar e fui me excitando. Me empolguei e comecei a acariciar seus peitinhos por cima da camiseta, ela não se opôs,começou a gemer suavemente, entre os beijos, então enfiei a mão por dentro da camiseta e apalpei seus seios macios mesmo por cima do soutien. Nisso um carro passou e ela me interrompeu, pedindo prá parar. Saiu do carro e me pediu pra esperar. Voltou logo em seguida e disse prá eu estacionar na garagem do prédio, com um sorriso maroto. Convidou-me para ir ao seu apartamento, mas me pediu pra ficar quietinho, dizendo que tinha cameras na garagem , no elevador e nos corredores dos andares.

Segurei-me até entrarmos no apartamento, quando então a agarrei , apertando-a contra mim, palmilhando sua bunda, apertando suas nádegas e devorando sua boca. 'nossa, que homem tesudo', ela dizia, entre beijos deliciosos, ' gostosa', eu respondia e levantava sua camiseta para tirar.
Eu estava com tanto tesão que só não rasgou porque o tecido era forte. Arranquei sua camiseta com um puxão e mergulhei no seu pescoço, beijando e dando chupões barulhentos. Nos atracamos e nos beijávamos, nos mordíamos,
passeava com a lingua no seu pescoço , fui descendo e lambendo sua pele macia, toquei os seios, fui lambendo, passando a lingua nos biquinhos rosados e de vez em quando mordia, beijava , voltava a lamber, ela estava encostada na parede apertada na parede e enquanto a chupava, abri sua calça, ela mesma me ajudou a tirá-la , juntamente com a calcinha, . Tirei a minha roupa toda rapidamente e  então fui com uma das mãos acariciando sua xoxota, enfiando um dedo e depois outro , dois dedos na xoxota e lhe chupando os seios ,ela simplesmente gemia e se contorcia e puxava minha cabeça de encontro aos seus seios, de olhos fechados fui descendo boca e lingua até que me ajoelhei e lambi seu grelinho, ela gemia, coloquei uma de suas pernas no meu ombro, comecei a lamber e mordiscar seu grelinho, ' delicia', 'tarado",ela dizia, eu só a olhava nos olhos e continuava a chupar e a lamber seu grelinho , enfiando a lingua na xoxota, lambendo todo o melzinho que começava a se formar, enfiava e tirava a lingua do sua xoxota e fui enfiando sem pedir um dedinho no seu rabinho, 'tarado', ela disse, ' to adorando, não pára' e ela começou a rebolar na minha cara, o que me deixou mais excitado ainda e com vontade de chupar ela bem rápido . Ela me empurrou eu fiquei deitado de barriga pra cima e então ela veio e sentou com a xoxota na minha cara e ficou esfregando o grelinho no meu queixo e nos meus lábios entõa colocou o grelinho na minha boca , que delicia de xoxota, poucos pelos, ela se contorcia, rebolava na minha cara e gemia.. 'que tesão' ela repetia.. gemia..

De repente se levantou , ' tesão, não quero gozar agora , fica assim, quero te chupar' ela disse. Veio engatinhando até o pau duro e começou a me punhetar com força,rapidamente, apertando meu pau me olhando com cara de zangadinha..' tesão, pau gostoso' ela dizia e punhetava que nem louca..
colocava o pau na boca ,enfiava bem fundo deixava ele bem molhado de saliva , tirava punhetava.. repetia 'tesão,adoro um pau duro , grosso como o seu, adorooo '..' safada, eu dizia,' sente o gosto da minha rola', ' isso, gostoso, adoro' ela dizia enquanto enfiava e tirava o pau da sua boca , ' delicia de homem', ela dizia, me mimando..' quero mamar ele todinho'. Eu mandei ela cuspir no meu pau enfiar todo na boca,ela fez , me olhando, bati com o pau na sua cara toda, ela me olhava e dizia '  deliciaaaa '.. depois pegou o pau com as duas mãos e com cara de tarada começou a me chupar freneticamente, enfiando e tirando o pau da boca , sugando com tanta voracidade que parecia querer arrancar o caralho do meu corpo..

Levantou-se dizendo ' tesão, quero sentir esse pau gostoso na minha buceta' , e então veio por cima de mim, na posição de cavalgar.  ' vou deixar entrar só a cabecinha', ela disse. ' tesuda' eu dizia, e ela me olhando disse ' bobão'. Encostou a cabecinha no grelinho na entradinha da buceta e rebolou lentamente, me olhando, esfregando o cuzinho e o grelinho, de vez em quando deixando entrar um pouquinho na xaninha.
Eu gemia de prazer.. ' bobão, ' ela disse' vou ficar assim até voce implorar pra eu descer '..' safada' eu disse . Ela repetiu que eu era bobão e pincelou a cabecinha no cuzinho . ' assim você me tortura, eu dizia".. ' delicia de homem,' ela respondia. Raspou a bucetinha na cabecinha ,dizendo " to meladinha de tesão' , me olhou bem fundo nos olhos e pediu pra pegar nos seus seios..fazer carinho.. eu comecei a massagear seus seios e ela dizia ' isso, assim' , enquanto a pica roçava sua buceta.. Eu comecei a chupar os biquinhos dos seios dela ' quer o pau todinho dentro , quer ?' ela perguntava me provocando. ' quero '
' a bucetinha tá quentinha' ela dizia, massageando o clitóris, enquanto rebolava roçando lentamente a buceta na cabecinha do caralho . ' quero que você goze no pau' eu disse..' 'gozo sim meu tesão.... ela dizia .. to doida pra sentir ele dentro de mim, dizia esfregando o grelinho. ' o grelinho já ta inchado, pede ,bobão' ela dizia,' manda..'ela falava provocadora..' ' desce, safadinha, eu quase gritei'. ' delicia' ela disse, se ajeitou e desceu até a metade, gemendo..' aiii, tesãooo' dizia ' que pauzão, vai entrar muito fundo' . Louco de tesão eu a segurei pelo quadril tentando empurrar pra baixo,agarrei sua bunda. ' isso, tarado, abre meu bumbum' . Abri as nadegas dela e empurrei de baixo pra cima, levantando meus quadris , ela gemeu ' aiii amor, caramba" forcei-a a descer , vendo a bucetinha engolir o pau inteiro, estava uma deliciaa. ' to sentindo cutucar la no fundo', disse ela,rebolando , . Começamos a nos movimentar no mesmo ritmo aos gemidos..Ela fazia o movimento de sobe e desce e eu a martelava de baixo pra cima, ainda mantendo sua bunda aberta..' aiii que tesão, gabriel' ela dizia, rebolando no meu pau, sua bucetinha apertadinha contraia meu pau, eu gemia..Pedia os seios na minha boca, mamava;  ela rebolava pra entrar e sair em movimento pra frente e pra tras e em circulos  , cada vez mais rápido , ambos gemendo . ' aperta a minha bunda' ela pediu, e eu apertava,apalpava. ' aperta o meu bumbum' ela pedia e eu apertava bem forte..  ' ahh,que delicia' ela gemia.Eu também gemia, sentindo sua buceta mastigando meu pau. Eu socava a buceta dela de baixo pra cima , aumentando a força , metendo cadenciado estocando fundo... ' que tesão, gabriel, mete, mete , fode , fode'...ela quase gritava.. ela pediu pra eu xingar ela e eu a xinguei de puta, de vagabunda, de piranha, de cachorra, e ela gemia e pedia mais e dizia ' isso, isso' enquanto dançava no meu pau cada vez mais rapidamente. Uns segundos depois disse :' vou gozar'.. Repetiu se contorceu, se esticou e gritou : 
' aiiii to gozandooooooo ' . Senti as contrações na sua buceta e ela gozava e começou a dar tapas na minha cara ..repetindo ' to gozando, to gozando' Parei de me movimentar e fiquei sentindo ela gozar  e batendo na minha cara.

Meu rosto estava dolorido , senti as ultimas contrações dela e ela foi tirando devagar , dizendo que sua buceta tava sensivel porque tinha gozado..' delicia, disse ela, me beijando , precisava de uma foda assim'.

Um pouco depois, ela passeou a boca pelo meu pescoço, meus mamilos e me presenteou com uma masturbação deliciosa. Enquanto me beijava ,senti a pressão de sua mãozinha na cabeçinha do meu pau e nos suaves movimentos de vai e vem. Enquanto se recuperava de um orgasmo, aquela menina deliciosa, ainda com o rostinho vermelho me punhetava rapidamente. Era muito gostoso, aquela mãozinha macia, aquela boca deliciosa e quando ela falou bem baixinho no  meu ouvido :'goza pra sua putinha, goza', eu não resisti e esporrei gostosamente entre seus dedos. Ela espalhou a porra no meu pau e continou me punhentando, dizendo :'quero mais, quero mais porra', até eu não aguentar mais..
Fizemos mais algumas loucuras naquela noite, muito mais do que eu havia imaginado com Leila. 

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Por favor, mãe, só um boquete...

2 Autor: Tim Drake

As coisas estavam difíceis para mim naqueles dias: reprovado no vestibular, duro e sem namorada...Passava os dias estudando para o próximo exame e navegando na web, sem mais nada de interessante pra fazer. Com os hormônios a mil, como qualquer jovem, era na internet que eu descarregava a tensão: horas e horas por semana atrás de lindas bucetas e bundas, e sempre me matando na punheta. Assim ia levando minha rotina, até que um dia recebemos a visita da minha avó materna, que mora em outra cidade. Como a nossa casa era pequena, dois quartos apenas, minha mãe cedeu o quarto dela pra minha avó, e foi dormir no meu. Uma pausa pra falar da minha família: sou filho único, moro com minha mãe, que é separada de meu pai. Minha mãe, Ângela, é uma coroa muito bonita, cabelos curtos, na altura dos ombros, olhos claros, e um corpo ótimo pra uma mulher de 51 anos.... Ela usa roupas discretas, mas que não escondem os belos seios e a bunda deliciosa, que tantos olhares ainda arranca na praia, apesar de ela não usar mais os biquinis cavados de quando era mais jovem....Bem, como dizia, ela passou a dormir no meu quarto, enquanto minha avó estivesse nos visitando. Ela dormia na minha cama e eu no chão, o que não era problema nenhum. O único empecilho é que, com minha mãe no quarto, eu não poderia usar a internet e bater aquelas punhetas de hábito. Nas primeiras noites, tudo bem, até que não agüentei mais e resolvi arriscar. Esperei ela dormir, e, silenciosamente, liguei o computador e acessei meus sites preferidos: depois de tantos dias, foi uma maravilha...Mas não arrisquei bater uma punheta ali mesmo, com ela dormindo ao lado, e tive que me saciar no banheiro...Nos dias seguinte, a mesma coisa, e tenho a certeza que ela não desconfiou de nada, até porque eu fazia tudo com muito cuidado e barulho mínimo...Até que, um dia, estava navegando em sites de coroas, e não resisti: botei o cacete pra fora e comecei a me punhetar...Antes, dei uma olhadela pra minha mãe, pra me certificar que estava dormindo, e fui agraciado com a vista do lindo decote dela na camisola sexy...É óbvio que aquilo mexeu comigo (e com meu pau, também...). Quando dei por mim, estava me masturbando não para as fotos no computador, mas pra minha própria mãe, que dormia placidamente, aquele lindo rosto sereno e os seios quase pulando pra fora da camisola...Estava quase gozando quando, pro meu susto, ela abriu os olhos! Não tinha como escapar do flagrante: fotos de sacanagem na tela do computador, e eu com o pau na mão....Fiquei mudo, o coração acelerado, sem saber o que falar. Ela também ficou aturdida por alguns segundos, mas então deu uma risada baixa e se levantou; ?Que é isso, meu filho...?? . Eu gaguejei alguma coisa, e comecei a me recompor...Ela alternava os olhos entre meu pau e as fotos na tela. Desliguei o computador, ainda bem vermelho, e já ia me preparar pra ir dormir quando ela falou, com um leve tom de censura, mas com uma expressão um tanto divertida no rosto: ?Você não devia fazer isso com sua mãe do lado, filho...?. ?Desculpe, mãe...?, respondi, envergonhado, ?mas é que...?, e parei. ?É que, o quê, filho??. ?Mãe, estou sem namorada há um tempão...Não agüento tanto tempo sem sexo...?. Ela ficou calada, me olhando, até que disse: ?Sim, entendo, mas isso não é desculpa pra você se masturbar na frente da sua mãe...?. ?Você estava dormindo, eu precisava disso....Aliás, ainda preciso?, e olhei pro volume que meu cacete fazia no pijama...Estava com o pau duríssimo, e acho que ter sido flagrado pela minha mãe, apesar de me deixar envergonhado, aumentou mais ainda meu tesão. ?Estou vendo?, ela disse, ?vá pro banheiro fazer alguma coisa.?. Fiquei parado em pé, mas disse: ?Mas estou cansado de me masturbar...Preciso de algo real?. ?E o que você quer que eu faça? Se quer dinheiro pra prostitutas, era só me pedir?. ?Tudo bem, mas e agora? Vou dormir desse jeito??. Ela riu: ?E o que você quer que eu faça??. Fiquei calado, o coração aos pulos...Não sei o que deu em mim, mas arrisqueis: ?Mãe...Não sei, você podia me ajudar...?. Ela ouvia, com cara de quem não está entendendo. Eu continuei: ?Sei lá...Você podia...Me ajudar...Porque você não dá uma chupadinha??. Ela arregalou os olhos quando ouviu a proposta, e disse nada. Parecia um pouco zangada, mas não deixou transparecer: ?Você está maluco? Quer que eu faça o quê??. Eu já tinha arriscado, fui em frente: ?Ninguém vai saber...Só um pouquinho, não vai demorar muito...Por favor, mãe?. A verdade é que eu estava louco por um boquete há muito tempo...E o pensamento daquela boquinha linda de mamãe no meu pau me deixou louco...Mas ao mesmo tempo me senti o cara mais bizarro do mundo, ao pedir um boquete pra própria mãe...Ela me olhava espantada, até que olhou pro meu pau e sorriu: ?Você deve estar brincando....E se eu fizesse isso...Já imaginou que loucura, seria? Somos mãe e filho...?. ?Mãe, não me importo...Por favor, me faz um boquete...?, dizendo assim botei o pau pra fora, e caminhei até ela, que estava sentada, até que minha pica estivesse a poucos centímetros daquele lindo rosto. Ela arregalou os olhos, e olhou pra mim...Pareceu pensar bem, até que tomou uma decisão: ?Só dessa vez....E não demore...?. Sem mais palavras, botou a língua pra fora e lambeu minha glande. Gemi baixo: que língua macia! Depois de lamber bastante, e quase me deixar a ponto de gozar, ela abriu os lábios e deixou meu pau deslizar pra dentro de sua boca...Fechei os olhos e me senti num sonho: não acreditava que aquela boca quente, molhada e macia apertando o meu pau era da minha própria mãe...Sua boca subia e descia no meu pau, bem devagarzinho. Segurei sua cabeça com as duas mãos, e gemia baixo...Com uma das mãos ela segurava a base e com a outra acariciava o saco. Que boca quente e macia...Como aqueles lábios apertavam gostoso! Claro que aquilo não durou muito: quando ela acelerou a chupada, não agüentei e esporrei como um louco....Gemi alto e enchi literalmente a boca dela de porra. Com uma expressão de desagrado, ela engoliu tudo, e então me disse, num tom de censura: ?Não era pra gozar na minha boca, seu filho da puta...!?. É engraçado, mas ser chamado de ?filho da puta? pela própria me deu um tesão louco, que não deixou meu pau amolecer....Ela foi ao banheiro, se lavar, enquanto eu deitei no meu colchonete, com o pau devidamente saciado...Quando ela voltou, eu agradeci a ajuda e prometi de novo não contar pra ninguém...E ainda elogiei a técnica dela como boqueteira, o que fez minha mãe rir e me dar uma tapinha, de brincadeira...

http://www.casadoscontos.com.br/texto/20040695

Esse é um contos votados por Marih no site casa dos contos.

quarta-feira, 13 de junho de 2012

A GORDINHA GOSTOSA

gordinha gostosa atendo no centro santa cecilia hotel e motel me ligue sao paulo sp brasil__78B132_1

Paula e Marco eram meus colegas de trabalho. Todos os dias a gente almoçava juntos e acabamos ficando amigos . ..Paula era uma gordinha muito gostosa..tinha uns 37 anos, cabelos negros e belos olhos azuis,era farta,de coxas grossas e seios grandes,uma bunda enorme e maravilhosa, me deixava louco de tesão..Ela era casada e tinha dois filhos que eu conhecia por fotos....Marco também era casado,meio machista,mas muito simpático e falante. Marco tinha fama de cafajeste,e acho que era por isso que já tinha saído com muitas meninas da empresa. Dava pra perceber que Paulinha também estava interessada nele.E eu interessado nela,mas,pelas circunstâncias,ficavamos apenas nas cantadas sutis e piadinhas. Além da minha timidez, estava faltando oportunidade.

Até que um dia um colega de trabalho comemorou o seu aniversário numa balada. Todo mundo foi convidado. Minha esposa estava viajando e eu fui sozinho,esperando que aquela festa fosse minha oportunidade.
Fiquei meio decepcionado quando vi que Paula estava na festa com o seu marido,um gordinho muito simpático. Marco estava com a esposa e eu fiquei na mesa com eles.

Rimos,conversamos,bebemos um pouco...á medida que o tempo ia passando,fomos ficando um pouco altos e nos soltando. Principalmente Paula e o marido que bebiam mais que do que nós.
Uma certa altura,no meio da noite, Paula se levantou e disse que estava com vontade de dançar..Estava visivelmente alta,quase bebada. Seu marido estava totalmente embriagado e disse que não gostava de dançar. Paula então me pegou pela mão e me pediu pra dançar com ela,

Estava tocando um forró,eu não sei dançar muito bem,ela me sorriu e me deu algumas dicas. Ela se encostou em mim,eu a segurei,ela se colou no meu peito,estavamos agora colados e,eu,todo excitado,roçava nela,Paulinha se deixou levar,a minha mão descia pelas suas costas e eu a apertava contra mim.

Não havia sorrisos,nem palavras,nem olhares,a face dela encostada na minha,colados,o clima estava delicioso,a música era rápida mas meus movimentos eram lentos,estavamos quase parados,ela roçava os seios no meu peito,e meu pau estava muito duro,dei um tímido e suave beijo junto da orelha dela,depois no rosto,eu estava louco de tesão,queria comer Paula ali mesmo,se ela me desse.

Mas a música parou e ela se soltou de mim. Ficamos parados,um em frente ao outro,eu esperava outra música,agitado,de pau duro,ela ficou me olhando.
De repente,Marco veio e a abraçou por trás,passando a mão pela cinturona dela e a encoxou.Falou alguma coisa no ouvido dela,ela olhou pra ele, sorriu e os dois sairam,para um canto mais escuro do salão.

Fiquei uns segundos ali parado,me sentindo idiota,frustrado,excitado, com raiva e com ciúmes. Voltei pra mesa,o marido de Paula estava muito bebado,quase dormindo na mesa.A mulher de Marco levantou-se,dizendo que ia ao banheiro e depois ia procurar o marido. Bebi um pouco,meio tonto,sem saber o que fazer.

Uns 20 minutos depois fui para o banheiro. Marco entrou logo depois,ficou urinando do meu lado. Senti que ele esperava que eu perguntasse alguma coisa,eu não disse nada,olhando pra frente,então ele falou: ' Gabriel,acabei de gozar gostoso agora.'..Levei um choque,ele continou :" A Paula chupou meu pau lá no canto,até eu gozar na boca dela..'..que putinha,chupa muito gostoso,a vadia...". Lavou as mãos e saiu,eu nem respondi,nem disse nada.. Agora eu tinha ficado com mais raiva e com mais ciúmes ainda.

Voltei pra mesa,decidido a ir embora. Estava pensando em nunca mais falar com a Paula,nem com o Marcos, filhos da puta,eu pensava,remoendo minha inveja e frustração.

Cheguei na mesa,Marco e sua esposa já estavam indo embora,o marido de Paula estava debruçado na mesa,praticamente dormindo e Paulinha estava tentando acordá-lo. Me olhou, tipo pedindo ajuda.

Por instinto,acabei perguntando se podia ajudar.Ela me pediu pra ajudar a levar o marido até um taxi. Eles tinham vindo de carro,mas ela não sabia dirigir. A filha da puta estava tão bonita,tinha um rosto tão lindo que eu mesmo sem querer acabei me oferecendo prá levar os dois em casa.

No caminho,Paula ia com o marido no banco de trás do carro,ele ia deitado no seu colo,ela me agradeceu muito e depois me disse:' desculpa,Gabriel,'
Eu perguntei porque ela estava se desculpando. Ela abaixou os olhos e disse :' você sabe..eu faço tudo errado mesmo..'.. Ela não disse mais nada. Depois de um bom tempo, quando estavamos quase chegando eu lhe disse: ' tudo bem,voce fica me devendo uma dança'.

Chegamos na casa dela,ajudei-a levar o marido pra dentro,colocamos ele na cama,eu ainda estava com raiva dela,e mais de mim mesmo por ter sido tão bobo. Depois do que ela havia feito eu ainda a trouxe em casa e tudo.
Me despedi, ela abriu a porta , murmurou "obrigada", mas não me olhou e entrou..

Eu já estava indo embora ,sem querer ir, quando percebi que ela tinha deixado as chaves do lado de fora da porta..

Peguei a chave e toquei a campainha... Ela abriu a porta e me viu ali , com a chave na mão " voce esqueceu a chave do lado de fora "eu disse... Sem dizer nada , ela me abraçou e começou a chorar...estava com a mão no meu pescoço e começou a chorar apertada ao meu ombro..eu não sabia o que fazer..tentei dizer umas palavras , mas ela parecia nao ouvir, apenas chorava...' me desculpa, ela disse, faço tudo errado'.

Ela me disse que estava morrendo de vergonha...depois disse que estava carente, que seu marido não lhe dava atenção que seus filhos não ligavam pra ela..E me agradeceu por ter sido compreensivo com ela.. Dizia tudo isso, entre prantos...Eu tentei acalmá-la e passava as mãos pelos seus cabelos...ela começou a chorar menos e eu disse a ela que tudo ia acabar bem e beijei a testa dela..depois beijei o rosto..limpei as lagrimas com as mãos e beijei o rosto dela

    Ela fechou os olhos e seguindo um impulso ,eu dei lhe dei um beijo na boca...Foi um beijo gostoso, ela tinha uma boca muito gostosa...tentei dar outro beijo mas ela me afastou, dizendo "não"..pedi desculpas e disse que ia embora...meu pau tava durissimo, dava prá ver pelo volume das calças..o pau tava tão duro que escapou da cueca ,pelo lado...ela me disse , não...não vai, gabriel...

    Eu disse tudo bem..sentei-me ao lado dela no sofá e começamos a conversar  e eu cada vez mais perto, falando suavemente com ela...Ela colocou a cabeça no meu ombro e ficou um bom tempo quieta,comigo só acariciando a cabeça dela.

Até que dessa vez foi ela quem procurou a minha boca .Nos beijamos muitas e muitas vezes e eu comeci a passar a mão nela, parecia um polvo com vários tentáculos,  eu estava louco de tesão por aquela gordinha...eu a apertava, puxava, comecei a abrir sua blusa, alisando suas enormes coxas, e comecei a levantar sua saia acariciando cada parte daquele farto e apetitoso corpão.Ela não resistiu, A essa altura, eu já beijava seu pescoço, seu colo e tirei sua blusa e soltei seus seios enormes, beijando , lambendo e mordendo seus mamilos completamente inchados.

Desci a lingua pela sua barrigona e levantei a sua saia , puxei sua calcinha pro lado e quase enlouqueci quando vi sua bucetinha. gordinha.. de grelos grandes,,toda raspadinha, só com pelos em cima e bem pouquinho ,comecei a masturbar sua buceta enquanto nos beijavamos que nem loucos.. eu chupava seus peitos com força, arranquei sua calcinha com tanta força que quase a rasguei, eu disse que estava com tanto tesão que não conseguia me controlar.. "nem eu," ela disse...

    Abri bem suas pernas e comecei a chupa-la : colocava a lingua la dentro, mordiscava seu clitoris, enfiava dois dedos na sua buceta, ela se contorcia quase enlouquecida. ela pedia para eu enfiar mais os dedos ..eu dei um banho de lingua na sua buceta e nos seu cu.. ela rebolava na minha boca,.e finalmente gozou..gozou, se contorcendo e gozou de novo...

Se esticou no chão..jogadinha...com a respiração cansada...eu me deitei ao lado dela, beijando seu rosto e sua boca, com o pau duro apontado para o teto...So então me dei conta de que estavamos pelados..ficamos tão enlouquecidos que tiramos a roupa sem perceber...

    Bem, passaram-se algunns minutos e ela veio me beijando..começou a beijar meu peito todinho, eu me arrepiei e ela começou a chupar meu pau...Colocou a cabecinha na boca, ela cuspia nele, lambia ele todinho, foi descendo , chupou meu saco, abriu minhas pernas e foi descendo, chupou uma bola de cada vez, eu estava louco de tesão...eu gemia e dizia :" que booocaa, que dellliciaa, que tesãããããoooo".” isso foi incentivando ela mais ainda.. meus gemidos já estavam se tornando quase urros, eu segurava no cabelo dela, ela foi se virando e sentou sua buceta na minha cara e fizemos um 69 delicioso...Ela deslizou , sentou em cima de mim e foi descendo, fazendo sua buceta engolir o meu pau, eu fiquei louco do jeito que ela mexia em cima de mim...ela sentou de cocoras e ficava colocando e tirando o pau da sua buceta...ficou se mexendo devagar e se masturbando...de repente, gritou:  " vou goooozarrr, vou gozaaarrrr..vou goozar...." e ficou gemendo e pulando no meu pau, bombando sua buceta até que eu não aguentei e esporrei dentro dela...Ela saiu de cima de mim e nos deitamos lado a lado,até nossa respiração voltar ao normal.

Ela se levantou,trancou a porta do quarto onde estava seu marido,ficamos nos acariciando,por um bom tempo,nos beijamos,depois  ela virou-se de costas pra mim e comecei a lamber e a beijar e a chupar suas nadegas,,suas Coxas.,acariciar sua bunda e dei uns tapinhas..."quero comer seu cú, eu disse",ela sorriu e disse que não, então fiquei apenas acariciando sua bunda , balançando suas nadegas,, apertando e beijando..percebi que ela colocou a mão no meio das pernas e começou a se masturbar devagarinho..

    Depois de lamber e mordiscar suas nadegas..comecei a dar tapinhas na bunda dela...primeiramente timidos e fracos,em seguida aumentei a força das palmadas .Ela se masturbava loucamente se contorcendo, eu aproveitei os movimentos dela e bati com mais força...segurei firme na sua bunda e comecei a chupar seu cuzinho, enfiando e tirando a lingua e enfiei então um dedo no cuzinho dela...
    Comecei a beijar e a lamber suas costas e a me deliciar vendo-a se contorcer de prazer..
    Louco de tesão como eu estava, eu me posicionei por cima dela  e quis foder também o cuzinho dela, e eu fodi o rabinho dela devagar,e firme..puxei-a pelos cabelos,fazendo a curvar as costas e empinar mais a bunda,facilitando o meu trabalho.Comecei a dar tapas também na sua bunda e a aumentar o ritmo da penetração..Se masturbando com rapidez, ,Paula gemia :"vc está me deixando louca ",e foi pedindo mais: "mais me fode mais, arromba meu rabo, quero ser sua puta, sua piranha,"..muito louco agora eu fodia de verdade seu rabo,puxando seu cabelo,chupando seu pescoço e ela gemia, urrava de prazer : "isssssssssssssoooooooo ,isssssssssssssoooooooooooooo, fodeeeeeeeeee, fodeeeeeeeeeeeeeeee gostoooooooooooosoooooooooooooooo, ahhhhhhhhhhhhhhhhhhh, aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii, asssssssssssimmmmmmmmm, mmmmmmmmmmmaiiiiiiiiiiiiiiiissssssss, noooossssssssssaaaaaaaaa, que gostosooooooooo,.." Não demorou muito e ela gozou na masturbação . Parei de me mexer,sentindo ela gozar.

    Ela se virou pra mim e me beijou bastante e me punhetou gostosamente e disse que queria mais : " quero mais..quero mais...me fooodee..."..ficou de ladinho e e eu comecei a enfiar o pau de novo no seu cú, ela pedia para eu ir devagarinho, dizia que estava adorando...Logo que entrou a metade, ela se virou de quatro de novo e arrebitou o cú e implorava para eu foder, eu pedia que ela gritasse , me xingasse, eu batia na sua bunda, eu fodia, eu xingava...eu comi seu cu em todas as posições, ela de frente pra mim, em cima de mim ,eu nunca tinha comido um cu desse jeito, eu repetia a toda hora que nunca tinha comido um cu como o dela..eu a beijava como louco, estava alucinado de tesão..Ela me deu o cú ao mesmo tempo em que se masturbava novamente ..cada vez que mudavamos de posição eu socava o pau no  cú dela até o fim...
    Finalmente eu senti um arrepio e anunciei pra ela que ia gozar...segurei pela cintura e puxei e disse : "vou encher seu cu de   porra sua vadia....." Gozei gostosamente,colado nela até o último espasmo.

Depois ela me olhou com um olhinho tão lindo e me beijou de um jeito tão delicioso,que me deu vontade de ver ela gozando novamente..

Acaricei bastante a sua buceta,esfreguei bem o seu grelinho,beijando sua boca deliciosa.Senti pelos gemidos que ela estava ficando excitada de novo. Massageando seu clítoris,notei que ela se umedecia. Então abaixei-me e comecei a lamber suas coxas e os labios da buceta,enfiei dois dedos na sua buceta,masturbei ela enquanto mamava no seu grelo,ela gemia e se contorcia até gozar.

Depois nos deitamos, abraçados e ficamos trocando carinhos e beijos
Não vi o tempo passar,até esqueci onde estava.Felizmente o marido dela não acordou.

    Foi assim que me apaixonei pela Paula, uma gordinha deliciosa e sempre que podemos, nos encontramos, as vezes, até só prá trocar uns beijinhos...