terça-feira, 31 de janeiro de 2012


Com colega de faculdade depois da festa.

Podem chamar-me de Carina, sou mulata, 1,60 de altura, cabelos médios escuros, olhos escuros e com um diferencial: sou gordinha. Isso mesmo estou acima do meu peso q não tenho nenhum problema com isso, afinal de contas sou feliz e muito gostosa (até hoje não ouvi reclamações) tenho os seios fartos e um bumbum bem avantajado que deixa os amantes das mulheres carnudas enlouquecidos. Essa história aconteceu comigo no período em que eu cursava faculdade aqui na minha cidade. Sempre fui muito festeira, extrovertida dessas que onde chega faz amizade. Ao longo do curso fui colecionando amigos que vez em sempre encontrava fora do ambiente acadêmico. Numa dessas ocasiões tive o prazer de estar na mesma festa que Pablo, um rapaz mais velho que eu ( na época eu estava com 25 anos e ele com 36), no entanto fisicamente ele não aparentava ter essa idade. Era um homem normal, corpo esguio, pele branca, olhos castanhos, cabelos curtos e um sorriso bem cativante. A gente já se conhecia, já tínhamos feito matérias juntos e tínhamos grandes amigos em comum, ao chegar na festa cumprimentei todos e fui me servir de uma bebida bem gelada pois fazia muito calor naquele dia. No decorrer da festa notei que Pablo sempre me encarava e quando notava que eu ficava um pouco sem graça ele respondia com um sorriso maroto. A festa foi acontecendo, a medida que o tempo passava ele e eu íamos nos aproximando, ate que lá pelas tantas estávamos conversando no mesmo grupinho de amigos. Conversávamos frivolidades até que o papo começou a esquentar e os rapazes mais animadinhos começaram a perguntar sobre as preferências sexuais das garotas. Como naquela galera todo mundo era amigo a gente respondia mais na zuação mesmo, até aquele momento, eu não estava com segundas intenções.

O tempo passou e as pessoas começaram a ir embora, como eu já tinha combinado com minha amiga dona da casa de dormir lá, fui para o quarto arrumar minha cama, quando estava me preparando para deitar ouvi alguém bater na porta do quarto, era o Pablo.

- Oi, desculpa, eu falei com a Laura e ela me disse que poderia dormir aqui, já que está muito tarde e eu vim sem carro. Posso dividir o quarto com você?

- Claro, fica a vontade, acho q aqui debaixo da cama tem outro colchão, pega ele para você.

Pablo tranquilamente pegou o colchão, esticou os lençóis e começou a se preparar para dormir, sai do quarto para ir ao banheiro e quando voltei, ele estava deitado no colchão no chão ao lado da minha cama, de bermuda e sem camisa. Apesar do avançado da hora não tínhamos sono, e começamos a conversar, falávamos de tudo inclusive da festa que havia ocorrido, o clima foi ficando envolvente até que Pablo levantou-se apagou a luz e sentou-se ao na minha cama. O papo foi ficando mais picante e comecei a sentir que ele levemente passava as mãos nas minhas pernas, ele começou então a massagear os meus pés, ficamos em silêncio e instintivamente fui relaxando, o toque de suas mãos era macio porém, firme, enquanto ele massageava meus pés e minhas pernas eu só conseguia respirar fundo, esboçando gemidos de prazer.

Pablo deitou-se ao meu lado, acariciou meu rosto e começou a beijar-me lentamente, um beijo molhado, profundo. Fui sentido sua língua percorrer minha boca, suas mãos deslizando sobre meu corpo. Eu passava a mão em suas costas e sentia o calor e a firmeza de sua pele, ele tinha um cheiro bom que me embriagava, me dando tesão.

Ele não encontrou resistência de minha parte, em pouco tempo eu já estava só de calcinha e sutiã. Pablo apertava meus seios, mordiscava meu queixo, meus lábios e respirava profundamente. Ele pegou minha mão e colocou-a em seu pênis que estava ereto, firme como uma rocha. Ai que delicia, eu não via a hora de tê-lo dentro de mim.

Ele foi descendo sua boca pelo meu corpo, sugava meus seios como um neném faminto, mordia minha barriga até que alcançou minha xaninha. Ai começou a me torturar, deitou-se de lado e com uma das mãos começou a tocar minha xoxota.

- Você gosta assim?

- Gosto, mas quero mais, seu gostoso.

- Então ta. Tira a calcinha para mim, tira que eu vou te levar para as nuvens gostosa, safada.

Pablo percorria toda extensão de minha bucetinha com os dedos, ele a abria, apertava, socava o dedinho nela. Passava os dedos na boca e voltava a me torturar deliciosamente. Esfregava meu grelinho com carinho e com cuidado, me fazendo rebolar.

-Isso gostosa, rebola bem gostoso para mim, quero ver como você goza.

E não demorou muito para uma onda de calor tomar conta de mim. Gozei deliciosamente, mas queria mais. Ele deitou-se entre minhas pernas e começou a chupar-me, passava a língua em minha xaninha, lambia tudo com calma, se lambuzava com o caldinho que escorria dela, castigava meu grelinho que estava super sensível, gozei novamente. Eu queria retribuir tanto prazer, então pedi a Pablo que ficasse de pé, de frente para mim. Sentada na cama segurei em seu pau e comecei a alisá-lo, mesmo na penumbra podia ver sua expressão de prazer e ouvir seus gemidos. Calmamente fui colocando aquele mastro na boca, lambia, beijava, brincava com ele. Esfregava a cabecinha enquanto lambia suas bolas. Enfiei o membro todo na boca, comecei a chupá-lo enquanto dava deliciosos beliscões em seu bumbum macio. Sentia aquele macho se contorcendo em minha boca, ele movimentava bem os quadris, estava louco se segurando enquanto fodia deliciosamente minha boquinha. Deitei-me novamente e ele veio por cima, agora eu apertava meus seios de encontro ao seu pênis, fazendo uma deliciosa espanhola, a cada esfregada a cabecinha de seu pinto encontrava minha língua molhadinha. Pablo não resistiu muito tempo e gozou nos meus seios.

Deitamos de conchinha e ficamos nos agarrando clandestinamente, novamente o desejo tomou conta de nossos corpos, ele esfregava o pinto em minha bucetinha, masturbando-me com seu membro quente e duro. Já nos encontrávamos em ponto de bala novamente, e dessa vez a coisa ia ser mais séria. Ele veio por cima e começou a ajeitar seu mastro na entrada da minha xoxota, lentamente começou a me penetrar, meu instinto me fazia remexer os quadris enquanto sentia aquela vara gostosa me preencher, que tesão.

Ficamos nesse papai e mamãe por um tempo, depois pedi para ele me comer de ladinho e fui prontamente atendida, enquanto ele metia a vara em mim, eu aproveitava e tocava em meu grelinho, e mais uma vez o gozo veio pleno, intenso, delicioso.

Agora era a vez dele de gozar, fiquei de quatro e a visão ampla que ele tinha de minha bunda o inspirava ainda mais, ele estocava com vontade, ia no fundo de minha buceta, eu rebolava e podia sentir todo o vigor daquele macho que estava me possuindo. As bombadas começaram a ficar mais fortes, seu gemido passou a ser mais tenso, pesado e sem cerimônia Pablo gozou forte, gostoso dentro de mim, quando tirou o pau pude ver que a camisinha estava cheia de porra.

Ele fez um carinho em meu rosto, me deu um sorriso carinhoso e safado e um beijo forte profundo, estávamos agradecidos mutuamente pelo prazer que havíamos recebido e proporcionado.


Esse conto foi escrito por Gordinha Gostosa e publicado inicialmente em: http://www.casadoscontos.com.br/texto/2012011300

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Conte sua fantasia