terça-feira, 31 de janeiro de 2012


Com colega de faculdade depois da festa.

Podem chamar-me de Carina, sou mulata, 1,60 de altura, cabelos médios escuros, olhos escuros e com um diferencial: sou gordinha. Isso mesmo estou acima do meu peso q não tenho nenhum problema com isso, afinal de contas sou feliz e muito gostosa (até hoje não ouvi reclamações) tenho os seios fartos e um bumbum bem avantajado que deixa os amantes das mulheres carnudas enlouquecidos. Essa história aconteceu comigo no período em que eu cursava faculdade aqui na minha cidade. Sempre fui muito festeira, extrovertida dessas que onde chega faz amizade. Ao longo do curso fui colecionando amigos que vez em sempre encontrava fora do ambiente acadêmico. Numa dessas ocasiões tive o prazer de estar na mesma festa que Pablo, um rapaz mais velho que eu ( na época eu estava com 25 anos e ele com 36), no entanto fisicamente ele não aparentava ter essa idade. Era um homem normal, corpo esguio, pele branca, olhos castanhos, cabelos curtos e um sorriso bem cativante. A gente já se conhecia, já tínhamos feito matérias juntos e tínhamos grandes amigos em comum, ao chegar na festa cumprimentei todos e fui me servir de uma bebida bem gelada pois fazia muito calor naquele dia. No decorrer da festa notei que Pablo sempre me encarava e quando notava que eu ficava um pouco sem graça ele respondia com um sorriso maroto. A festa foi acontecendo, a medida que o tempo passava ele e eu íamos nos aproximando, ate que lá pelas tantas estávamos conversando no mesmo grupinho de amigos. Conversávamos frivolidades até que o papo começou a esquentar e os rapazes mais animadinhos começaram a perguntar sobre as preferências sexuais das garotas. Como naquela galera todo mundo era amigo a gente respondia mais na zuação mesmo, até aquele momento, eu não estava com segundas intenções.

O tempo passou e as pessoas começaram a ir embora, como eu já tinha combinado com minha amiga dona da casa de dormir lá, fui para o quarto arrumar minha cama, quando estava me preparando para deitar ouvi alguém bater na porta do quarto, era o Pablo.

- Oi, desculpa, eu falei com a Laura e ela me disse que poderia dormir aqui, já que está muito tarde e eu vim sem carro. Posso dividir o quarto com você?

- Claro, fica a vontade, acho q aqui debaixo da cama tem outro colchão, pega ele para você.

Pablo tranquilamente pegou o colchão, esticou os lençóis e começou a se preparar para dormir, sai do quarto para ir ao banheiro e quando voltei, ele estava deitado no colchão no chão ao lado da minha cama, de bermuda e sem camisa. Apesar do avançado da hora não tínhamos sono, e começamos a conversar, falávamos de tudo inclusive da festa que havia ocorrido, o clima foi ficando envolvente até que Pablo levantou-se apagou a luz e sentou-se ao na minha cama. O papo foi ficando mais picante e comecei a sentir que ele levemente passava as mãos nas minhas pernas, ele começou então a massagear os meus pés, ficamos em silêncio e instintivamente fui relaxando, o toque de suas mãos era macio porém, firme, enquanto ele massageava meus pés e minhas pernas eu só conseguia respirar fundo, esboçando gemidos de prazer.

Pablo deitou-se ao meu lado, acariciou meu rosto e começou a beijar-me lentamente, um beijo molhado, profundo. Fui sentido sua língua percorrer minha boca, suas mãos deslizando sobre meu corpo. Eu passava a mão em suas costas e sentia o calor e a firmeza de sua pele, ele tinha um cheiro bom que me embriagava, me dando tesão.

Ele não encontrou resistência de minha parte, em pouco tempo eu já estava só de calcinha e sutiã. Pablo apertava meus seios, mordiscava meu queixo, meus lábios e respirava profundamente. Ele pegou minha mão e colocou-a em seu pênis que estava ereto, firme como uma rocha. Ai que delicia, eu não via a hora de tê-lo dentro de mim.

Ele foi descendo sua boca pelo meu corpo, sugava meus seios como um neném faminto, mordia minha barriga até que alcançou minha xaninha. Ai começou a me torturar, deitou-se de lado e com uma das mãos começou a tocar minha xoxota.

- Você gosta assim?

- Gosto, mas quero mais, seu gostoso.

- Então ta. Tira a calcinha para mim, tira que eu vou te levar para as nuvens gostosa, safada.

Pablo percorria toda extensão de minha bucetinha com os dedos, ele a abria, apertava, socava o dedinho nela. Passava os dedos na boca e voltava a me torturar deliciosamente. Esfregava meu grelinho com carinho e com cuidado, me fazendo rebolar.

-Isso gostosa, rebola bem gostoso para mim, quero ver como você goza.

E não demorou muito para uma onda de calor tomar conta de mim. Gozei deliciosamente, mas queria mais. Ele deitou-se entre minhas pernas e começou a chupar-me, passava a língua em minha xaninha, lambia tudo com calma, se lambuzava com o caldinho que escorria dela, castigava meu grelinho que estava super sensível, gozei novamente. Eu queria retribuir tanto prazer, então pedi a Pablo que ficasse de pé, de frente para mim. Sentada na cama segurei em seu pau e comecei a alisá-lo, mesmo na penumbra podia ver sua expressão de prazer e ouvir seus gemidos. Calmamente fui colocando aquele mastro na boca, lambia, beijava, brincava com ele. Esfregava a cabecinha enquanto lambia suas bolas. Enfiei o membro todo na boca, comecei a chupá-lo enquanto dava deliciosos beliscões em seu bumbum macio. Sentia aquele macho se contorcendo em minha boca, ele movimentava bem os quadris, estava louco se segurando enquanto fodia deliciosamente minha boquinha. Deitei-me novamente e ele veio por cima, agora eu apertava meus seios de encontro ao seu pênis, fazendo uma deliciosa espanhola, a cada esfregada a cabecinha de seu pinto encontrava minha língua molhadinha. Pablo não resistiu muito tempo e gozou nos meus seios.

Deitamos de conchinha e ficamos nos agarrando clandestinamente, novamente o desejo tomou conta de nossos corpos, ele esfregava o pinto em minha bucetinha, masturbando-me com seu membro quente e duro. Já nos encontrávamos em ponto de bala novamente, e dessa vez a coisa ia ser mais séria. Ele veio por cima e começou a ajeitar seu mastro na entrada da minha xoxota, lentamente começou a me penetrar, meu instinto me fazia remexer os quadris enquanto sentia aquela vara gostosa me preencher, que tesão.

Ficamos nesse papai e mamãe por um tempo, depois pedi para ele me comer de ladinho e fui prontamente atendida, enquanto ele metia a vara em mim, eu aproveitava e tocava em meu grelinho, e mais uma vez o gozo veio pleno, intenso, delicioso.

Agora era a vez dele de gozar, fiquei de quatro e a visão ampla que ele tinha de minha bunda o inspirava ainda mais, ele estocava com vontade, ia no fundo de minha buceta, eu rebolava e podia sentir todo o vigor daquele macho que estava me possuindo. As bombadas começaram a ficar mais fortes, seu gemido passou a ser mais tenso, pesado e sem cerimônia Pablo gozou forte, gostoso dentro de mim, quando tirou o pau pude ver que a camisinha estava cheia de porra.

Ele fez um carinho em meu rosto, me deu um sorriso carinhoso e safado e um beijo forte profundo, estávamos agradecidos mutuamente pelo prazer que havíamos recebido e proporcionado.


Esse conto foi escrito por Gordinha Gostosa e publicado inicialmente em: http://www.casadoscontos.com.br/texto/2012011300

sábado, 28 de janeiro de 2012

Novas experiências 3

ama8

Marih Assanhada

 Olá pessoal! Vou continuar relatando as minhas experiências sexuais com meu namorado.

Minha apresentação permanece a mesma pois eu não mudei então:

“Eu tenho 20 anos,moro em salvador-ba, tenho 1,55 de altura, peso 49 kg, sou morena, cabelo curto e encaracolado, tenho uma tatuagem enorme nas costas e o meu corpo é realmente muito atraente, pode parecer magra mas a minha médica costuma dizer que eu sou uma falsa magra pois tenho pernas grossas, principalmente a panturrilha, bunda bem redondinha e avantajada, somente os meus seios é que são pequenos (até demais pro meu gosto).”

O que vou relatar aqui é a primeira transa propriamente dita de meu namorado e eu. Vamos lá!

Estava chovendo então dessa vez não deu para ficarmos do lado de fora da casa de meu cunhado, então ficamos na garagem sendo amassados pelo carro. Meu cunhado que não é nada besta já deixou o carro aberto, então vocês imaginam o que aconteceu não é?!

Estávamos lá nos agarrando, nos esfregando e tava tudo tão bom. Eu realmente me esfregava nele. O encostava no carro, ele abria as pernas pois como eu sou baixinha seu pau fica na minha cintura, e eu me esfregava gostoso no pau dele. Eu abri a bermuda dele e comecei a chupá-lo daquele jeito bem gostoso e com muita vontade, dessa vez ele não me puxou e nem falou que ia gosar como vez da outra vez, ele só deixou rolar e eu percebi que ele ia gosar quando senti uma veia pulsando no seu pau e aí a porra jorrando na minha boca. Veio tão forte que eu me engasguei mas me controlei e continuei sugando tudo e bebendo tudinho. Ele se deliciou e quando eu terminei e levantei ele perguntou:

Ele – o que aconteceu? Você ia vomitar? Tava enjoada?

Eu – não! Foi que veio com tudo e eu me engasguei, só isso. Mas como sempre tava muito gostoso.

Ai ele me deu um selinho e começou a me acariciar com as mãos. Eu estava de saia (depois da primeira vez que ele me masturbou eu me acostumei a ficar de saia com ele ou então com shorts bem folgados) ele levantou uma perna minha e colocou a mão na minha buceta. Eu me arreganhei toda pra ele e ele tirou a minha calcinha do caminho, colocando ela de ladinho. Meteu um dedo, como eu estava toda lubrificada do tesão que foi chupar seu pau ele meteu logo o segundo dedo e começou a socar na minha bucetinha. Eu ficava louca e começava a falar no seu ouvido:

Eu – vai amor.. mete mais mete, vai que ta gostoso. Eu quero mais.

Ai ele meteu outro dedo e eu pensei, é agora!! Eu fiquei rebolando que nem louca na sua mão e roçando a minha outra perna no seu pau que já estava duro denodo. Quando passou uma mulher do outro lado da rua e ele se assustou, já ia tirando a mão quando eu peguei seu braço e empurrei os seus dedos denovo pra dentro da minha buceta. Ele ficou parado então falei no ouvido dele:

Eu – não tira! Se você tirar eu mato você! Eu quero gosar e você vai fazer isso agora.

Ele so fez balançar a cabeça dizendo que sim e socou os dedos com mais força na minha buceta. Tava tão gostoso que eu não agüentei muito tempo. Comecei a morder o ombro dele e gemer baixinho, me contorcendo toda de tanto prazer e gozei denovo com ele me masturbando. Ele ficou mais louco de tesão ainda e me empurrou na parede e me propondo:

Ele – vamos entrar no carro?

Eu – tá louco? Não dá certo! Vc é muito grande.

De fato ele é alto e musculoso e já não cabia direito sentado no carro quanto mais deitado. E agente já tinha tentado fazer isso uma vez depois de uma festa e não deu muito certo. Ele nem conseguiu tirar a calça. Mas aí ele insistiu e disse:

Ele – eu já pensei em tudo, vai dar certo é só você querer. Você quer não quer?

Como resistir a uma voz gostosa dessas e um corpo maravilhoso meu deus!!!???

Eu – sim eu quero! Vamos logo antes que eu desista.

Ele abriu a porta de trás do carro e pediu que eu entrasse. Entrei e já fui ficando meio sem graça e percebi que ele também estava, mas me pediu para eu sentar nele e eu obedeci. Encaixou certinho. Como eu sou pequenininha minha cabeça ficou rente no teto do carro o que nem me incomodava porque a maior parte do tempo eu ficava mordendo o ombro dele, o peito, o braço, então ficava coma cabeça curvada.

Ele se largou todo no banco segurando apenas minha cintura bem de leve, largou a cabeça para trás e fechou os olhos. Eu percebi o recado e então comecei logo. Bem devagarzinho massageando com a minha bucetinha o pau dele ainda coberto pela bermuda. Eu fui me excitando e então comecei a fazer isso com mais força e a cavalgar do seu colo e ele que até então estava quieto de olhos fechados começou a gemer com vontade e falar coisas que eu mal entendia. Ai ele disse pra eu esperar um pouco que ele ia colocar a camisinha. Ele tirou a bermuda, a cueca e pegou a camisinha que estava no bolso da bermuda. Eu já tinha tirado minha saia então só fiz tirar a blusa e ele se encarregou de tirar minha calcinha Box preta.

Ele ia me chupar mas eu não deixei e empurrei ele pra sentar de novo ele obedeceu rapidinho e eu logo subi nele. Fiquei me esfregando no seu pau nós dois totalmente nus e ele falou com uma voz quase que chorossa:

Ele – deixa eu colo car.. aaai.. a camisinha.. logo .. aiiaaii

E levantou a mão com a camisinha para mim. Mas eu estava gostando tanto de ver ele daquele jeito que abaixei seu braço e disse “espera, só mais um pouquinho. Deixa eu senti ele assim só mais um pouquinho.”

Ai ele assentiu com a cabeça e eu continuei me esfregando nele bem gostoso, ia devagar, depois rebolava com força e deixando ele louco. Mas o que eu não esperava é que eu fosse ficar tão louca quanto o estava deixando e bateu logo a vontade de sentir aquele pau gostoso dentro de mim, metendo da minha buceta. Mandei ele colocar a camisinha e ele o fez.

Como já falei em outro conto, minha buceta é bem apertadinha então é realmente difícil meter nele, sem minha ajuda homem nenhum consegue fazer isso. Ele tentou por si só mas o pau dele escorregou e foi parar na portinha do meu cuzinho. Ele se contorceu e relaxou quando eu peguei seu pau e coloquei no buraquinho da minha buceta. Enfiei a cabeça sentindo bastante dor e então cravei minhas unhas nele e fui descendo devagar. Ele tava suando, ele virava a cabeça pra trás, fechava os olhos e dizia:

Ele – vai amor.. me arranha! Me morde gostosa. Me morde logo vão. Mais forte.

E eu ia obedecendo ate conseguir relaxar e o pau dele foi entrando devagar na minha buceta. Quando eu senti que ele tinha entrado todo comecei a rebolar pra ficar mais confortável e ai comecei a sentir uma dor mais gostosa, mais excitante e ele começou a me apertar. Eu sabia que ele já ia gosar de tanto que eu provoquei ele e por minha bucetinha ser tão apertardinha que eu nem precisava fazer nada que ele já estava gostando e fazendo cara de que ia gosar. Então me empenhei em me satisfazer e fui rebolando até parar de sentir dor e comecei a cavalgar nele. Ele me apertava e se segurava pra não gosar e eu gemia baixinho no seu ouvido, urrava com vontade quando sentia dor mas tava tão gostoso que não demorou.

Eu comecei a sentir uma sensação maravilhosa me percorrendo o corpo e sentindo vontade de rir. Ai senti a pica dele pulsando dentro da minha buceta e sabia que ele tava gosando quando eu comecei a cavalgar mais forte e logo gosei também. Ainda fiquei rebolando na pica dele ate me satirsfazer totalmente. Então levantei só o suficiente pra tirar o pau dele da minha buceta e poder tirar a camisinha. Eu mesma tirei e amarrei e coloquei no canto.

Ficamos assim durante uns minutos só nos beijando. Quando eu resolvi me vesti pois estava ficando com sono. Enquanto nós nos vestíamos ele brincava comigo me acariciando e quando eu fui ver ele já tava de pau duro denovo. Ai eu fiz assim:

Eu – Amor.. você me deixa com gostinho de quero mais.

Ele – você quer? Eu já to preparado. E trouxe mais camisinha. É só você falar. – e riu

Pegou o pau com a mão me mostrando aquela maravilha toda dura com a cabeça já latejando e rindo pra mim. Eu quase caia de boca naquele caralho de novo, mas estava realmente cansada e pedi para ele ir embora que eu queria dormir. Nos despedimos e ele foi para a casa dele, eu entrei, tomei meu banho e fui pra cama. Dessa vez sem escovar os dentes pois queria guardar ao máximo o seu gosto da minha boca já que eu ia embora no dia seguinte pela manhã.

Depois disso não tivemos outras “ experiências” AINDA porque não tivemos oportunidade. Só ficamos nos esfregando de agarração. É só beijar ele que eu já fico toda meladinha. Mas estamos planejando algo bem gostoso pra próxima vez. Eu contei para ele uma fantasia que eu tenho e ele me contou a dele que é me comer de quatro. Então eu prometi a ele que se ele realizasse a minha primeiro eu realizaria a dele e do jeito que ele quisesse. Ele ficou louquinho e topou na hora.

Então aguardem que aí vem mais.

Aguardo os comentários de vocês. Obrigada e bjux

Sexo, Masturbação, Oral, Heterossexual ,conto de marih

sábado, 21 de janeiro de 2012

DORA

fuck_62

Conheci Dorinha no serviço .  Durante uma auditoria numa cidade do interior , fomos em duas equipes, eu e Dorinha eramos os mais velhos.
Ficamos hospedados no mesmo hotel e quando dava, almoçavamos juntos, um pequeno grupo alegre, eu, Dorinha, tres meninas e dois rapazes.
Dorinha era uma gordinha  casada , muito falante e bonita. Não era nem muito jovem, nem especilamente bonita, era uma mulher muito doce e muito atenciosa, logo ficamos amigos , ela era muito inteligente e era agradável conversar com ela. 
Nunca tiveramos a oportunidade de ficarmos a sós, nenhum de nós, era muito trabalho e faltaram oportunidades.
Um dia, todos tiveram folga. Todos, não... , eu e Dorinha tivemos que trabalhar num relatório complicado com pessoas de outras equipes. Não vou detalhar muito isso, porque não interessa. O importante é que nesse dia, almoçamos juntos, eu e ela e nos conhecemos melhor, finalmente, falando sobre vários assuntos.
Á tarde, eu levei serviço pro hotel e  após tomar banho, fui trabalhar e então lembrei que Dorinha tinha ficado com um pen drive importante pra mim. Liguei para o seu quarto e ela me pediu prá ir lá buscar.
Quando abriu a porta eu não contive um olhar de espanto e admiração.
Dorinha tinha acabado de sair do banho, ainda tinha os cabelos molhados e estava de bermuda de lycra e uma blusa de alcinha . Até então eu só a havia visto com roupas largas, terninhos sociais,nada que revelasse seu corpão sensual.  Eu não podia parar de olhar suas coxonas, coxas grossas e através da blusa um par de seios grandes. Além é claro, dos braços e ombros fartos, lindos.
Nem sei como conseguir prestar atenção ao que ela estava dizendo, enquanto me entregava o pen drive : " Desculpa não ter ido levar até o seu quarto, Gabriel, estou muito cansada, estou com preguiça até de dar um passo." Ingenuamente, pediu desculpas pela roupa que estava usando, pois estava se preparando prá dar uma cochilada.
Eu também estava de bermuda e camiseta e disse a ela que aquilo não importava. Meu olhar a comia com os olhos, fui ficando com muito tesão. Suas coxas e seus pés bem feitos, simetricamente perfeitos, com os peitos dos pés gordinhos me fascinavam.
Sem raciocinar muito , disse a ela : " deixa eu fazer uma massagem nos seus pés ".
Ela me olhou sem entender muito bem e disse que não precisava, mas eu já a tinha convencido a sentar-se na cama e já estava ajoelhado em frente a ela, pegando um dos seus tesouros nas mãos .
Comecei a massagear , seu pezinho era lisinho e gostoso de tocar.
Com carinho e um pouco de pressão, massageei seus dedinhos lindos e gordinhos por um bom tempo, todos eles, um por um, nos dois pés. Subia pelo peito do pé e apalpava a canela, a batata da perna, eu estava adorando..
"Meus pés são feios, ela disse, são gordinhos "
" São lindos , Dorinha, macios ..tá gostando da massagem ? "
" Tô, ela disse apenas.
Continuei a massagear , sentindo dedinho por dedinho, a sola, o peito gordinho e macio.
Nessa hora eu já estava bastante excitado.... toquei com firmeza a sola dos pés. .. .. como era macio...
Esfreguei sem pressa o vão de cada um dos dedos. Olhei firmemente em seus olhos , brilhavam, quis dizer alguma coisa mas entendi que palavras iriam estragar aquele momento mágico. Ela também não disse nada, apenas acompanhava com os olhos os meus movimentos.
Nem sei por quanto tempo fiquei massageando e acariciando aquelas delícias. Quando acabei, instintivamente, dei um beijinho no seu pé .
Ela me olhou e disse "obrigada, estava muito bom ".. Senti que Dorinha me olhava com um olhar, misto de curiosidade, perplexidade e  de "quero mais ", então eu disse prá ela se deitar de costas que eu ia fazer uma massagem nela.
Ela disse que não precisava , mas não foi muito convincente.
Perguntei se ela tinha creme hidratante e toalhas , ela disse onde estava.
Pedi prá ela tirar a blusa e deitar de barriga prá baixo, enquanto eu ia buscar .  Ela hesitou, mas obedeceu.
Quando voltei, meu pau latejava dentro da bermuda vendo aquela deliciosa gordinha,  na cama, prestes a ser tocada por mim. A bermuda de lycra revelava os contornos da bundona bem feita.. Ela era muito gostosaaaaa....
Desliguei a luz, ficando acesa apenas a luz do abajur ,
Eu menti descaradamente e disse a ela que sabia fazer massagem, que tinha cursos e que já havia trabalhado profissionalmente com isso. Ela também me mentiu descaradamente e disse que já tinha ouvido algumas pessoas no Banco comentarem isso.
Pedi permissão mas antes que ela disesse alguma coisa, soltei o soutien, deixando-a com as enormes e apetitosas costas nuas. Espalhei o creme nas suas costas , comentando com ar profissional que era um pena que não ser gel de massagem com esfoliante.
Comecei pelos ombros, apalpando, alisando e apertando, sentindo cada centimetro de sua pele. Eu me senti embriagado, comecei a perder a noção de tudo, em poucos minutos 'saí' da terra, esqueci de tudo, é como se fosse transportado para outro lugar.   Fiquei muito tempo apalpando e alisando seus ombros, braços e nuca  e desci pelas suas  costas, costelas, cintura, com mãos firmes e pressionando delicamente, quase como uma carícia. Eu estava tonto de tesão..
Perguntei se estava  bom e Dorinha disse que estava uma delícia..
Quando terminei as costas , fui tirando a sua bermuda, alegando que precisava massagear suas pernas e coxas. Ela protestou, então eu coloquei uma toalha sobre sua bunda e assim a convenci a me deixar tirar a bermuda. Eu tremia de desejo , ao descer a bermuda e revelar as coxas grossas e nuas. 
Coloquei creme nas suas pernas e coxas e repeti o procedimento nas pernas, na barriga da perna … na parte interna das coxas… as mãos iam deslizando com o creme hidratante… e acabavam cada vez mais perto da  calcinha, enfiando a mão por dentro da toalha. Demorei mais do que o necessário apalpando e alisando aquela região interna das coxas perto da xoxota, me deliciando ate que ouvi um discreto suspiro.
Pedi prá Dorinha virar de frente, dizendo que tinha que terminar a massagem nas coxas.
Instintivamente, Dorinha segurou o soutien, que estava solto na costas e colocou a toalha cobrindo a calcinha,deitando de barriga pra cima.. Pedi que fechasse os olhos e relaxasse.
Espalhei creme nas pernas e coxas e continuei massageando, apertando e apalpando e alisando as coxas, deslizando os polegares prá perto da virilha. Cheguei a sentir o tecido da calcinha. Meu pau deu um pulo dentro da cueca.
Espalhei creme pela barriga e no peito, subindo para entre os seios. Dorinha não reclamou quando tirei seu soutien, colocando outra toalha sobre os peitões. Aí me deliciei, fazendo massagem ali, contornando os seios. Até que minhas mãos escorregaram pelos seios, apalpando, por cima da toalha, com mãos firmes cheias de tesão. Dorinha não disse nada e eu continuei, por um bom tempo indo e vindo sobre seus seios com as palmas das mãos.
Do peito, escorreguei pelos seus braços, suas mãos, peguei na sua mãozinha, levei até minha boca e dei um beijinho nela.
Insandecido, tarado como estava, beijei muito a sua mão e comecei a chupar os dedinhos, um por um, com muito tesão, olhando-a . Ela só me olhava, sem dizer nada, deixando-se acariciar.
Ajoelhei-me ao lado da cama .E,  da mão , passei a beijar seu braço, ombro, até chegar bem perto do seu rosto , onde beijei desde a sua face, olhos, queixo e boca.  Estava quase sufocando Dorinha com meus  beijos  , eu estava quente de tesão, minha bermuda quase não suportava mais o volume da minha rola.
Beijei e chupei o pescoço dela, enquanto invadia sua calcinha com meus dedos famintos.
Abri a mão e apertei a buceta dela inteira, queria sentir aquele muco na minha mão. Passei o meu dedo na sua fenda, deixando ele bem molhado, enquanto devorava sua lingua.
Foram muitos beijos, alternados com chupadas nos seios , enquanto eu a masturbava lentamente. .
Depois fui descendo, passeando com beijos, chupões e lambidas por todo o seu corpão.
Chupei muito os seus joelhos, coxas, pernas, virei-a de costas prá mim de novo, lambendo e beijando desde a nuca até sua cinturona.
Arranquei sua calcinha num gesto quase bruto de tanto tesão, pegando em sua cintura e levantando sua bundona até que ela ficasse de quatro , então enfiei a língua em sua buceta e depois em seu cuzinho, me deliciando com suas entranhas. Fiquei chupando sua buceta assim, com ela de quatro , apertando suas nádegas, devorando sua xoxota, até que ela disse, bem baixinho :" delicia, vem, quero te sentir dentro de mim.."
Ao ouvir ela querendo ser penetrada, tirei a roupa, puxei-a pelos pés até a sua bunda chegasse na ponta da cama, seus pés chegaram ao chão e ela ficasse debruçada com a bunda empinada prá mim.
Então enfiei a cabecinha na sua vagina por trás, e empurrei devagar. Ela dizia :" devagar, amor, ai, seu pau é muito grosso.." Empurrei, puxando-a pela cintura de encontro a mim, até entrar inteiramente nela, sentindo minhas bolas batendo no seu rabo.
Falei um monte de bobagem no ouvido dela, e comecei um forte movimento de entrar e sair com bastante força, estocando firme, alternando entre rápido e devagar, enquanto amassava os peitões dela na cama.. Fodi Dorinha assim por um bom tempo, então ela pediu pra ficar por cima.
Deitei-me na cama, com a vara apontada para o teto e ela abriu as pernas e veio descendo, até sua xaninha gulosa engolir e sumir com meu caralho. Dorinha começou a cavalgar , contraindo a xoxota, apertando meu cacete, rebolava feito louca,  e começou a masturbar o grelinho gemendo deliciosamente. Parei de estocar debaixo pra cima e deixei que apenas ela se contorcesse sobre o meu pau enquanto ela se tocava.
Eu comia Dorinha com vontade, ela queria beijo, chupões no pescoço, nos seios e se masturbava com o meu pau todo dentro dela.
Então pude ouvir  : aiiii, vou gozar, vou gozar...
Sai de dentro dela e pedi pra ela gozar na minha boca...
Me posicionei no meio das suas pernas bem abertas,  abri bem a sua bucetinha e percorri ela inteira com a  língua, chupei  o clitóris inchadinho ... Ela gemia e se contorcia. Eu não parei , enfiei a língua lá dentro, e depois lambi ela inteira, até a virilha. Enfiei dois dedinhos , adorei senti-la contraindo meus dedos . Dedei e chupei ela até ela gemer bem alto, puxar o meu cabelo, e gozar na minha boca .. gemendo bastante .
Ela ficou meio estática na cama, recuperando o folego.
Com ela ainda toda melada, meio mole, com o corpo quente e o rostinho afogueado, deitei-me sobre ela, beijando a sua boca, o meu pau duro, de um jeito natural, encostou na sua xaninha, a cabecinha roçava seu clitoris, nessa altura, bem inchado.
. Ela pediu pra eu ficar roçando e enfiar bem lentamente.
Rocei o meu pau naquela xaninha quente enquanto segurava os seus peitões e a beijava na boca. Depois de um tempo assim ela pediu pra eu meter. Não pensei duas vezes e comecei a esfregar o meu caralho no grelinho dela bem devagarzinho. Ela começou a gemer ..
Fiquei louquinho e enfiei de uma vez. Ela me pediu pra deixar o meu pau lá dentro que era pra poder senti-lo dentro da sua  buceta. Ela dizia que assim tava sentindo tesão de novo.. Pediu muitos beijos, muitos chupões no pescoço, até me dizer que estava pronta prá gozar de novo.  Com o cacete dentro dela, deitei-me  sobre o seu corpo , rebolando lentamente enquanto a beijava mais um pouco. Algum tempo depois comecei o vai-e-vém. No início, devagar pra não gozar rápido, mas depois aumentei o ritmo. Ela controlava a situação de modo que gozasse primeiro. Depois de uns 20 minutos ela começou a gemer feito uma cadela no cio. Pirei quando ela soltou o primeiro grito de prazer. --too goozaandooo, ..Delirei. Eu não estava mais conseguindo segurar meu tesão, então decidi que era hora de gozar também. Algumas estocadas mais fortes e eu senti as primeiras contrações. Então fui eu que comecei a gemer e quando veio o orgasmo urrei feito um leão. Ela adorou..
Esporrei como louco na bucetona dela.. Ela não me deixou tirar o pau de dentro dela e ficamos nos beijando, até meu pau amolecer..
Depois fomos tomar banho juntos.. namoramos um pouco e dormimos.
De madrugada ela me acordou , dizendo que queria mais ..
Só aquelas quatro paredes sabem  o quanto trepamos naquela  madrugada,
enquanto tive forças para saborear o tesão da minha deliciosa gordinha...

Gabriel
narcisosantos@hotmail.com

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Novinha gostosa

 

 Olá pessoal aqui vou me chamar Monica, esse conto é totalmente verdadeiro e por isso quero preservar a minha imagem e de minha amiga, que aqui vou chamá-la de Ana.

Sou viciada em sexo, desde nova descobri que adorava chupar uma buceta gostosa. Tenho 30 anos tenho nível superior, meu trabalho, minha casa, enfim não dependo de ninguém. Minha família mora no interior do Acre e desde 16 anos moro em São Paulo. Logo quando cheguei aqui conheci Ana, uma garota linda 10 anos mais nova que eu, mas que mudou minha vida. Ana se fazia presente nas horas mais difíceis da minha vida, me apoiou me ajudou e meu amor e carinho por ela apenas crescia ao passar do tempo.

Ana é linda tem um corpo que muitas mulheres pediram a Deus, um rosto delicado, lábios carnudos sedutores... Na véspera da sua formatura de conclusão de ensino médio ela veio até mim para entregar-me o convite da festa. Me abraçou forte e convidei-a a entrar pois estava muito frio nesse dia, ela disse:

_ Entro só se fizer chocolate quente para mim...

_ Eufórica respondi que faria o que quisesse.

Minhas pernas tremiam, ela estava linda com seu short jeans curto e sua regada verde contornando seu corpo, eu estava maravilhada com aquilo, queria muito tela comigo, mas sabia que qualquer aproximação comprometia a nossa amizade, definitivamente não queria aquilo. Ela logo ligou a TV passava um filme como de costume no meio da tarde, fui para cozinha preparar o chocolate quente, menos de 15 minutos voltei para a sala com duas xícaras e uma vasilha com biscoito.

Ela disse:

_ Por isso que te amo, minha gostosa.

Eu apenas sorri, sabia que não havia malicia naquelas palavras, olhava-a intensamente, aqueles olhos transmitia paz, passava-me segurança, excitação estava ficando louca, imagens eróticas não saia da minha mente, aquela menina mulher no meu sofá, me provocava sensações nunca sentidas antes. Com a voz meia roca disse:

_ Vamos comer e assistir no meu quarto, aqui está muito frio.

_ Você que manda. ? Disse Ana.

Fomos direto para meu quarto, disse que iria tomar um banho, pois ainda não tinha o feito e estava muito cansada do trabalho. Já passava das 18 horas. Demorei o Maximo que pude no banheiro, queria ela a noite comigo. Sai numa grande toalha, vesti uma calcinha estilo Box e uma grande blusa. Estava absolutamente cheirosa. Ana estava maravilhosa em minha cama, super a vontade. sentei ao seu lado e começamos a comer, liguei a TV e coloquei num canal de filmes, conversamos, rimos, tomamos nosso chocolate, que a essa altura não estava quente (risos). Ela me perguntou se não tinha alguma bebida quente para tomarmos eu disse para ela caçar um filme na TV ou na gaveta e colocar no DVD, enquanto eu buscava o vinho. Quando cheguei no quarto ela estava deitada de barriga para o coxão assistindo atentamente a um filme erótico de lesbicas.

Disse:

_ Garota está maluca? Tira isso daí. ? Fiquei envergonhada mas estava gostando da situação.

_ Cadê o vinho? Quero uma taça estou feliz, quero comemorar com minha melhor amiga. Alias Monica tenho muita sorte em ter você na minha vida, você é muito mais que uma amiga, meu desde o dia que te vi sabia que nós daríamos certo. Você é espetacular uma mulher invejável, linda, independente, delicada, forte, amorosa, bem sucedida financeiramente e acredito que também emocionalmente.

Fui surpreendida com aquelas palavras, entreguei a taça com o vinho e encarei-a intensamente, não sabia o que dizer, não sabia se ela estava sentindo carinho, amor uma forte amizade, ou se me queria como mulher assim como eu queria ela. Mil coisas passaram por minha mente, definitivamente queria aquela mulher nos meus braços.

_ Obrigada Ana, você também é incrível. ? Disse apenas.

_ Senta aqui e vem assistir comigo? Ah e me da mais vinho.

_ Chega de vinho, meu amor... Se sua mãe te pega bêbada o que vai achar de mim? ? Disse sorrindo.

Deitei do seu lado na cama e comecei a assistir ao filme com ela. Ela estava arrepiada, sua pela estava fria, peguei o cobertor e partilhamos do mesmo. Me virei para abraçá-la, sua bunda ficou encostadinha na minha buceta, aquilo estava me pirando a cabeça. Os gemido das atrizes do filme minha respiração em seu pescoço. Não agüentava mais. Comecei a acariciar seus braços, mãos, desci pelas costelas e voltei para o braço. Estava totalmente molhada. Comecei a acariciar sua barriga sua coxa linda e definida, queria mais, porém tinha que agir com cautela para não assusta-lá. Acariciai entre suas coxas, bem de leve, ela gemeu. Aquilo foi como um sinal verde, onde eu poderia ir adiante. Ela virou-se e nada disse, desabotoei seu short e coloquei minha mão dentro de sua mini calcinha, estava totalmente molhada, meus dedos deslizaram facilmente, comecei a tocar seu grelho calmamente, ela geme de novo. Aquilo estava me matando de tesão. Tirei minha mão de sua buceta e coloco dentro de sua boca, ela chupa um por um... Tiro meus dedos e a beijo longamente bem de leve, o beijo vai perdendo o controle penetro minha língua em sua boca e permito que a sua também entre na minha, chupo seus lábios, sua língua. Ficamos por muito tempo degustando do sabor uma da outra. Tirei minha boca da sua e beijando o pescoço, orelha murmuro em seu ouvido:

_ Te quero, te desejo a muito tempo, te quero mais que uma amiga, sinto tesão por você, na verdade estou apaixonada. Quero que você me pertença. Deixa eu te amar?

_ Deixo, estou esperando esse momento desde que te conheci.

Tirei sua blusa beijei a pele que ficou a mostra, tirei o sutiã beijei seus seios, que peitinho maravilhosos, nossa cai de boca como uma criança faminta, chupei suguei como se quisesse tirar leite daqueles peitos, ela se segurava nos lençóis e gemia gostoso, chamava meu nome, até que segurou minha cabeça como se pedisse que chupasse mais forte. Eu estava louca, com a perna entre as pernas de Ana eu mexia para cima e para baixo sentindo seu leitinho no meu joelho, ela gemia em meu ou ouvido pedido para não parar. Ela chupou meus peitos enquanto beijava seu pescoço, ela estava sob mim, com a mão na minha calcinha tentando me tocar, tirei-a rapidamente e deixei-a brincar com minha buceta. Com um lenço amarrei suas mãos na cama e comecei a chupar de leve seus seios, ela começou me xingar pedindo para come-la de uma vez, beijei sua barriga, passei a língua do pescoço até sua buceta bem de leve ela gritou, implorando para parar a tortura. Desci e comecei a beijar o interior de suas coxas, beijando, lambendo, chupando com muito cuidado, mordi sua virilha, ela gritou de prazer pedindo mais. Abri sua buceta e comecei a lamber o grande lábio mordendo de vagar e lambendo, até chegar no seu grelho que estava duro e totalmente para fora, comecei a lamber e logo cai de boca. Chupei, com força colocando e tirando meu dedo de sua buceta, ela gemia alto pedia mais, gritava implorava para fazê-la gozar. Peguei uma cadeira tirei minhas roupas e me toquei na sua frente, chupava meus peitos enfiava com vontade os dedos na minha buceta, queria vê-la louca ela gritava e gemia como uma gata no cio. Soltei seus braços chupei sua buceta até sentir as contrações e vê seu caldinho escorrendo pelas pernas. Ela tinha gozado. Continuei chupando ela media que parasse, pedia para deixá-la respirar, mas não conseguia continuei chupando-a, mas dessa vez chupava mais forte ela grita e goza novamente em minha boca. Coloquei Ana de quatro comecei a chupar aquele cu maravilhoso, beijei coloquei saliva e comecei a masturbá-la por trás com a outra mão coloco no seu cu forçando a entrada. Melo meu dedo com seu melzinho e coloco novamente em seu cu, dessa vez entra facilmente. Ela gemia muito alto, dei um tapa em sua bunda que a fez gritar de dor e excitação. E jorrar todo seu leite em mim.

Cai exausta na cama e ela começou a me chupar, fui mostrando os melhores caminhos para ela que logo mostrava muita pratica no que fazia, eu simplesmente queria mais, apertava sua cabeça na minha buceta, ela penetrou 2 dedos e me chupou gostoso... Lambeu disse que iria gozar ela retirou seus dedos e colocou sua língua chupando todo meu prazer. Ela vira-se colocando aquela bundão na minha cara, queria um 69 coloquei logo 2 dedos no seu cu e 2 dedos na sua buceta enquanto chupava aquela gruta vermelha e úmida, quente... Ela me chupava e enfiava 3 dedos na minha buceta, não demorou muito gozamos juntas derramando muito prazer pelo corpo.

PESSOAL POR HOJE É SO, ESPERO QUE TENHAM GOSTADO... SE SIM COMENTEM, NÃO SOMENTE O MEU, MAS TAMBÉM DE MEUS COLEGAS ESCRITORES. OS COMENTÁRIOS ESTIMULAM QUEM ESTÁ ESCREVENDO.  BEIJO ( http://www.acervodecontos.com/lesbicas/novinha-gostosa/)