terça-feira, 26 de julho de 2011

KÁTIA

gifs_speed_002

Escrito por Gabriel - narcisosantos@hotmail.com

Quando eu conheci Kátia, ela era corretora e eu estava procurando um imóvel prá alugar.
Minha agenda era complicada e porisso, passamos quase uma semana olhando apartamentos, em horários possíveis aos dois.............
Kátia era gordinha , linda, farta, gostosissima , de seios enormes e apetitosos , tinha uma bunda grande e roliça., bastante arrebitada.Foi tesão à primeira vista..............
A convivencia trouxe afinidade entre nós. Devo dizer que a despia e a comia com os olhos, sem procurar disfarçar. Volta e meia ela me flagrava olhando para sua bunda ...........
No terceiro dia, almoçamos juntos, tomamos sorvete, conversamos, rimos,nos demos ao direito de tomar uma garrafa de vinho e eu me senti a vontade para conversar sobre mim, meus desejos, sonhos, fantasias, etc...Ela também ficou à vontade e acabou dizendo que embora fosse casada, era um pouco exibicionista, pois , apesar de gordinha, ela percebia  qaundo estava  sendo desejada pelos homens e isto a agradava e a deixava  excitada. Me disse que quando saia para fazer compras, principalmente sozinha, tambem colocava  um pouco do seu exibicionismo em prática, usando vestidos que realçavam  sua bunda, e ficava lisonjeada  em saber estar sendo desejada. Apesar desse comportamento ligeiramente exibicionista , Kátia me disse que nunca cedeu a nenhuma cantada. .............
Senti que ela disse isso, talvez me prevenindo no caso de eu sentir vontade de cantá-la.
Nesse dia, em especial, ela estava muito gostosa e meus olhares estavam mais tarados do que nunca.. Kátia vestia uma calça apertada, desse tipo de tecido que cola no corpo, como uma segunda pele e com os costumeiros decotes. Sua bundona arrebitada se projetava, poderosa..............Nesse dia ela me levou para ver um imovel que estava sendo alugado já mobiliado. Era uma pequeno apartamento, bem aconchegante, com uma bela vista para a cidade. .............
Ela me mostrava o apartamento com euforia, abrindo cada armário e elogiando cada peça ..
No quarto, tinha um armário embutido muito bonito, com prateleiras do teto ao chão...
Para abrir as portas do maleiro, situado bem proximo ao teto,era preciso subir em uma pequena escada de aluminio..Kátia subiu na escada para me mostrar a praticidade do maleiro,, porém, como era baixinha, tinha que esticar o braço pra abrir os armários..Num desses movimentos, suas pulseiras de ouro ficaram presas a um puxador quebrado..E ela então ficou sobre a escada, com um braço esticado preso no armário e não conseguia se desvencilhar, pois o outro braço não alcançava...E ainda tinha medo de quebrar a pulseira,.
Eu disse a ela que não se preocupasse, porque eu iria soltar a pulseira. para isso ,,,subi na escada, me posicionando bem atrás dela, para alcançar seu braço.............
Confesso que demorei mais do que o necessário para soltar a pulseira, porque sentia sua bundinha quentinha e macia.no meu membro rígido..Com o movimento de desvencilhar a pulseira, eu esfregava meu membro nela..Inebriado pelo meu tesão e pelo seu perfume, fui alojando meu membro cada vez mais...........
Soltei a pulseira e desci da escada mais rápido que ela, pra poder então segura-la pela cintura e coloca-la no chão...Quando desceu, ela me agradeceu mas me olhou com ar de reprovação,. Era impossivel para mim, esconder meu membro visivelmente duro...........
Ela corou e meio sem jeito, arrumou uma desculpa para ir embora rapidamente......
Marcamos para o dia seguinte, no inicio da tarde. Me surpreendi a ver Kátia

chegar, ainda mais bonita..havia se preparado como quem vai a um encontro,

tendo colocado um vestido clarinho, solto, até o joelho, estilo tomara que caia

............
Ela me levou para ver um outro apartamento, mas depois eu lhe disse que

gostaria de continuar a ver  o mobiliado do dia anterior .......
Logo que entramos, o celular dela tocou, ela me pediu desculpas e disse que

realmente precisava atender, me pediu para ir olhando todos os comodos, e se

dirigiu para o pequeno terraço que ficava na suite.................
Ao invés de de olhar o apartamento, fiquei olhando-a. Ela estava de costas

para mim, eu a comia com os olhos, desde o pezinho gordinho até a bundona

redonda. Ela debruçou-se sobre a grade da varanda e arrebitou assim a

bunda.. Ainda falando ao celular, percebeu que eu estava olhando, sorriu prá

mim e voltou a posição original. .........
Eu encarei aquilo como uma provocação, eu estava tonto de tesão, não

conseguia raciocinar..
Aquela bunda me hipnotizava.......
Juntei-me a ela na varanda, coloquei a cabeça no ombro de Kátia,

murmurando qualquer coisa sobre a beleza da paisagem que , realmente,  era

magnifica.. Ela respondeu apenas concordando. Eu passei a mão pelo seu

ombro e vim descendo a mão devagar, até tocar os seus quadris, então

lentamente fui me apertando de encontro ao seu corpo, deixando que ela

sentisse a minha ereção, cada vez maior.............
Ela protestou,  dizendo que não fizesse aquilo pois era casada ,disse que isso

não estava certo.., eu ia lhe apalpando e dizendo que não me importava..Ela

ainda protestava e tentava se soltar dos meus braços fortes, ...eu continuei a

lhe apalpar.. segurando seus seios e encostando o membro em sua

bundona...Ela só dizia, "para, para por favor..."..eu lhe dizia : "não fala nada.."

Eu elogiava seu corpo, dizendo que não havia dormido pensando nela, que

estava louco de tesão por ela.................
Sempre a mantendo presa segurando firmemente sua cintura, lhe  abraçando

por trás, roçei  a barba  de leve por suas costas, deslizando sem pressa, da base

da nuca até o ínicio das costas, enquanto minhas mãos deslizavam pelas coxas

por baixo do vestido. Enquanto minha  boca molhada deslizava entre lambidas

e mordidas, eu a  encoxava, mordia seu ombro e sussurava "gostosa, tesão, te

quero "' em seu ouvido..Ela ainda protestava,  e eu a acariciava sem pressa, a

encoxava, mordia seu ombro e sussurava "Rebola, vai" em seu ouvido,

esfregando o pau  cada vez mais duro contra sua bunda, , suspirando e

gemendo .........
Ela continou protestando, tentou se desvencilhar, entrou  no quarto,mas eu a

alcancei,  e antes que conseguisse sair ,  a segurei pelo braço, puxei-a , segurei

seu rosto com as duas mãos, bem firmemente e enquanto ela falava " por favor,

me solta, sou casada, pára..",eu a calei com um beijo firme nos lábios.. Ela 

apenas recebeu meu beijo, então eu a beijei novamente . Encurralei-a ,

apertando-a contra a parede .....Eu a olhei e beijei novamente agora

longamente, e deixei minha mão vagar pelos seios dela, acariciando seus

mamilos, mesmo por cima do soutien. ....Ao fim de cada beijo, ela protestava,

porém cada vez mais debilmente.Até finalmente, ela parou de falar , me

deixando chupar sua lingua , e até colocou  a mão na  minha nuca (e isso me

arrepiou)...... Falou então que eu tinha "vencido" , que não devia estar falando

aquilo, mas que era uma mulher que adorava sexo e estava sendo mal comida

e que meus olhares a estavam deixando excitada. Me chamou de safado e disse

que eu beijava muito gostoso.
Foram mais inumeros beijos, quando nos abraçamos, nos esfregando. .Eu

mordi a sua orelha, acariciei sua bundinha, lambi, beijei e mordisquei seus

mamilos por cima do soutien...Ela gemia baixinho .. Desci com as mãos e os

lábios pelas suas pernas, levantando seu vestido ...Beijamo-nos novamente e eu

a despi, lambendo cada pedaço daquele corpo delicioso....Seus seios tinham

auréolas enormes que eu suguei longamente até senti-los duros na minha

lingua..........
Lambendo-a , joguei-a  na cama, e vim  beijando suas coxas enquanto puxava

para baixo sua calcinha. Lentamente, com a boca, fui explorando a parte

interna das suas coxas,  lambendo sua virilha, explorando tudo até se deliciar

com sua bucetinha que já começava a ficar  molhada.... Ela se deixava levar

pelas minhas carícas, eu a, me virei de bruços, minha   lingua descia pela

lombar, beijava suas lindas e grandes  nádegas,  abrindo com as mãos sua

bundinha enquanto a lingua vinha descendo pelo meio, lambendo , rodelando

a língua pelo cuzinho ...Eu a ajeitei para que ela empinasse mais a bunda,

enfiando dois dedinhos na  bucetinha e aproveitando o melzinho pra lubrificar

o rabo... A virei de frente de novo, lambi sua barriga redonda ajoelhei-me em

frente a ela,  coloquei suas pernas no meu ombro e mordi, lambi e chupei a

parte interna de suas coxas, Chupei toda a região próxima a sua xaninha,

deixando marcas roxas.
Talvez mesmo sem querer, ela gemeu .Quando alisei sua bucetinha com a

língua, ela se contraiu e gemeu mais forte .
Eu me afastei então, tirei toda a minha roupa , e voltei a beijar sua boca .

Agora ela correspondia aos meus beijos com tesão.. Deitei-me sobre ela, apenas

encostando meu pau duro na sua xoxota, chupando seus seios. Ela se

contorcia de tesão , acariciando minha cabeça, despenteando meus cabelos Eu

desci com a língua pela sua barriga, seu umbigo e suguei seu grelinho até ela

não agüentar mais e gritar : “ me fode !!!”
Eu a beijei novamente, deitando sobre ela.  Então ela se apertou em mim ,me

puxando pelo pescoço,  me beijando loucamente , rolamos pelo chão. Ela

deitou-se sobre mim, gemendo, mordendo o lábio inferior. “ Que tesão !” ela

deixou escapar..
Ela me manteve embaixo dela,abriu bem as pernas, esfregou a cabecinha do

meu pau no seu clitóris, já inchadinho de novo de  tesão. Aos poucos, foi

recebendo todo o meu pau dentro de sua buceta.Gemeu um pouco, e foi

subindo e descendo sobre mim, rapidamente. Depois diminuiu o ritmo e

recomeçou com toda a força e rapidez. Eu a estocava, de baixo pra cima,

enlouquecido. Mas ela parecia possuída pelo capeta, rebolando em cima da

minha vara como uma cadela., sussurrando um monte de palavrão.. Sua

bucetinha se contraia apertando meu cacete, me fazendo estremecer...
Aumentamos o ritmo, ela pulando sobre mim. Eu gritei “ gostosa  “.. Ela soltou

um grito longo e descompassado..e virou-se com a bunda arrebitada para mim

..  Ficou de quatro , me esfreguei nela,  sua bunda roliça ficou arrebitada. ,

alisei-a, . E dei um tapa bem estalado, que fez seu corpo balançar...Xinguei-a

novamente e bati de novo..Deslizei a língua pela sua nuca, suas costas, suas

nádegas, lambi o anelzinho de seu cu . Gosto de chupar a mulher assim , de

quatro, porque consigo alternar a buceta e o cuzinho. Eu sabia do que ela

precisava. E adoro chupar
Lambi seu cuzinho, comprimi a língua sobre ele, enfiei a língua dentro de seu

cuzinho, Ela não parava de se masturbar,  rebolando. Ao sentir a minha

língua, suspendeu mais um pouco a bunda. Apontei  o pau para o seu 

cuzinho e empurrei devagar.,   puxei-a pela cintura de encontro ao meu pau e

empurrei a cabecinha.  Ao sentir o impacto , ela gritou..:Bati de novo em suas

nádegas e forcei mais: “ ai que apertadinho, que tesão”, eu disse, De olhos

fechados, ela tateava sua xoxotinha, dizia sentir dor e tesão.. Puxei-a pelo

cabelo e bati novamente em sua bunda. Ela gemia, ..Seus dedos faziam carícias

agressivas no seu grelinho, eu forçava mais um pouco enquanto mordia suas

costas e apertava seus seios..
Ela se contraia, .. Forcei mais um pouco. Kátia  me olhou e gemeu : “  me

arromba, põe tudo !” 
Fui pondo devagar, lambendo e beijando suas costas, com as mãos

acariciando seus seios.. “ Isso, me fode !, acaba comigo  “ , ela disse..   Enterrei

mais fundo e agressivamente. Mais rápido vi o cuzinho dela engolir meu

caralho , eu comecei a estocar mais rapidamente e ela gemeu mais alto. "- me

xinga !! me xinga !!" ela disse.
Puxei-a pelo cabelo ,e lhe xinguei de puta, de vadia, de piranha, enquanto meu

pau rasgava sua carne macia. Ela aumentava o movimento de seus dedos

friccionando sua buceta, Eu puxava seus cabelos e estocava selvagemente, ela

se movia no mesmo ritmo que eu.. Eu já estava com o pau todo metido na sua

bunda, com as bolas do saco batendo em suas nádegas.. mas queria entrar

mais e mais..
Ela estremeceu e gozou convulsamente, gritando de prazer. Eu parei de mexer

,sentindo-a  se contorcer , gozando , até que não consegui segurar mais e

explodi num orgasmo louco dentro dela, apertando-a pela cintura, me

contorcendo , urrando seu nome . A cada jato de esporra eu apertava mais e

mais a cintura dela. Deitei-me sobre ela, com o pau enterrado, até me drenar

todo prá  dentro dela.  
Depois a abracei e beijei sua boca longamente, acariciando seu corpo..
Aos poucos, depois de muitos beijos, comecei a lamber e beijar todo o seu

corpo, e voltei a chupar sua xaninha, e ela começou a gemer de novo..
Foi  quando tocou o celular na sua  bolsa, e comigo ainda lhe chupando

loucamente, ela  atendeu  ofegante, era o marido dela dizendo que estava indo

buscá-la e  perguntando porque estava ofegante. Ela lhe disse que havia

acabado de subir pela escada e desligou logo.
Me olhou, puxou-me pelos cabelos e disse : "não pára "..
Eu continuei a chupá-la, sem pressa, passei minha língua na buceta e comecei

a mordiscar seu grelinho. Ela se contorcia de prazer.
Chupei os lábios da buceta, lambi, chupei o grelo, enfiei dois dedos dentro dela

e pude sentir a pressão de sua buceta. Que delícia... ela apertava os meus

dedos com a buceta... Estranhamente , quanto mais ela apertava mais prazer

eu sentia.
Comecei a lamber seu grelinho inchadinho de tesão. Ela rebolava , gemendo de

olhos fechados e  dizia: - Vai, amor, no grelinho, chupa meu grelinho... eu

chupava, chupava, esfregava com a língua, fodia ela com os dedos, ela 

apertava a minha cabeça contra a sua buceta e dizia sem parar " que língua

gostosa... "...
Ela estava totalmente subjugada, sendo chupada  alucinadamente quando seu

marido ligou novamente e disse que estava esperando-a na portaria do prédio. 

Ela respondeu que já estava descendo, sua voz estava trêmula.
Puxou meus cabelos e abriu ainda mais as pernas "- me faz gozar ", ela disse ,e

aí eu fiz o queria com ela : mesmo com o seu marido  esperando- a , sem pressa

; eu lambi, chupei, enfiei sabe deus quantos dedos na sua buceta, Com a língua

ainda na buceta, comecei a acariciar o cuzinho de Kátia.
Ela estava totalmente entregue e me fez enlouquecer de verdade. Enfiei um

dedo na  buceta, outro no cuzinho e fiz pressão como se levasse um de

encontro ao outro... ela urrava de  prazer..  ela gemia  e gozou 

compulsivamente,. Como ela gozou ! Vendo aquilo, eu não conseguia parar e

fui chupando e masturbando-a com mais e mais força. Só parei quando Kátia

empurrou minha cabeça prá longe da sua buceta molhada.. A umidade

brilhava nos seus pelinhos e  em suas coxas.
Kátia levantou-se rapidamente, me beijou e se trocou rapidamente. Eu também

me troquei e descemos. Durante toda a descida no elevador eu ainda a

bolinava obscenamente, beijava , chegando até a  levantar seu vestido .

Descemos para a garagem e ela saiu  e subiu  para o térreo pela escada,

ajeitando o vestido, No meio do caminho,  parou, tirou a calcinha e me deu e

me beijou , enquanto eu punha a calcinha no bolso.
Passou a mão pelos cabelos e foi encontrar o marido , ainda com as coxas

úmidas e sem calcinha.
Nos dias seguintes um outro corretor veio me atender, não tive mais

oportunidade de me encontrar com Kátia, tenho saudades das loucuras

daquele dia.

domingo, 17 de julho de 2011

MARCELA

 

conto de Gabriel
narcisosantos@hotmail.com

Conheci Marcela por acaso, num sábado à tarde , depois de uma semana de palestras cansativas . Era uma cidade do litoral e eu ainda não tinha ido na praia.
O dia não estava ensolarado, mas estava agradável para caminhar.
A praia estava vazia, parei num quiosque ,conversei um pouco com os atendentes e sentei.
Uma gordinha parou também no quiosque.Logo trocamos olhares , ela tinha um olhar atrevido e alegre. Era uma mulher baixinha, de seios grandes e pernas grossas, morena, de cabelos curtos, simpática.
Ela começou a conversar com o dono do quiosque, e logo eu estava no meio da conversa e sem perceber, saimos caminhando e conversando.
Marcela era muito simpática e  falante , fomos andando e conversando amenidades, sobre nossas famílias, amigos, nossas vidas profissionais, enfim, sobre quase tudo.
Marcela era casada, mas naquele fim de semana estava sozinha. O seu marido estava pescando em alto mar e levou seu filho e seu genro. A sua filha estava com os netos, na casa da sogra e Marcela não se dava bem com ela. Ficou um tempo falando sobre a sogra da filha, sobre os filhos, netos, etc.
Caminhavamos à beira da praia quando começou a chuviscar e depois a chover.
Tão rapido quanto veio o primeiro pingo , desabou uma aguaceira que nos deixou molhados. Mal tivemos tempo de procurar um abrigo.
Estavamos com a roupa colada no corpo, deu pra ver o contorno do delicioso e exuberante corpão dela, debaixo do vestidinho florido, que ia até os joelhos. Percebi que Marcela trazia um maiô por baixo.
- Que pena, ela disse, o papo tava tão bom . Estou molhada, agora tenho que ir pra casa.
Eu  lhe respondi que o papo não teria que acabar. Convidei-a para continuarmos a conversa no meu hotel, já que estava hospedado ali perto. A gente ficaria conversando enquanto eu ia pedir pra a camareira secar a sua roupa;
Ela disse que não seria bom, que ela era casada, que não estava certo.
Eu ri e argumentei : - o que você vai fazer agora ? aposto que vai pra sua casa, vai ficar sozinha  vendo televisão.. E prossegui, vendo que ela hesitava : vem comigo, a gente pode tomar um lanche  no hotel , beber um vinho e conversar mais um pouco.
Ela argumentou , mas sem muita convicção. Peguei-a pela mão e fomos para o hotel, Entramos pela área de serviço, e no quarto, disse que ela podia tomar um banho . Arrumei uma roupa pra ela. A única coisa que consegui arranjar foi um robe com o logotipo do hotel, um roupão  . Ela entrou no banho, peguei a sua roupa e pedi pra camareira lavar e secar..
Quando ela saiu do banho, estava muito sem graça por estar vestida com aquele roupão e eu sabia, sem nada por baixo. Estava se achando horrorosa, eu lhe disse que ela estava bonita . Tomei meu banho, já excitado com o que poderia acontecer e vesti um  roupão  também, pra ela não se sentir tão mal, eu disse. Só que eu vesti uma cueca.
Pedi um lanche leve, vinho e champagne. Ela riu, achou muito "chique" estar num sábado à tarde, tomando champagne , de robe " mesmo que seja um robe de banho ",ela disse.  .
Eu ri também , bebemos e conversamos.Ela me falou sobre a cidade, seu olhar tinha um brilho delicioso, Peguei na sua mão e disse que era muito bom ter lhe encontrado. Ela me disse novamente que estava se achando ridicula vestindo aquela roupa  , que a estava deixando mais gordinha.. 
- Você está deliciosamente provocante. , eu respondi.
Ela sorriu e disse, que mentira, Gabriel..
- Não é mentira não, você está muito atraente.
- Deixa pra lá, ela disse, me serve mais champagne..
E continou conversando amenidades, como se eu não tivesse falado nada.
Durante o lanche e após algumas taças da bebida, ela me olhava e ria, já bem mais desinibida.
Lanchamos e nos levantamos , no meu quarto tinha uma pequena varanda, e ficamos vendo a chuva batendo na praia, agora bem forte..
Tinhamos acabado uma garrafa e abri a segunda.. Servi-a e ficamos conversando, olhando a chuva. Coloquei a mão no seu ombro, sob o pretexto de lhe mostrar alguma coisa. Ela não disse nada, mas colocou a sua mão sobre a minha.  Bebemos nos olhando , então tirei a taça da mão dela, sempre fixando meu olhar no dela.
A principio foi só um roçar de lábios,nossos lábios se buscaram lentamente e ao sentir aquela língua na minha boca, meu corpo inteiro estremeceu...Sua boca era gostosa demais, ela passou os braços ao redor do meu pescoço e correspondia, loucamente.
Aprofundei mais o beijo, e puxei-a pela cintura, colando meu corpo no dela. Apertei-a . Abracei-a mais forte ,puxando-a mais para mim..
Voltei a beijá-la com mais  ímpeto dessa vez, como se quisesse devora-la. Fui empurrando Marcela até encostá-la na parede.  Enfiei a mão por dentro do roupão , afundando a boca no seu pescoço, mordendo-a de leve, ao mesmo tempo em que ia lhe apertando mais contra a parede, falando que ela era gostosa, que eu estava louco por ela, etc.  Pouco tempo depois, ela agarrou a minha cabeça, puxando, obrigando-me a aprofundar mais o beijo. Meu pau latejava de tesão por dentro da cueca.
As carícias e os amassos já haviam aberto um pouco seu roupão. Comecei a tocar seus seios bem devagar, fazendo-a gemer contra minha boca, passei minhas mãos pela sua barriga e fui descendo mais até seus quadris, colocando minha coxa bem no meio das suas pernas.
- Não consigo mais me controlar, eu disse, quero transar com você.
Em resposta, ela me beijou.  Suguei sua língua  enquanto sentia que  ela se esfregava lentamente, na minha coxa. Senti sua xaninha quente e macia se esfregando na minha coxa.
- Que tesão, eu dizia, entre beijos e beijos.
De repente, ouvimos um telefone tocar. Era o celular de Marcela.
-
Ela teve que usar de toda a força para se livrar do meu abraço.
- Gabriel, tenho que atender. Desculpa.
Sua voz saiu fraca, ofegante, e eu não queria que ela saisse dos meus braços. Ela entrou no quarto e foi atender o telefone, sem desviar o olhar de mim..Era o marido. Instintivamente,Marcela fechou o roupão.
Enquanto conversava com o marido, falando sobre a chuva e perguntando como estavam todos, eu me encostei atrás dela, colando a boca no seu pescoço.
Ela se afastou de mim e eu a deixei conversando.
Quando desligou o telefone, ela me pediu desculpas, disse que eu era muito legal, mas que tinha que ir embora, que não estava certo.
- Será que já lavaram a minha roupa ?, ela me perguntou, levando a mão até o telefone do hotel.
Peguei na sua mão,com força. - Não vai, eu disse. Fica comigo.
E sem dar tempo dela pensar, abri o seu roupão. Os seios saltaram, volumosos e exuberantes. Fui empurrando-a para a cama, tentando beijá-la. Ela reclamava : para, Gabriel, é sério, pára. E afastava a boca sempre que eu ia beijá-la.
Mas consegui subjugá-la e comecei a dar curtos beijos no seu pescoço, começando pela orelha e com o tempo, comecei a passar a minha lingua tesuda no seu pescoço. 
- Para, Gabriel ela disse..  Tentou me afastar , mas eu não dei atenção., chupando, lambendo e beijando o seu pescoço, enquanto tocava seus seios com as mãos.
- Me beija, eu pedia, e ela negava, tentando se desvencilhar.
Coloquei seus braços para trás, para seus peitos ficassem empinados e comecei a sugar seus mamilos duros e grandes, ora um , ora outro, ia alternando com chupadas, mordidelas e mais chupadas fortes e firmes, chupei com vontade, com tesão,com sede,sem pressa  até sentir seus biquinhos duros como pedra e ela não conseguir  conter um gemido.
Voltei à sua boca e dessa vez ela correspondeu novamente aos meus beijos, como antes, enfiando a lingua dentro da minha boca .  Isso me arrepiava e me dava um enorme tesão. Soltei os seus braços e mãos que eu havia pressionado contra o colchão e deslizei a mão pela sua barrigona, de pele macia, acariciando virilha e coxas, voltando a sugar seus seios.
Finalmente ela disse :
- Delicia, ela dizia.. se você encostar sua mão em mim lá embaixo agora,eu acho que gozo... faz tempo que não tenho um carinho assim.
Encarei aquilo como se fosse uma ordem. Imediatamente, voltei a beijá-la com mais paixão, com mais furor, chupando sua lingua, enlouquecido.
Agora enquanto eu a beijava, enfiava a mão por dentro das suas pernas, massageava o grelinho, ouvindo-a gemer baixinho.
Desci a lingua pela sua barriga, beijando e lambendo. Podia ver toda a sua xaninha, deliciosamente gordinha. Eu lambia a parte interna das suas coxas, depois olhava bem nos olhos dela. Fui descendo e começando a chupar a sua coxona, depois a virilha, lambia a marca de seu biquíni até chegar então lá. Passei a língua por toda a buceta e um dedo brincava com o seu clitóris. Desci a lingua até o cuzinho e voltava para os grandes lábios , enfiei um dedinho na buceta, enquanto chupava o grelinho, que agora já  estava durinho e inchadinho. Ela gemeu mais forte, segurou a minha cabeça entre as coxonas e com a minha boca colada no seu grelinho, ficou gemendo com minhas chupadas. 
Suas pernas tremiam, ela gemia deliciosamente.
De repente, afastou minha cabeça da sua buceta , e me disse , ofegante: - vem me comer

Foi quando ela enfiou a mão por dentro da cueca, e colocou o meu pausão pra fora.
Pegou nele e o masturbava mexendo na cabecinha enquanto continuava a me beijar.
Toquei seus seios, sentindo que estavam durinhos  .
- Me come, ela disse.
Tirei a roupa ,segurei meu pauzão, duro que nem pedra e comecei a passá-lo pela sua entradinha. Esfregava-o no grelinho depois brincava com o pau na portinha da buceta agora mais encharcada do que nunca .
Passei pra cima e pra baixo, sentindo sua bucetona melada.
- Te quero dentro de mim, vem, ela sussurrava.
Eu mordisquei os biquinhos do seio,ora um ora outro, beijava a sua boca , so encostando o pau na sua buceta, sem enfiar.
Chegava a começar a enfiar e tirava. Tava muito gostoso, sentir a maciez da bucetona
- Enfia logo, amor . Quase sendo uma ordem
Entao comecei a enfiar bem devagar. primeiro a cabecinha e depois o resto aos poucos, entre beijos na boca..
- Delicia, ela dizia. eu gemia de tesão e a chamava de gostosa..
Logo nossos corpos estavam colados e eu sentia a sua buceta contrair o meu caralho que tinha duplicado de tamanho. Meu pau latejava e eu urrava de tesão 
- Mais forte, ela pediu.
O pau entrou todo e comecei a me movimentar dentro dela, devagar, saia e entrava.
Ela gemendo de prazer, começou a masturbar o grelinho.
eu entrava e saia dentro dela sem parar;;
- Ahhh... Delicia...
Sua respiração ofegante. Ela contraia a buceta para me apertar dentro dela .
Eu urrei de prazer e aumentei a velocidade,  e cada vez mais forte entrando e saindo.
Os seios volumosos dela se esfregavam no meu peito  com os biquinhos durinhos.
- Quero gozar, amor, ela disse.
Trocamos de posição e ela ficou em cima de mim. Meu pau desapareceu rapidamente engolido por sua buceta quente e úmida. Começaram as contrações
Comecei a estocar a buceta dela de baixo pra cima, martelando
Ela começou a me cavalgar muito gostoso, nem rápido nem devagar,  sempre olhando profundamente em meus olhos e eu admirando aquele rostinho gordinho e vermelho.
Ela apoiou uma das maos no meu peito e com a outra se masturbava gemendo muito... ..
Até que ela disse que ia gozar, e senti sua buceta contrair o meu cacete . Ela judiava o grelinho, com o meu pau todo dentro dela..Espasmos, tremedeira ,ela começou a gemer :
- vou gozar, ai que delicia , ahhhhh tesão... Gostoso... Hummmm... toooo gooozanndooo  - ela gemia ,se requebrando sobre meu pau. Eu não resisti aqueles espasmos, aquela bucetinha macia apertando o meu pau e gozei loucamente,urrando..
Esporrei gostosamente dentro dela e ela pediu pra ficar dentro dela até amolecer.
Abraçamos-nos fortemente, nos apertamos ainda com aquela sensação em nossos corpos. Depois nos beijamos.
Ficamos por uns instantes abraçados, relaxados sentindo aquela sensação de alívio e de prazer.
Depois ela saiu de cima de mim e ficamos deitados de barriga pra cima, tentando respirar.  
Ficamos um tempo mudos curtindo o restinho do prazer
Ouvindo a chuva acabamos dormindo.

-------- *------------* --------------

Acordei, tomei banho , pedi um lanche. Ela acordou sorridente, tomou banho, ligou para a filha, conversou com os netos, tentou ligar de novo para o marido e não conseguiu. Depois  comemos e  ficamos conversando um pouco, ela deitada e eu sentado ao seu lado.
Ela tinha colocado o roupão de novo, mas tinha ficado meio aberto, mostrando um pouco dos seus seios.
Enquanto conversávamos ,eu comecei a massagear seus ombros, abaixei um pouco o roupão deixando os ombros à mostra. Marcela tinha ombros deliciosos, costas largas, ombros gordinhos, que dava vontade de morder. Massageei seus ombros, deitei-a de bruços,
tirei o roupão e desci massageando as costas, as coxas, as nádegas, as pernas, seus pezinhos de dedos gordinhos. Comecei a lamber seus dedos, chupando um por um e olhando para a deliciosa gordinha ali deitada.  Subi então a boca pelas pernas, pelas coxas grossas que se abria para as minhas carícias.
Enquanto chupava e beijava e lambia a parte interna das suas coxas, pude sentir o cheiro e o gosto da sua buceta  . Marcela rebolava bem gostoso enquanto eu chupava aquela buceta suculenta, enfiava minha língua nela e sentia que aos poucos ia ficando mais e mais molhada.
Marcela  não conseguiu pronunciar uma só palavra. Ela gemia loucamente e isso me deixava ainda mais louco  . Queria ver aquela gostosa gritando de prazer com a minha boca atracada na buceta. Enfiei a minha língua o mais fundo que pude e fiquei metendo e tirando. Fazia o que ela me pedia.....chupava, lambia, já estava quase sem fôlego de tanto que ela rebolava com a buceta na minha cara. Abri totalmente os labios da sua buceta e enfiei dois dedos dentro dela, enquanto chupava o seu grelinho. Ela se contorcia e gemia.
Quando sentiu os dedos dentro dela, ela começou a fazer um vai e vem bem gostoso e eu continuei  chupando e lambendo o seu grelo.
A cada lambida que eu dava ela jogava o corpo para trás e soltava gemidos excitantes... foi quando senti o corpo dela estremecendo e pude sentir a primeira gozada dela na minha boca.  Ela gemeu alto ... Depois  ficou  parada me olhando, com um sorriso de moleca, como se estivesse agradecendo o prazer que tinha sentido. Puxou meu corpo para cima do seu ,  acariciou meu rosto e me pediu um beijo . 

Dessa vez foram beijos lentos, mas com muito tesão. Ela murmurava com a língua dentro da minha boca: - Me chupa mais, me chupa mais... vou  gozar de novo! Mergulhei no seu pescoço , chupando muito , beijando os seios, a barrigona , lambi a parte internas das coxas, ela ficou arrepiada, abri ainda mais as pernas dela, passei minha língua na buceta e comecei a mordiscar seu grelinho. Ela se contorcia de prazer.

Passei a ponta da língua no seu clitóris, e fiquei  fazendo movimentos muito curtos, passando a língua levemente, de cima para baixo. Depois comecei a chupar toda a buceta , muito molhada , e fui aumentando a intensidade, como se quisesse colocá-la toda na sua boca. Ela gemia, cada vez mais excitada, e ficava levantando as ancas, fazendo seu clitóris encontrar minha  boca. Enfiei a língua na buceta e ela gemeu ,delirando de prazer. Depois vim  com um dedo e meti na sua buceta , enquanto a língua continuava a acariciar o clitóris. Logo a seguir meti  outro dedo. Marcela dançava desornedamente  com aqueles dois dedos dela dentro dela,  seguindo movimentos cada vez mais velozes,

Continuei chupando e lambendo o grelo cada vez com mais intensidade, até o momento que Marcela disse : “Gabriel , vou gozar na sua boca!”,
Eu não conseguia responder, porque estava me deliciando com aquela xana, mas gemi..
Ela começou a fazer movimentos de vai e vem na minha boca e gozou bem gostoso , gemendo muito,  deixando a minha boca toda melada, que ela beijou, sentindo o seu gosto. 
”Ai, Marcela, que bucetinha gostosa”;, eu disse.

- Delicia, nunca fui chupada assim.. ..to mole, to mole...
Marcela estava com as maçãs do rostinho gordo avermelhadas e estava ofegante.
Esticou-se na cama, me olhando. Fiquei um tempo apenas olhando-a, feliz pelo prazer que ela estava tendo.
Um tempo depois, ela ficou de joelhos na cama , aproximou o rosto do meu e disse:
- Voce me fez gozar muito gostoso, vou te dar um presente..
Ficou de quatro,arrebitando a bundona exuberante , e disse :
- Come meu cú..
Eu estava com muito tesão, abri bem as nadegas e lambi o cuzinho dela.
" Enfia o dedo, enfia”;ela pediu ..
" Enfia, tesão", ela dizia enquanto eu mordiscava sua bundona e meu dedo entrava e saía do seu cuzinho. Coloquei  a cabeça do pau na porta da bunda e fiquei  esfregando, Marcela suspendeu  mais a bunda, ficando toda arrebitada.
”Vai, meu cavalo, come ! come a bundinha ,que ela é sua ”
Eu tentei, seu cú era deliciosamente apertadinho. Enfiei a cabeça.
Primeiro Marcela falou que era a minha putinha, pra eu  a comer como uma égua, pra enfiar tudo. Quando eu empurrei um pouco mais fundo ela começou a gemer de dor, disse que estava sentindo muita dor, pediu desculpas, tava quase chorando e pediu pra eu tirar.
" Tira, Gabriel, não to aguentando " . Tirei , o pau pulsava de duro, grosso. 
Ela estava ofegante. segurou o pau duro e disse, me olhando docemente : 
"Goza na minha boca, amor,goza ", ela disse,
Fiquei de barriga pra cima, ela ajoelhou entre minhas pernas.  Chupava bem gostoso, passando a linguinha pela extensão dele. Marcela segurou meu pau, me olhou e começou a chupar a cabecinha. Continou me olhando e enfiou o pau todo na boca.
Começou a me masturbar rapidamente, senti o gozo percorrendo todo o meu corpo, ela não tirava os olhos de mim enquanto me chupava. Eu tava arrepiado, pronto pra gozar..
Vou gozar, quase gritei.
Ela acelerou a punheta e ficou sugando . Eu dei um tranco pra trás, quase quebrando a cama. O primeiro jato bateu na sua boca, ela cuspiu e continou me masturbando, a porra lambuzou a sua mão que segurava o pau. Mas a ejaculação não parou, continuei lançando, jato após jato. Ela me punhetava com força, apertando o meu pau, eu grunhia e esperneava pela cama. Ela ordenhou as ultimas gotas que pularam do pau e escorriam pelos seus dedos. Era uma doce tortura, nunca tinha gozado tão gostoso assim. Tive que pedir pra ela parar .
" Delicia ver voce gozar assim, amor, ela disse ", alisando meu pau, que pulsava ainda.
" É voce, Marcela, voce é deliciosa, desde que te vi na praia que fiquei com vontade de te comer "  
Me deu uma sensação de torpor, e fiquei totalmente mole, não queria pensar em nada, puxei-a para mim e fiquei beijando-a. Ela ficou segurando meu cacete até amolecer.
------------
Ficamos assim, nos acariciando até que anoiteceu e ela se preparou  então para ir embora mas eu  queria ainda muito mais....
Beijamos-nos mais uma vez e naquele momento não conseguimos dizer um ao outro o que tínhamos sentido, mas nossos olhares falaram por nós.
Ela segurou o meu pau e me masturbou até que ele ficou  duro e sussurrou, me olhando docemente : vem, me come.....