sexta-feira, 8 de abril de 2011

PAULA E O COROA

2006091502

autor desconhecido

Meu nome é Marcos e tenho 40 anos, o nome de minha esposa é
Paula, ela tem 38 anos, estamos casados há 14 anos, Depois daquela nossa primeira experiência, a Paula passou a sair com Seu Carlos sempre que ele vinha fazer compra na nossa cidade, na manhã que ele chegava, ele ligava para a Paula, marcavam aonde iam se encontrar, para depois irem separados para o estacionamento, evitando que fossem visto juntos, do estacionamento iam direto para o motel.
  Assim que combinavam tudo, a Paula me ligava avisando que ela e o Seu Carlos iam sair, dando os detalhes do que tinham combinado, como ele chegava na parte da manhã, antes do almoço eu já sabia que ela ia trepar e que ia ter a buceta dela cheia de porra, tinha que me agüentar até a noite,
morrendo de tesão.
   Durante três meses isso a aconteceu normalmente, até que um dia a Paula me liga por volta das quatro horas da tarde, dizendo que estava chateada porque o Seu Carlos tinha acabado de ligar, dizendo que tinha que voltar urgente, tinha acontecido um acidente na fazenda e que não ia poder passar a noite na cidade, que tinham que deixar o encontro para outro dia, que já
estava arrumando as coisas para ir embora, mas disse que ia passadinha lá para casa para se verem antes dele ir.
Falei para ela que tudo bem, como não podíamos fazer nada, o jeito era esperar para a próxima vez.
Mais tarde chego em casa, achando que ela ia estar chateada, mas ao invés disso ela estava muito alegre, estava deitada no sofá e me esperando, pediu um beijo e disse que tinha uma novidade para me contar.
Falei que contasse logo, então ela me falou que o Seu Carlos tinha
acabado de sair da nossa casa, falei que sabia que ele ia dar uma
passadinha lá, então ela me falou que ele ficou em casa mais de quarenta minutos, que quando ele chegou, ela disse que estava sozinha e convidou ele para entrar, ele ficou com medo, mas ela disse que os meninos estavam na escola e que eu ia demorar para chegar do trabalho.
Então ele entrou, conversamos um pouco e depois começamos a nos beijar, o pau dele ficou duro, eu fiquei cheia de tesão, levei ele para o levei para o nosso quarto, dizendo que queria que me comesse ali mesmo, ele ficou mais excitado com a idéia de me comer na mesma cama que eu dormia com meu marido, depois que foi embora deitei aqui no sofá, para que a porra não
escorresse, guardei ela para você.
Falei que não acreditava que ela tinha feito isso, então ela falou enfia a mão por baixo da saia e da calcinha e sente como ela está toda melada e depois cheira para ver se não é porra.
Fiz o que ela pediu, e ela não estava mentindo mesmo, cheio de tesão, falei para irmos para o quarto que era para eu sua bucetinha esporreada, no quarto me mostrou a nossa cama toda desarrumada e as manchas de porra no lençol, a que tinha vazado da  buceta e outra com a porra  que escorreu do pau dele quando sentou na cama.
Tiramos a roupa, apreciei o estrago na buceta dela,estava mais aberta que das vezes anteriores, e a porra estava mais espessa, fizemos um belo sessenta e nove, chupei a buceta deixando ela limpinha, depois  fodi sua bucetinha, até gozarmos gostoso.>
Depois ela perguntou se eu tinha gostado, disse que tinha adorado, só não imaginava que ela teria coragem de fazer isso na nossa cama, que tinha achado o máximo.
Perguntei se ela ainda não tinha coragem de dar para outro na minha frente, ela falou que os três juntos ela não se sentiria confortável, mas se eu pudesse ver sem participar, ela toparia, pois sabia que eu ia estar morrendo de tesão, vendo ela foder com o outro.
Falei que já vinha pensado nisso a algum tempo, só não tinha falado porque achava que ela não toparia, principalmente porque teria que ser na nossa cama, mas diante dos fatos, era só por em pratica.
Perguntei se ela tinha notado que o nosso armário embutido tinha aquelas telinhas de ventilação nas portas e que dentro do armário pelos furinhos dava para ver a nossa cama, o meu plano era simples, se ela convencesse ele a comer ela e novo na nossa cama, eu ficaria no armário enquanto eles trepavam, ela falou que toparia desde que prometesse que não faria nenhum
barulho e ficasse trancado para evitar que a porta se abrisse por acidente.
Começamos a amadurecer a idéia, vi qual era a melhor posição, dei um jeito de ajeitar as coisas dentro armário, para ficar mais espaçoso e confortável, combinamos que deveria ser a tarde, para termos certeza que nossos filhos estariam na escola. Passamos um tempo analisando o plano, até termos certeza que era viável, enquanto isso, ela saiu mais duas vezes à noite com ele.
Então combinamos que na próxima vez seria em casa, conforme nosso plano, no dia que ele ligou ela falou que eu estava viajando e por isso não ia podia sair a noite, porque tinha que ficar com nossos filhos, que o único jeito era trepar em casa como da outra vez, ele topou, combinaram que o melhor horário era lá pelas quatro horas da tarde, depois me ligou para avisar que estava tudo acertado, ia ser naquela tarde.
Logo após o almoço arrumei uma desculpa e fui para casa, aproveitei e dei uma boa checada em tudo, depois ela tomou um banho se arrumou, eu fiquei só de cueca, por causa do calor que ia passar dentro do armário, ficamos esperando ele chegar.
Ouvimos a Pick-up chegando, vimos que era ele, fomos para o quarto e ela me trancou no armário e saiu e foi recebe-lo, logo os dois entraram no quarto já se agarrando, se beijando e logo estavam sem roupa, ela pediu para ele dar uma lavadinha no pau, foi com ele para o banheiro e quando passou pelo armário me mandou um beijinho, voltaram foram para a cama e eles começaram com um belo sessenta e nove, o pau dele acaboude endurecer na boca dela, até que ficou bem duro, realmente ela era mais grosso que o meu, então ela foi por cima dele, fazendo questão de ficar frente para onde eu estava, ajeitou o pau na portinha da buceta,  sentando nele foi rebolando até receber aquela pica inteirinha na buceta, só deixando o saco de fora.
Depois começou a subir e descer por um bom tempo, depois mudou de posição ficando de costas para mim e tornou a sentar nele, inclinando o corpo para frente para que visse a  buceta bem arreganhada com o pau enterrado nela, quando viu que ele estava para gozar, saiu de cima para que ele fodesse ela na posição de papai e mamãe, que era como ele gostava de gozar, ele foi por cima dela, ajeitou o pau e enterrou tudo nela.
Era uma visão incrível, ver outro homem em cima da minha mulher e saber que estava com pau enfiando nela e logo estaria gozando e enchendo ela de porra, eu estava me controlando para não gozar, então ele começou a urrar, enterrou fundo nela, segurando o pau lá no fundo, vi sua bunda contrair, indicando que ele estava esporreando dentro dela, repetiu mais três vezes,
enquanto ela gozava também, pedindo para gozar bem fundo e encher ela de porra, depois ele saiu de lado e eu pude ver o pau meio duro saindo de dentro dela.
A cena que eu via era maravilhosa, minha esposa com as pernas abertas, com a buceta arreganhada deixando ver o buraco bem aberto e dentro dele escorrendo uma boa quantidade de porra, melando nossa cama.
Descansaram um pouco, então ele falou que ia embora, assim não daria muito na vista, ela concordou, ajudou ele a se arrumar e só de calcinha foi com ele até a porta, voltou no logo par me soltar, cai de buceta dela, queria sentir o gosto da porra quente, que eu acabara de ver ele por dentro dela, me delicie chupando buceta dela, ela acabou gozando na minha boca e depois gozou de novo no meu pau, descansamos e nos vestimos porque já estava na hora dos meninos chegar da escola.
Falou que tinha adorado trepar comigo espiando, tinha ficado com mais tesão e perguntou se eu tinha gostado. Falei que tinha adorado, que mais tarde ia querer comer ela de novo.
Estamos dando um tempo para fazermos de novo em casa, enquanto isso ela continua saindo com ele a noite
__________

Gente, o meu blog é nosso !! Se alguém quiser participar e postar com a gente é só me comunicar por email que eu convido.. Você pode publicar seus contos, ou contos que vc gosta. Fantasias, textos trazidos das salas de bate papo, vale tudo…

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Conte sua fantasia