quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

MEU AMIGO ME COMEU DENTRO DA MINHA CASA

autor desconhecido

Olá, caros leitores ................

É a primeira vez que publico algo tão pessoal da minha
vida num site, mas de tanto ler e me excitar com os contos que leio, achei que seria legal relatar este fato que me aconteceu.


11 Bom... Deixe-me apresentar: meu nome é Carla, tenho 27 anos, casada e feliz no casamento. Morena (sempre bronzeada), corpo esculpido com muita malhação, seios médios e bundinha arrebitada....
Agora vamos ao que interessa! Como já disse, sou casada, meu marido, o Mauro, é lindo, maravilhoso e saudável. Na cama, inventa uma fantasia a cada dia, me satisfazendo cada vez mais! Só que eu sou muito safada, sedenta de sexo o tempo todo. Já tive um casinho extra com um cara que conheci, mas faz muito tempo.
Há muito eu já não o traio, ou melhor, traía.
Esse fato vem acontecendo desde o início deste ano
(2003). O fato é que temos (eu e meu marido) um casal
de amigos muito chegados, o Pedro e a Lia; sempre
saímos juntos e eles estão sempre em nossa casa
e vice-versa.
Já havia percebido em várias ocasiões que o Pedro me olha de uma forma gulosa, como se quisesse testar o meu tesão. Ele é um belo homem, desperta o tesão de qualquer mulher. Moreno, de pele clara, olhos cor de mel, cabelo raspadinho, belas pernas e uma bunda... huummmm...
Sempre correspondo aos olhares maldosos dele, tentando disfarçar a excitação a cada olhada.
Cada vez que saímos juntos, nós quatro, é uma sensação inenarrável, sinto um calor por dentro que é uma loucura! E o melhor, sei que sou correspondida.
17
De certo tempo pra cá, venho percebendo que ele tem ido
além de olhares promissores, suas investidas tem sido
mais audaciosas. Comecei a perceber isso no reveillon
deste ano, onde fomos os quatro e mais alguns amigos,
para uma praia da zona sul do Rio. Eu usava um vestido
branco, que ficou transparente depois que me molhei no
mar. Na hora da virada, em meio àqueles fogos e aos
cumprimentos dos amigos, ele veio falar comigo,
desejando um feliz ano novo e  dizendo que esperava que neste ano um grande desejo dele e meu fosse realizado... Achei graça daquela ironia, achei que era efeito da bebida que todos nós já havíamos consumido, mas pude sentir o volume do pau dele bem próximo a minha bucetinha... Fiquei muito excitada! Tive que dar boas sarradas no meu marido pra me acalmar. rs...
Desse dia em diante, ele sempre falava uma gracinha, jogando charme pra mim, mesmo quando estava sóbrio, me provando que estava consciente do que havia dito no reveillon. No meu aniversário, em abril, ele e a mulher vieram à nossa casa. O presente deles foi uma belíssima lingerie, que segundo a própria Lia, foi ele quem comprou porque ela estava sem tempo e ele leva jeito pra isso por comprar sempre pra ela.
Como eu já esperava, na primeira oportunidade ele falou
quase sussurrando no meu ouvido: "quero vê-la usando o meu presente!". Dei apenas um sorrisinho sacana e ele entendeu. E assim suas investidas foram ganhando cada vez mais audácia...
Até que em maio, meu marido precisou passar 5 dias fora do Rio, numa viagem de negócios. Como Pedro e Lia sempre estavam conosco, se colocaram a disposição
para fazer companhia durante este período em que Mauro
estivesse viajando. Ele foi numa quinta-feira e só
voltaria na terça-feira seguinte.
No sábado, Pedro e Lia me ligaram convidando para ir com eles à praia no domingo e depois almoçarmos juntos. Achei a idéia ótima, mas disse que estava sem carro, pois Mauro havia viajado com o meu, pois o dele estava na oficina. Lia prontamente disse que iriam me buscar no horário combinado. Passei o sábado fantasiando mil coisas com aquela belo homem, marido de minha amiga, sabendo que não passaria de fantasias. Mas aqueles belos olhos, que tanto me apreciavam me deixavam louca de tesão e não estava sendo fácil resistir. Fui ao salão, me depilei por completo.
18 Pois bem... Havíamos combinado às 9h da manhã, e conforme dito antes, eles viriam me buscar em
minha casa. Para minha  surpresa, às 8:50h, meu telefone toca e era Lia, avisando que Mauro estava vindo me buscar porque ela, como sempre, havia se atrasado e não queria que eu ficasse esperando. Perguntei se ele já havia saído de casa, ela respondeu que sim. Pensei rápido (já prevendo que alguma coisa poderia acontecer) e respondi que ele que iria me esperar um pouquinho, pois eu também havia me atrasado!
Rimos e ela disse que não haveria problema, pois assim daria tempo de ela ajeitar suas coisas com calma. Nos despedimos e desligamos o telefone, enquanto eu já imaginava: "não acredito que terei a oportunidade de ficar a sós com o Pedro...!
". Tratei de colocar meu menor e mais sexy biquíni, sem saia ou short por cima, só o biquíni mesmo! Passados uns 15 minutos, ele buzinou em meu portão e, percebendo que eu não o atendi, tocou meu interfone; ao que eu atendi e pedi que entrasse, pois eu estava terminando de me arrumar. Sem titubear, ele fechou o carro e entrou. A porta da sala estav a aberta, e eu na cozinha, enchendo a garrafa térmica de água e gelo para levar pra praia. Ele entrou dizendo: "Tô entrando, héim!", ao que eu
respondi: "Entra" Tô aqui na cozinha!". Quando ele entrou na cozinha e me viu vestida daquela maneira, veio me cumprimentar com um beijinho safado no rosto e sussurrou: "Que isso?! Tudo pra ir comigo à praia?"; eu, com um sorrisinho no rosto respondi: "Com você e sua esposa, seu bobo!
". Rimos da brincadeira. Pedi desculpas pelo atraso, e ele disse que esperaria o tempo que fosse necessário, devido a visão que tinha. Mais uma vez rimos. Ele vestia apenas uma sunga e um short por cima, sem camisa. Eu já estava muito excitada tanto por ver aquele homem maravilhoso à minha frente, como por estar me exibindo pra ele, deixando-o louco de tesão. Perdi a noção e comecei a me exibir cada vez mais, empinando a
bunda para pegar alguns objetos, passando bem perto
dele... até que percebi o volu me do seu pau ereto sob o short. Ao ver que eu havia percebido, disse sacanamente: "Olha o que você faz comigo..."; ao que eu respondi: "Mas eu não fiz nada..." e pensei: "Ainda...!".
Foi quando ele, vendo que eu cederia a primeira cantada, disse: "Você sabe que eu sou louco de tesão por você, não sabe? Sabe que por diversas vezes vou pra cama com a Lia fantasiando você comigo, não sabe?"; e enquanto dizia isso, se aproximava com olhos gulosos de mim. Eu não me fiz de rogada, e com a bucetinha toda molhadinha, pulsando de tanto tesão, correspondi ao delicioso beijo que ele me deu. Como beija bem aquele homem... Enquanto nos beijávamos calorosamente, suas mãos percorriam todo o meu corpo e as minhas faziam o mesmo no corpo dele.
19
Nossa!! Como era gostoso sentir aquelas mãos nas minhas costas, na minha bunda gostosa, na minha barriga, nos meus seios... até chegar a minha bucetinha, que ele começou a acariciar ainda por cima do biq
uini... Ele afastou a parte de cima do meu biquíni
(tipo "cortininha") e começou a chupa-los
fervorosamente, enquanto com a mão direita ele
acariciava minha bucetinha toda meladinha, por baixo da
calcinha do biquíni. Eu me contorcia toda e pedia pra
ele não parar, que eu estava adorando. Ele foi
descendo, descendo até chegar sua boca bem próxima da minha bucetinha e segurando o biquíni pro lado, começou a chupa-la de uma forma como eu nunca havia sido chupada pelo Mauro. Quando anunciei que iria gozar, ele disse: "Goza gostoso que eu quero sentir o teu
gosto". Nunca havia gozado tanto em tais circunstâncias. Para retribuir-lhe o prazer que ele havia me proporcionado, pedi a ele que sentasse, pois agora seria a minha vez de sentir o seu gosto. Ele obedeceu e eu só abri sua bermuda, abaixando sua sunga e iniciei um majestoso boquete naquele pau que mais parecia uma rocha, de tão duro. Ele gemia e pedia:
"Chupa, gostosa... Chupa o cacete do teu mac ho que tanto sonha com isso...". E quanto mais ele pedia, mais movimentos eu fazia com a boca e com as mãos naquele pau imenso. Não demorou muito e ele explodiu num gozo maravilhoso, dizendo que há muito tempo a Lia não o fazia gozar chupando o pau dele.
Engoli toda a sua porra, fazendo-o sentir o próprio
gosto num beijo molhado que demos em seguida. Mas ainda não estávamos satisfeitos. Eu ainda estava muito
excitada, molhadinha e meladinha e o pau dele ainda
estava duro! Que homem! Ele desamarrou apenas um lado do meu biquíni de lacinho e, me segurando pela cintura, colocou-me sentada na mesa. Tirou o short e a sunga e começou a esfregar o pau na entradinha da minha bucetinha, que latejava pedindo que ele a penetrasse logo. Aquilo estava me enlouquecendo e eu pedi: "Me come. Come minha bucetinha que está pedindo o seu cacete, vai...". Tão enlouquecido quanto eu,
ele meteu tudo de uma vez, me arrancando um gemido
delicioso. Começou então alternando com movimentos leves e estocadas bem fortes. Me segurava apertando a minha bunda e se curvava para chupar meus seios simultaneamente. Estávamos loucos de tesão,
gozamos e nossos corpos estremeceram juntos. Ele urrava enquanto gozava e eu gemia gostoso no seu ouvido.
22
Extasiados, nos lembramos de que a Lia nos aguardava
para irmos à praia. Fomos rapidamente ao banheiro, só
pra tirar o gosto de sexo que nos rodeava, trocamos
mais algumas carícias e saímos. No caminho até a sua
casa, fomos falando muitas sacanagens, o que prometia
um próximo encontro ainda melhor do que aquele. Quando
chegamos em sua casa, Lia já estava no portão e, sem
maldar nada, apenas exclamou: "Dessa vez vc me superou no atraso, héim amiga!". Todos rimos e eu
me desculpei, dizendo que havia perdido a hora e
acordado tarde.
O resto do dia transcorreu bem. Fomos a praia e depois almoçamos juntos, conforme o combinado.
Mas era difícil disfarçar os olhares que trocamos
durante todo o dia, claro! Já no final da tarde, na volta para casa, eles foram juntos me levar, mas não quiseram entrar. Porém, tudo o que eu e o Pedro precisávamos falar, já havíamos falado e... quando menos esperávamos, rolou o segundo encontro.
Mas esse.... só no próximo conto! Espero que tenham gostado e que me incentivem a escrever mais e mais. E fatos verídicos, pois estes excitam muito mais os leitores! Beijos à todos e aguardem o próximo, ok?

*

ELE CONTINUA ME COMENDO NA MINHA CASA...

Olá, colegas leitores! Conforme prometido, aqui estou
novamente para contar mais uma das minhas audácias
sexuais com meu mais novo amante. Pra quem não sabe, irei resumir a história anterior. Meu nome é Carla e sou casada com Mauro, um homem maravilhoso. Temos um casal de amigos muito íntimos, a Lia e o Pedro, que também são casados. Estamos sempre juntos passeando e nos divertindo. Eu e o Pedro, após trocarmos olhares maldosos e de puro desejo, tivemos uma oportunidade e fizemos amor na minha própria casa, enquanto meu marido viajava.

.
3Agora vamos as novidades!
Depois daquela
foda deliciosa, falamos muitas sacanagens um pro outro,
o que prometia uma próxima vez ainda melhor! E a
oportunidade foi mais rápido do que esperávamos. Eu e o Mauro temos uma casa de praia em Cabo Frio, RJ. Haveria um feriado em Junho, que seria numa quinta-feira. Não havíamos combinado nada, pois eu não trabalharia na sexta-feira, mas a princípi o, Mauro teria que trabalhar. Como ele tinha uma folga pra tirar, aproveitou e tirou para o mesmo dia, nos possibilitando de curtir o nosso feriadão. Na segunda-feira, ele me ligou do trabalho dizendo que conseguira a folga e perguntando o que eu achava de convidarmos Lia e Pedro para viajar.
Achei a idéia maravilhosa e já comecei a imaginar como seria e o que poderia rolar naquele final de semana prolongado. À noite, quando chegamos em casa, ligamos para o casal para convida-los. Lia de início resistiu um pouco, alegando estar cansada e dizendo que queria aproveitar o feriado para descansar. Já Pedro, com certeza pensando o mesmo que eu, insistia para que ela concordasse, o que conseguiu com poucos argumentos. Tudo combinado: sairíamos de casa na quarta-feira à noite e voltaríamos no domingo.
Me preparei física e psicologicamente para aquele
feriado, que prometia muita sacanagem! Na quarta-feira pela manhã, Pedro me ligou no trabalho, falando muita sacanagem, me deixando mo lhadinha em pleno horário de expediente. Disse para eu me preparar, que ele iria me enlouquecer de tanto prazer, que não mediria esforços para aproveitar comigo a nossa viagem, que iria fuder meu cuzinho... Nossa!!! Fiquei louca só de ouvir e imaginar! No horário combinado, fomos busca-los em casa. Todos vestíamos roupas bem leves e confortáveis e estávamos muito à vontade, como todas as vezes que saíamos juntos.
Fizemos uma viagem tranqüila, mas o trânsito estava um caos. Chegamos à Região dos Lagos bem tarde e cheios de sono. Nossa casa é bem grande, no andar de baixo, sala, cozinha, banheiro e um ótimo espaço externo, no andar de cima, dois quartos, uma suíte e banheiro. Foi só o tempo de arrumarmos as camas, e cairmos para dormir. Na quinta-feira, acordei cedinho, coloquei meu biquíni, dei uma geral na casa e comecei a preparar o café da
manhã. Lia levantou-se da cama logo após e juntas
terminamos de preparar tudo. Ela também colocou seu biquíni e fomos acordar nossos maridos para tomar café conosco e irmos à praia, que é bem próxima da casa. Tomamos um ótimo café da manhã e eles nos elogiaram por isso. Passamos o resto do dia na praia e sempre que possível e sem deixar que os outros percebessem, dávamos (eu e o Pedro) um mergulho juntos, ou ficávamos a sós na areia, só falando sacanagens.
Voltamos para casa já no finalzinho da tarde e todos
tomamos uma boa ducha no chuveiro que tinha no quintal.
Lia é tímida e não ficava andando pela casa só de
biquíni, enquanto eu me exibia pros meus machos a
vontade. Eles também passavam o dia de sunga pra lá e pra cá. Depois dessa ducha, nos secamos ao ar livre e entramos para tomar um banho de verdade. Fui para o quarto pegar as roupas pra mim e pro Mauro e fizemos amor loucamente. Mauro me pegou por trás, e ficou esfregando aquela rola já dura na minha bunda. Arrancou meu biquíni e caiu de boca na minha bucetinha. Fiz o mesmo com ele e pedi para que me penetrasse. Foi maravilhoso! Amo meu marido, mas  confesso que naquele momento estava pensando no Pedro e no que ele estaria fazendo no outro quarto com a Lia.

9 Mesmo assim, gozei muito gostoso com meu maridinho.
Depois do banho, todos fomos para o quintal e começamos a jogar carta. De vez em quando, Pedro esfregava suas pernas nas minhas por baixo da mesa, e só aquilo já me arrepiava toda. Não sabia como iríamos fazer para ficarmos sozinhos na casa. Naquela noite, ainda quinta-feira, não estávamos muito animados para sair e resolvemos continuar o nosso carteado até dar sono.
Fazíamos uns intervalos para comer e beber algo e assim ficamos até cansar. Lia foi a primeira a dizer que iria dormir, deixando-nos ainda jogando conversa fora. Não demorou muito, Mauro já estava cochilando no sofá, pensei: "Vai ser agora!" Chamei-o para ir ro quarto, ele levantou-se ainda meio zonzo de sono e de cerveja e foi. Pronto! Foi a nossa primeira chance de ficarmos a sós, mas sabíamos que não poderíamos demorar e nem dar mole, afinal desta ve z nossos cônjuges estavam presentes. Começamos a nos acariciar e nossos sexos já davam sinal de vida. Ele usava apenas uma bermuda, sem cueca. Eu, uma blusinha sem sutiã, um short e uma minúscula calcinha. Nos beijamos deliciosamente quase que deitados no sofá da sala e nossos gemidos eram abafados pelo som da TV ligada. Ele levantou minha blusa e chupou meus peitinhos, enquanto eu abria sua bermuda para punhetar aquele cacetão, que já estava quase pulando pra fora dela. Chupei seu pau até ele gozar gostoso na minha boca, e ele retribuiu fazendo o mesmo comigo. Ficamos com medo de continuar e mesmo cheios de tesão, optamos por continuar em outra oportunidade.
Como eu não conseguiria dormir daquele jeito, acordei meu marido e pedi pra ele me fuder gostoso, que eu estava louca de tesão. Ele, todo animadinho, me deu uma chupada na bucetinha e logo em seguida meteu o cacete nela. Gozei muito! Foi muito bom!
13 Quando acordei na manhã de sexta-feira, Lia já estava
de pé. Disse que iria até o supermercado comprar umas
coisas, embora eu tenha dito que não precisava, ela fez questão. O supermercado ficava um pouco distante da casa, então ela pegou a chave e foi com o nosso carro.
Logo em seguida, Mauro acordou e já de sunga, me
convidou pra ir à praia. Disse que iria depois, que
daria um jeitinho na cozinha primeiro. Não desconfiando de nada, perguntando pelos outros e nem desconfiar que estaria me deixando sozinha com Pedro, saiu. Deixei passar uns 5 minutos e fui até o quarto onde Pedro dormia. Ele estava só de sunga e eu, ainda de camisola.
Comecei a beija-lo e já passando as mãos no seu pau, que logo deu sinal de vida. Ele abriu os olhos e
perguntou: "Cadê eles?", ao que eu respondi: "Relaxa, estamos a sós". Ele ficou louco e me puxou pra cima dele com vontade, levantando minha camisola e esfregando seu pau na minha bucetinha ainda por cima da calcinha, enquanto suas mãos passeavam  pelo meu corpo. Sedentos de prazer, tiramos a calcinha e a cueca e, sem ao menos fazermos um oral, e minha bucetinha "engoliu" aquele cacetão. Eu estava por cima, e desta vez era eu quem comandava. Cavalgava naquela pica como uma louca, ele pedia: "Isso, mais... goza junto comigo", apertava meus petinhos, metia o
dedo no meu cuzinho, dizia: "Quero seu cuzinho... Você vai dar seu cuzinho pro seu macho, vai? Quero encher ele com a minha porra, quero fazer você gritar de prazer..." e naquele entra e sai delicioso, chegamos ao orgasmo juntos, e foi demais!!! Quando estávamos nos refazendo, ouvi um barulho na porta; rapidamente eu fui pra minha suíte e tranquei a porta, enquanto ele correu pro banheiro. Era a Lia, havia chegado das compras. Lá de baixo ela perguntou, tem alguém aí? Eu respondi: "Eu! Estou no meu quarto!", não ouvi o Pedro responder nada. Tomei um banho, coloquei o biquíni e desci, pronta pra ir à praia. Ela perguntou: "Pedro ainda está dormindo?", eu respondi qu e não sabia e ela subiu pra conferir. Logo voltou e comentou que Pedro estava muito preguiçoso, havia acabado de acordar e estava no banho. Respondi que homem é preguiçoso assim mesmo e rimos. Coitada... Mal sabia que o marido acabara de gozar gostoso comendo a minha bucetinha... rs... Arrumamos as compras que ela fez e fomos os três pra praia encontrar o Mauro. Mais um dia se passou e tudo correu bem. À noite, fomos ao centro da cidade, no intuito de tomarmos um vinho e comprar umas coisinhas pessoais. Perdemos s noção do tempo e ficamos bebendo vinho e papeando até às 2h da manhã. Voltamos para casa e desta vez, não tivemos a oportunidade que queríamos. Mauro estava muito fogoso, talvez pelo excesso de bebida, e queria fazer amor de qualquer jeito.
15
Confesso que eu também estava afim, então assim fizemos. Depois de chuparmos um ao outro, ele disse que queria gozar no meu cuzinho, mas eu não quis por estar "guardando" para o Pedro, conforme havia prometido. Com todo charme,  disse que queria que ele fudesse minha bucetinha, pedi pra ele passar a língua nela e ver como estava melada de tesão... Ele aceitou depois de me chupar e ver que eu me contorcia de tesão. Fudemos gostoso até que ele gozou e logo em seguida, por cima dele esfregando minha bucetinha no seu pau, eu também gozei. Deitei-me ao seu lado e dormimos agarradinhos. Na manhã de sábado, eu ainda me sentia toda melada e logo que acordei, fui direto para o chuveiro. Coloquei meu biquíni mais sensual e fui preparar o café. Lia desceu logo em seguida, também de biquíni, mas com uma saída de praia por cima. Enquanto os rapazes não desciam, ela comentou sobre a noite que teve com Pedro. Disse que tiveram uma trepada maravilhosa, que eles nunca haviam feito daquela maneira. Segundo ela, Pedro
estava "insaciável". Comentei por alto que eu e Mauro também havíamos tido uma bela noite. Quando nos sentamos para tomar nosso café, os dois desceram. Mauro só de sunga e Pedro de bermuda. Percebendo a  intenção de Pedro, eu disse: "Pelo que eu estou vendo vão todos à praia e eu vou ficar sozinha, né?"; Mauro respondeu: "Ué! E você não vai à praia por quê?";
respondi que queria fazer uma comidinha gostosa pra gente, que estava sentindo falta de comida caseira. Lia se ofereceu então para ficar e me ajudar, mas eu disse que estava brincando e não via problemas em ficar sozinha. Que eles poderiam aproveitar a praia e que de repente eu apareceria depois. Pra não dar na pinta, Pedro não falou nada e foram todos. Mais ou menos uma hora e meia depois, ouço um barulho na porta e, tal qual não foi nenhuma surpresa, era Pedro. Disse que não poderia deixar de aproveitar que eu estava só e inventou de comprar uns peixes, dizendo que levaria pra eu preparar, já que dissera que iria fazer almoço. Como eu já disse, passávamos praticamente o dia todo com
trajes de banho, o que, no meu caso, facilitava
bastante. Ele já chegou me agarrando, me beijando e
deslizando as mãos sobre o meu corpo.
 
16 Afastou a parte de cima do meu biquíni e chupou os meus peitinhos, me deixando louca. Eu já tentava abrir
sua bermuda, queria ver, acariciar e chupar aquele
cacete maravilhoso, que já estava em ponto de bala. Foi
quando, metendo as mãos na minha bunda por baixo do
biquíni, ele disse: "Vou comer esse cuzinho agora, não vou?"; aquilo foi suficiente pra me subir aquele calor.
Respondi: "Claro! Era tudo que eu queria!"; Ele tirou
os lacinhos do meu biquíni, que desceu pelas minhas pernas. Ele me segurou pela cintura levantando meu corpo, eu abracei-o com minhas pernas e assim fomos para a sala. Ele me deitou no sofá e passava o pau na entrada da minha bucetinha, lubrificando-a cada vez mais, e alternava com o meu cuzinho. Fez isso diversas vezes, enquanto com os dedos, fazia movimentos circulares nele, ora metendo o dedo até o fundo, para atiçá-lo cada vez mais. Tinha a sensação de que meu cuzinho estava piscando de tanto tesão e pedi: "Vai, mau amor... Mete esse pau no meu cuz inho, vai..."; ele imediatamente me colocou de pé de costas pra ele, colocou minha perna esquerda sobre o sofá e começou a meter só a cabecinha daquele cacete no meu cuzinho. Eu já gemia de tesão. Fui rebolando, rebolando bem gostoso deixando-o alucinado pra enterrar logo tudo até o talo. Quanto mais eu rebolava, mais um pouquinho entrava. Percebendo que ele não metia tudo de uma vez por medo de me machucar, empinei a bunda pra trás, enterrando tudo de uma vez. Senti uma dorzinha, que logo se transformou em prazer. Chegaram a sair lágrimas dos meus olhos, mas o prazer que sentíamos era inestimável. Ele iniciou aquele clássico vai e vem, alternando com reboladas, onde eu sentia suas bolas batendo bem próximo da minha bucetinha. Que delícia! Eu dizia: "Tá delicioso" Mete gostoso no meu cuzinho, mete... Rebola gostoso que eu quero gozar no teu pau socando meu rabo..."; Não demorou muito pra ele gozar, e disse: "Aiiiii... Vou gozarrrrrrr!!! Você me deixa louuuuuuuuco!!!"; e expl odiu num gozo delicioso, que eu sentia queimar dentro de mim. Ele continuou metendo no meu cuzinho, e comas mãos, acariciava o meu clitóris, que estava durinho e saliente de tanto tesão. Mais alguns segundos e eu também explodir num gozo frenético, gemendo: "Que pica maravilhosa, não para que eu vou gozar". E quanto mais eu falava, mais ele metia. Foi maravilhoso dar meu cuzinho pra ele. Rapidamente, tomamos um banho juntos e ele voltou pra praia. Combinamos que ele diria que eu não fui para continuar preparando o almoço. Por volta das 14h todos chegaram para almoçar. O resto do dia foi normal para todos. Não saímos à noite, queríamos descansar para a viagem de volta no domingo. Ao amanhecer, preparamos um café da manhã reforçado para seguirmos de volta ao Rio, pois Lia queria chegar cedo em casa. Logo após o café, fomos preparar as coisas para a volta. Porém, eu e Pedro não tivemos mais chances de ficarmos a sós e repetirmos as belas trepadas que demos durante a viagem, ma s não podemos reclamar, pois fechamos com chave de ouro, com aquela bela enrabada que ele me deu, né? E o melhor: sem nossos companheiros sequer desconfiarem. E isso talvez nos deixasse ainda mais excitados, o perigo
de algum deles desconfiar ou até mesmo nos pegar em flagrante. Mas nada de errado aconteceu, e com certeza, eu e Pedro aproveitamos muito mais a viagem do que Lia e Mauro! rs... Até a próxima

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Conte sua fantasia