sábado, 6 de novembro de 2010

Na piscina, Com um Colega de Trabalho...
conto de Carla

Quando eu era solteira, morava com meus pais numa casa enorme aqui mesmo no Rio de Janeiro. Tínhamos uma piscina maravilhosa, onde se passaram muitas aventuras sexuais. Uma delas, é a que passo a lhes relatar agora... Como a casa era grande e meus pais viajavam muito, eu sempre aproveitava essas oportunidades de total privacidade para fazer festinhas e churrascos com os amigos.
Eu trabalhava numa empresa de médio porte, onde os funcionários eram praticamente todos jovens (entre 22 e 35 anos), e os que não eram entravam no clima também. Meus pais haviam viajado na quinta-feira e só voltariam na segunda. Combinamos então um churrascão lá em casa no sábado, e ninguém poderia levar maridos, esposas ou namorados, a festa seria só nossa. Em média, seriam umas 20 pessoas, na maioria homens. Um dos rapazes era um belo moreno, de pele clara, trabalhava muito bem arrumado, tinha seus 30 anos. Eu já havia pensado como deveria ser... bem, deixa pra lá! O fato é que tinha muitos rapazes interessantes, mas esse era o que mais me chamava atenção, porém era casado. Nunca dei nenhuma investida nele, e nem ele em mim. A não ser algumas olhadas que eu o peguei dando em minhas pernas.
Tudo certo para o churrasco, o pessoal começou a chegar cedo para ajudar e eu já esperava de biquíni, claro! Ele, que vou chamar de Renato, foi um dos últimos a chegar, alegando que não foi fácil sair sem levar a esposa. Todos bebiam e aproveitavam o clima quente, não só pelo calor do verão, mas também pelos olhares que se entrelaçavam diante dos corpos que até então só eram vistos sob nossas roupas de trabalho. O Renato era realmente um dos mais interessantes do grupo, com um corpo bem definido e pernas grossas, arrancava olhares maliciosos das colegas de trabalho. No início pensei até que fosse impressão minha, mas o peguei por várias vezes me olhando (claro, meu biquíni era o mais indecente!), reparando nas minhas pernas, meus seios e na minha bunda. Alguém me pediu sal grosso, e quando entrei em casa para pegar, não sei como, mas ele foi atrás de mim. Só me disse que estava surpreso com o que via. Eu, muito safada, perguntei se ele se referia a mim, e ele respondeu que já  tinha reparado na empresa o quanto eu era interessante, mas que ali ele via tudo, ou quase tudo como queria. Sorri, como se agradecesse tal elogio e apenas disse que ele também era muito sensual.
Depois disso, nossos olhares se cruzavam com mais freqüência, e claro, com mais malícia, pois havíamos deixado claro um para o outro, que nos desejávamos.
Tudo correu bem e já pelo final da festa, quando alguns já haviam ido embora, um outro casal de amigos (ambos casados) começou um papo bem descontraído... Logo vi que dali iria sair alguma coisa. Dito e feito! Em poucos minutos estavam os dois se agarrando na piscina, sem nenhum pudor. Confesso que aquilo me deixou muito excitada, e eu olhava diretamente para o Renato. Enfim, os demais colegas foram saindo e por fim ficamos só eu, Renato (que disse que ficaria mais um pouco para ajudar, já que não ajudou no início), e o casal que já estava se "entendendo" na piscina. Disse a eles que poderiam ficar a vontade, enquanto eu iria começar a ajeitar as coisas e o Renato se ofereceu para me ajudar. Eles (o casal) continuou na piscina e eu comecei a colocar as coisas pra dentro. O Renato entrava pra guardar as coisas junto comigo, e passou a ser mais direto, me encoxando de vez em quando, ao passar por trás de mim (lembrando: eu estava ainda de biquíni e ele de sunga). Comecei a lavar a louça, e o Renato passando aquele pau duro dentro da sunga atrás de mim... Não resisti, já estava molhadinha cheia de tesão e virei-me de frente, o puxei pelo pescoço e nos beijamos loucamente. Ele levantou minha perna, fazendo com que nossos sexos se tocassem ainda sob o biquíni e a sunga, mas estava maravilhoso, um beijo muito fogoso e promissor. Ainda nos beijávamos quando o casal nos interrompeu, e rindo disseram que iriam embora. Nos despedimos e aí sim, ficamos à vontade. Que homem! Ele me levantou, me segurando pela bunda, e enquanto nos beijávamos ele esfregava aquela rola quente e dura na minha bucetinha molhada. Disse a ele que queria ir pra piscina, pois havia ficado muito excitada ao ver nossos amigos lá, ele concordou e mergulhamos juntos. Ele desamarrou meu biquíni, deixando meus seios à mostra e os chupava com muito prazer, mamando no meu peitinho... Por baixo d'água, eu já colocava minhas mãos por dentro da sunga e sentia todo aquele volume de um pau grande e grosso que em pouco tempo estaria me fudendo gostoso, enquanto ele me chupava e com as mãos, acariciava minha bunda e minha xota. Num ato rápido, desamarrou meu biquíni e o puxou, e eu fiz o mesmo puxando sua sunga. Estávamos nus, dentro da piscina, que delícia! Coloquei seu pau entre minhas pernas, tocando minha xotinha e fazia um movimento de vai-e-vem, sem penetração. Ele me segurou, me colocou sentada na beira da piscina, abriu bem minha xota e começou a chupar, chupar muito gostoso e pedia pra eu gozar na sua boca, que queria sentir o gosto do meu suco... Metia a língua lá dentro, e eu já me contorcia toda de prazer, até que anunciei que iria gozar, foi maravilhoso! Ele chupou todo o meu néctar e para retribuir, pedi que trocássemos de posição. Comecei a mamar naquela pica, sedenta pelo seu leitinho quente na minha boca, na minha cara e no meu corpo. Pedi que ele gozasse, pois queria retribuir o prazer que eu havia sentido, gozando na dele. Comecei a falar coi sas desconexas, mas muito gostosas. Dizia que ele fuder a boca da colega de trabalho, enquanto a chifruda estava em casa... (enquanto o tirava da boca pra falar, o punhetava com as mãos), até que ele gozou, um jato forte que foi direto na minha garganta, e o resto foi na minha cara, no meu peito... que delícia! Mas eu ainda não estava satisfeita, queria sentir aquele pau latejando dentro de mim... queria sentir sua porra escorrendo pelas minhas pernas, eu o desejava muito! Mergulhamos novamente para nos "lavar", e ficamos nos beijamos, nos acariciando... Já estava anoitecendo, eu sabia que ele não poderia ficar por muito tempo ali comigo, então comecei a reanima-lo, e em pouco tempo ele já estava com o pau em ponto de bala novamente, sussurrei no seu ouvido, que agora eu queria sentir todo aquele mastro dentro de mim, latejando junto com a minha xoxota, ainda sedenta pela sua pica. Saímos da piscina e ali mesmo, na borda dela começamos a nos roçar, até que ele me penetrou (e u estava com as pernas em seu ombro, tipo frango-assado). A pica entrou deslizando, tamanha a minha excitação. Ele começou a bombar forte, e às vezes tirava e pedia que eu implorasse para tê-la de novo, e eu pedia, implorava pela sua pica. Aí ele metia só a cabecinha e eu ficava pedindo para meter tudo, para tocar no meu útero que eu queria gozar junto com ele (adoro isso!). Ele começou a meter forte, enquanto    olhava com desejo para os meus seios, minha boca sedenta pela sua e para o vai-e-vem da sua pica na minha buceta. Ele começou a gritar que ia gozar, eu pedi pra ele meter mais forte que eu queria gozar junto com ele, e conseguimos! Explodimos juntos num gozo maravilhoso... Gritávamos juntos de prazer, foi demais! Ele apoiou seu corpo sobre o meu e rolamos juntos pra dentro da piscina. Nos beijamos com muito tesão e infelizmente, começamos a nos despedir. Aquela festa ficou pra sempre na minha memória sexual, nunca esqueci o prazer que ele me proporcionou, foi realmente demais!
Depois disso, marcamos ainda uma outra vez, mas isso fica pro próximo conto, certo?
Espero que tenham gozado, ou melhor, gostado desse relato, que como vcs sabem, é verídico, assim como os outros. Até a próxima, que será em breve!
(Carla Delícia)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Conte sua fantasia