sexta-feira, 24 de setembro de 2010

De um email recebido :

MVC-187S

" Eu trabalho em uma empresa organizadora de eventos, gosto muito do meu trabalho e o levo muito a sério, por isso escrevo essa carta, para aliviar minha culpa, Minha chefe me encarregou de ajudar um noivo a fazer as provas do buffet para sua festa de casamento. As 7:00 da manhã em ponto eu fui busca-lo, quando o vi subiu um calor, minhas pernas bambearam e fiquei toda molhada. Eu o comprimentei, entremos no carro, tentei ignorar aquele cheiro delicioso de macho que tomou conta do carro. Quando chegamos só havia uma ajudante e como eu conhecia o trabalho, a dispensei. Imediatamente após termos entrado na sala de provas, ele fechou a porta atras dele me puxou pelo pulso e me prensou na porta, com quase 1.80 e aquele corpo musculoso, não deu para fugir, não que eu realmente quisesse. A agressividade dele me assustou e excitou, as mãos dele alisavam, apertava e beliscava. Tirando minha roupa ele já foi enfiando a mão na minha buceta, sem um pingo de delicadeza, eu me sentia um lixo, como eu podia ficar tão excitada? O homem era um bruto,além de um cliente que tava de casamento marcado! Sem mais nem menos ele se afastou, tirou as roupas e me deitou no chão, ele me comeu como se eu fosse uma vagabunda qualquer, e eu morro de vergonha de admitir que eu nunca gozei daquele jeito. Aquele cara comeu minha buceta, meteu no meu cú(ainda virgem), bateu na minha bunda, puxou meu cabelo, me chamava de puta, vadia, piranha e eu pedia mais,mais forte, mais rápido, ele tinha pau grande, mais eu tava louca de tanto tesão e pedia pra meter mais fundo. Depois que eu gozei ele segurou minha nuca e me fez engolir toda a porra, e confesso que adorei. Não houve prova de buffet nenhuma naquele dia, e e me recusei atende-lo novamente. Fiquei com medo de não resistir, dar pra ele de novo, e ficar mais dois dias com a xereca e o rabo esfolado."  T. .

0809095742

O A,B,C, D da Xaninha
Conto de Vilma
vilma75@bol.com.br

oi meus tesudos!!!
Hoje é  domingo e passei o dia de ontem frustrada!!,fiquei sozinha e sem ninguem para amar
Hoje levantei e nem me troquei, fiquei de camisola curta e sem mais nada!!!
pensei comigo, "pra que me vestir!! estou só..vou ficar a vontade!!"
Tocaram a campanhia,fui ver era o Jair....amigo querido!!
Mandei entrar e fui fazer um café!! Ele ficou em pé na porta e conversando  banalidades!!
Eu comecei a lavar umas louças na pia e aí  ele veio  se encostou em mim por trás,  me abraçou com as mãos em cima de cada seio ; esfregou o pau duro em minhas nadegas e falando em meu ouvido :
"  ai cadela!! que saudades desse rabo!! que desejo louco de entrar com ele todinho em sua xana!! seu rabo, sua boca!!! sente como ele está!! sente!!"
Me dizendo essas coisas esfregava o pau duro na bunda, me beijava a nuca as orelhas e mordia meu ombro!!
Aquelas maos me apertando os seios, e o pau duro roçando em mim!!  foi me deixando tezuda!! tezuda!! hui,hui,hui, eu já mole me esfregava no pau tbm!!
Ele foi me empurrando com o corpo em direção ao meu quarto!!
Estiquei  o braço e desliguei o fogo,  o café podia esperar!!
Fui empurrada na cama, ele  levantou minha camisola e me lambeu as costas até chegar nas nadegas.  Me mordendo a bunda falava " puta!! eu tô doido de tesao por vc, chego aqui e  vc me recebe assim quase nua!! " Me dando um tapinha na bunda falou!!
" fica assim, vou invadir esse rabo e me vou acabar dentro, tu
vai ver como tou tezudo!"
T irou a roupa, colocou uma camisinha, me xupou o buraquinho, cuspiu na entradinha e ajustando a cabecinha foi empurrando o pau!
" hui,hui,hui,"...eu gemendo e ele dizia: " geme cadela!! geme !! é disso  que  vc gosta!! "
Depois de tudo dentro me passou a mao por baixo, fez eu levantar um pouco a bunda e colocou a mão em meu grelo, meteu 2 dedos na xana!! e o dedão ficou em cima do grelo.
Sem pressa e com movimentos sincronizados comeu meu rabo, e me masturbou ...
Meu gozo..veio devagar...esquentou minha xana de dentro pra fora!! e quando ele acelerou os movimentos para o gozo...eu nao aguentei e gritei : " fode , fode...me arrombe, mete tudo mete rapido! sou sua cadela!! sua putinha!! sou tudo que vc quizer!!! acabe comigo ,corno!!!"
Senti ele estremecer e socar bruto ! E num gozo delirante caiu deitado sobre mim!
Assim ficamos uns minutos,ele se levantou , tirou a camisinha do pau, foi ao banheiro jogar a camisinha e voltou pra cama!!
Me encontrou de perna aberta!! Eu olhando pra ele falei :
"  vem cá corninho!!  tu me fez gozar com os dedos!! agora eu quero gozar nessa boquinha gostoza!! "
Ele veio abriu meus labios vaginais e com a lingua foi escrevendo o abecedario  todo!! Eu fui comandando : "  escreve A, escreve B " e ele com a lingua ia fazendo!!
Na letra J, de Jair, meu grelo tinha dobrado de tamanho!! Na letra P eu já não  mais comandava o abecedario! Na letra U  nao segurei e gozei!! ''huauuuuuuuuu!!!!!   que loucura!!  "
Ele lambeu e xupou todo o caldinho que saiu!!! Foi uma mamada deliciosa
Passados uns minutos pra eu voltar ao normal, vi a rola dele durissima!! e  tentei dar a ele um bokete na altura do abc que ganhei!!
Com ele sentado na cama, eu ajoelhei  no tapete e abocanhando aquela pica durissima, xupei,mamei,lambi as bolas e ele logo gozou!!
Num gesto rapido tirou a rola da minha boca e recebi no rosto o  leite morno que saiu em golfadas!!
Fomos tomar uma ducha, pra refrescar e voltei ao fogão pra fazer um gostozo café!!
Depois do café, ficamos namorando e ainda demos duas fodas boas , que nem vou contar, pois foram comuns...rsrs
Aos homens que leram esse conto...tentem fazer nas suas amadas o abecedario na  xaninha dela!! Eu ,como mulher que adoro tudo que é bom  aconselho!!
Nao  existe mulher que nao vá gostar!! Experimentem,  nao custa nada!! só dará praser........ bjssssssssss ,
Vilma -   vilma75@bol.com.br

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Eu coroa com sobrinho bem dotado

Autor desconhecido

Ola amgos, depois de muitos relatos que vi por aqui, decidi contar minha etoria, que aconteceu já faz 11 anos, mas me lembro bem de todos os detalhes. Sou uma jovem viuva, hoje tenho 59 anos, tenho 1,55- 62 kilos, seio medio pra grandes, coxa grossa, e uma bunda muito grande e carnuda,cabelos castanhos claros e olhos verdes, todos o homes mexem comigo quando passo por eles, assobiam, dizem gracinhas, não deixo transparecer, mas gosto muito disso, que mulher que não gosta?... Bem, vamos ao meu relato, casei-me com 22 anos, com um homem bem mais velho que eu, sempre tive uma tara por homens "maduros" , desde a epoca em que me tornei mulher por um /tio meu tarado que se aproveitou de mim por mais de cinco anos, tinha na epoca 12 pra 13 anos, depois eu conto esta estoria pra voces, mas vamos ao caso a que vim aqui contar...meu marido tinha 39 anos e era militar bem graduado da aeronautica, eu morava no interior de São Paulo, em Pirassununga, e ele era do Rio de Janeiro, casamos e depois de uns tres anos mudamos para o Rio,por problemas que eu tenho , não podia engravidar, meu marido não ligou muito pra essse fato....pois bem, tudo transcorria normalmente, eramos muito apaixonados um pelo outro, quando, depois de onze anos que fomos morar no Rio, aconteceu uma tragedia, meu marido faleceu num acidente de automovel....fiquei arrasada, desconsolada...de repente me vi sozinha naquela cidade maravilhosa, tinha minhas amigas lá, mas precisava de alguem conhecido pra me consolar, pessoas que eram da familia, voces me entendem...então, depois de um ano, mais ou menos, da morte do meu marido, aceitei o convite pra ficar uns diasna fazenda da minha cunhada, irmã do meu marido, no interior de Minas Gerais, em Uberlandia, eles tinham uma fazenda de leite, faziam queijos etc, estavam muito bem de vida.....moravam ela, o marido e dois casais de filhos....duas menias uma de 14 outra de 18, e os meninos, um de 12 e outro de 16, pois bem, la chegando todos ficaram alegres em me ver, o que me alegrou um pouco...
Passaram-se uma semana, ja me encontrava mais alegre um pouco, pois passeava muito pela fazenda, todos me tratavam muito bem, até que um dia, caminhando pela fazenda, vi um a coisa que mudou completamente minha vida.... naquele dia resolvi ir até uma queda d' agua que tem na fazenda, quando lá cheguei vi que tinha uma pessoa se banhando no lago, sorrateiramente, fui caminhando até o lago, com todo o cuidado pra não ser vista, cheguei até perto do lago, me escondi atras de uma moita e vi que era meu sobrinho João Carlos, que estava lá no lago, se refrescando, porque aquelie dia estava um calor danado, e quando ele saiu do lago pnotei q estava completamente pelado, fiquei dislumbrada com aquela visão, meu sobrinho, apesar de ter somente 16 anos, já estava um homem feito, um corpo bem sarado pelo trabalho na fazenda, não era muito alto, tinha 1,72 de altura, ombros largos, corpo peludo, e o que me deixou mais impressionada: um cecete grande, apesar de estar em estado de "descanso", era maior que o do meu marido duro, pois bem, estava ali, absorta, com aquela paisagem, qdo ouvi uma voz feminina, vinda do outro lado do lago,chamando por meu sobrinho, era a empregada da casa da fazenda, Maria do Carmo, uma mulher atraente, de uns 40 anos de idade, corpo magro e seios grandes, ela veio correndo em direção ao meu sobrinho e rapidamente tirou a roupa toda e entrou no lago, abraçando meu sobrinho...ahhh...pensei,: então os dois eram amantes!!!, do Carmo era casada com o capataz da fazenda, tinha tres filhos , e estava ali seduzindo aquele menino, resolvi voltar ao casal, estavam agora saindo das aguas e agora meu sobrinho estava "animado", seu cacete estava duro com as caricias que fez em Do Carmo, ...MEU DEUS!!!!!!!! seu cacete era imenso, colossal, nunca pensei que um homem poderia ter um cacete daquele tamanho, e pela idade dele, ainda irira crescer mais....fiquei atordoada com aquela visão e ao mesmo tempo excitada, eles vieram pra bem perto de mim, pararam a uns dez metros de onde estava, eles não podiam me ver, meu sobrinho ficou em pé e do carmos se ajoelhou e passou a chupar aquela enorme rola, quase não cabia na boca dela, era bem grosso.....num determinado momento ela colocou uma mão sobreposta a outra e ainda sobrou uns centimetros pra ela , que com avidez devorava aquela tora........depois de ele dar um verdadeiro banho de gato nela, mandou ela ficar de quatro e meteu aquela pirocona nela, Do Carmo fazia um escandalo danado..
- Mete devagar....ai, ai, ai, ai, devagar ...ai, ai, não aguento....ai..ai.. voce ta me arrombando com esse pintão....ai, ai, ai, eu não aguento...devagar..sssssssss..ai, ai, hummm..assim...devagar...que delicia....ai, ai, ai,
Estava estarrecida....quando dei por mim já estava com minha bermuda e minha calcinha arriadas e me tocando ....percebi minha buceta toda molhada...estava sem sexo a mais de um ano...gozei varias vezes.....
depois de um tempo mudaram a posição ela agora deitou-se de barriga pra cima e meu sobrinho se acomodou entre as pernas dela e meteu novamente aquela tora ....de novo aquele escandalo...desta vez ela colocou a mão na barriga dele, acho que pra ele não meter mais......foi quando, pela primeira vez escutei a voz dele....
- Não esta aguentando mais?? hein...gostosa....ainda tem muita rola pra enfiar em voce....nessa sua bucetinha apertada e quente.....vai tesão...mexe...hummm. puta que o pariu...que delicia.
Estava quase perdendo os sentidos... ja tinha gozado varias vezes, sentia meu corpo latejante...me imaginei ali..debaixo do meu sobrinho....levando aquela imensa rola na minha bucetinha...com certeza tambem não iria aguentar aquele colosso .... só tiive dois homens em minha vida, meu Tio e meu marido e ambos não eram bem dotados..
Meu sobrinho agora estava dando leves bombadas na Do Carmo, de repente acelerou os movimentos, fazendo Do carmo quase gritar , com certeza de dor e de tesão.......quando estava proximo do gozo, Zinho(apelido do meu sobrinho) tirou aquela imensidão da buceta de Do Carmo e gozou...nossa!!!!!, parecia que estava mijando tal a quantidade de esperma que saiu daquele cacetão.....espirrou pra tudo quanto foi lado......depois deitou-se ao lado dela ...
Do Carmo, assim que Zinho tirou o cacete de dentro dela, levou as mãos a sua buceta, fazendo uma massagem, certamente pra aliviar a dor.
Depois, foram até o lago se limpar, e dentro do lago ele comeu ela mais uma vez, gozaram e foram embora em caminhos opostos....
Fiquei ali, parada, por mais uns minutos....toda melecada...me vesti...e no caminho de volta pra sede da fazenda, a visão daquele enorme cacete não saia da minha mente, decedi que iria fazer de tudo pra seduzir o meu sobrinho "pe de mesa" . o que aconteceu depois de uns meses, antes descobri que o cacetudo comia mais tres mulheres da fazenda, e uma delas era a sua propria irmã.
Mas isso vou contar pra voces em outra oportunidade... me aguardem... aqui é o unico meio de eu me desabafar...esssa estória estava me aoniando a onze anos...não podia contar pra ninguem..

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

UM CACETE INESQUECÍVEL.

AUTOR DESCONHECIDO

20040729-99503-1

Meu nome é Tânia, tenho 22 anos e peitos enormes. Tenho cabelos curtos e castanhos (assim como meus olhos) mas costumo pintá-los de forma que fiquem avermelhados.

Sou alta tenho pele branquinha e boca pequena. Para compensar meus peitões, não tenho bunda e minhas pernas são finas. Para ser sincera, não me acho bonita e muito menos gostosa, mas gosto dos meus peitões e os homens também. Acho que por ser complexada com relação à minha beleza, sempre dei em cima dos homens pois achava que se eu não fosse atrás do que eu queria, provavelmente eu não ia conseguir.

Também sempre fui vagabundinha, apesar de só ter perdido a virgindade com 18 anos, desde os 13 que eu adoro dar uns amassos bem dados.

O que vou contar aconteceu quando eu estava pra fazer 19 anos. Fazia teatro na minha cidade e na metade de 1997 entrou um garoto em uma das peças da escola, seu nome é Fernando (fictício). Na verdade só fui realmente conhecê-lo no final do ano quando as peças são apresentadas, isso porque além de estarmos em turmas diferentes ele fazia a tarde e eu de manhã. Por esse motivo já havia o visto uma ou outra vez quando ele tinha que ir lá de manhã ou eu ficava até mais tarde, achei ele uma graça mas não falei com ele. No final do ano as peças que foram ensaiadas durante boa parte do ano são apresentadas e todos os alunos assistem à todas as peças. Depois de cada apresentação o elenco da peça geralmente sai pra comemorar e quem quiser vai junto. Sempre adorei sair à noite e então eu saía com todos os elencos. Saí junto com o pessoal da peça em que Fernando atuava e ele também saiu com o pessoal da minha peça, mesmo assim não conhecemos direito.

A essa altura uma amiga minha da mesma peça que eu também estava super afim dele e resolvemos que isso tinha que ser resolvido logo. Todo final de ano tem uma festa de encerramento na escola e naquele dia nós finalmente conseguimos fazer contato. Começou a rolar um som anos 60 que eu adoro e percebi que ele também porque se empolgou bastante e começou a dançar. Dançava de um jeito lindo e quando percebeu que eu e minha amiga também dançávamos, se aproximou de nós e ficamos os três dançando um tempão. Cansamos e fomos sentar num banco e ficamos até o final da festa conversando com uns amigos. Antes de irmos embora, minha amiga disse que ia fazer uma sessão de vídeo na casa dela e convidou Fernando que topou na hora. A tal sessão foi na metade da semana e minha amiga tinha decidido que ia tentar alguma coisa, já que foi na casa dela. Ela também era bem vagabunda, inclusive tinha namorado.

Fernando chegou junto comigo e ficamos batendo papo com quem já tava lá até chegar todo mundo e começarmos à assistir o filme. Minha amiga sentou do lado de Fernando, colada mesmo, mas ele assistiu o filme todo sem nem olhar pra ela. Paramos um tempo depois do primeiro filme e ele foi fumar um cigarro na varanda, minha amiga foi atrás e eles ficaram conversando e nada. Passamos a tarde inteira vendo filmes e nada!

No final de dezembro, o pessoal do elenco da minha peça fez um churrasco e convidamos o Fernando e mais algumas pessoas da sua peça. A casa tinha piscina e então estavam as mulheres de biquíni e os homens de sunga. Percebi que Fernando tinha um volume considerável no meio das pernas, nada descomunal, mas bem servido. Também tinha um corpo lindo, definido sem ser musculoso.

Eu e minha amiga ficamos o dia inteiro dando em cima dele na base das brincadeirinhas e ele entrou no jogo. Só teve um problema. Ele realmente achou que fossem só brincadeiras e não avançou o sinal em momento algum. Brincamos de fazer sanduíche com ele que roçava bastante em nós e também fizemos a brincadeira da banheira igual a do Gugu, e nada! Descobri que no dia seguinte ele completaria 16 anos e então entendi porque ele não tomava iniciativa. Ele pensou que por sermos mais velhas não queríamos nada com um moleque e que realmente só estávamos brincando.

A tardinha saímos da piscina e o dono da casa que era meu amigo já tinha percebido o que eu queria e falou brincando pra gente ir tomar uma ducha.

Captei a mensagem, puxei ele pela mão e nos tranquei no banheiro ao lado da piscina. Liguei o chuveiro e chamei ele pra dançar ao som da música que rolava lá fora. Ficamos abraçados embaixo da ducha e ele disse brincando que ia puxar a parte de cima do biquíni, eu respondi: "Tá. Mas me dá um beijo antes.". Ele não esperava aquilo, seus olhos brilharam e ele me beijou maravilhosamente enquanto desamarrava a parte de cima do meu biquíni. Com certeza estava louco pra mamar nos meus melões e o fez muitíssimo bem. Tenho os bicos grandes e marrom bem escuro que contrastam com minha pele clara. Ele ficou um tempão chupando eles e eu estava adorando foi então que pôs as mãos na lateral da calcinha do biquíni e quando ia começar a baixar eu disse que não: "Hoje vamos só brincar.", ele com muita calma respondeu que tudo bem e tirou a sunga. Que pinto lindo! O tamanho era normal mas era um pouco mais grosso do que os que já tinha visto e estava muito, muito duro, dava coices no ar.

Não resisti e comecei a punhetá-lo enquanto ele passava a mão na minha bunda (ou melhor, na minha falta de bunda) e chupava meus peitôes. Ele me pediu pra chupá-lo mas eu disse que não. Eu nunca tinha chupado um pau pois achava nojento. Ele deve ter ficado meio decepcionado mas continuamos brincando, então ele começou a brincar com a minha buceta por cima do biquíni e nessa hora eu fiquei louca, estava com muito tesão. Novamente ele tentou baixar a calcinha e eu continuei não deixando, ele disse que só queria brincar um pouco com ela e que não ia meter se eu não quisesse. Chupou meus peitos mais um pouco e eu acabei cedendo. Então ele falou pra eu ficar de costas pra ele e empinar a bundinha, neguei e ele me disse que só queria me chupar, neguei mais ainda (tinha nojo) e ele disse que não tinha nojo e me prometeu que eu ia gostar. Acabei cedendo de novo, encostei as mãos na parede e fiquei meio curvada com a bunda empinada, ele se agachou e meteu a língua na minha buceta peluda. A sensação foi indescritível! Nunca ninguém havia me chupado, eu nunca tinha deixado. Era bom demais! Ele enfiava a língua toda na minha buceta e passava em volta dela, no meu cuzinho, lambia meu grelinho, sensacional!!! Gozei como nunca em pouco tempo e não agüentei: "Me come." sussurrei, ele continuou me chupando e eu disse de novo: "Me come por favor! Mete em mim!". Ele se levantou, pediu para que eu me abaixasse um pouco (era mais baixo que eu) e apontou sua vara na minha buceta molhada de tesão. Foi enfiando bem devagarinho, eu não agüentei e empurrei minha bunda pra trás engolindo ele todo. Logo que entrou eu já comecei a gemer que nem uma louca, ele me fodeu muito gostoso, a pica dele era uma delícia e eu gozei de forma maravilhosa, senti meu gozo escorrendo pelas minhas coxas e ouvi ele dizendo que queria gozar nos meus peitões gostosos (Já estou acostumada com isso, todo homem pede), tirou o pau de mim e eu me ajoelhei de frente pra ele e comecei a punhetá-lo. O pau dele era muito lindo e fiquei olhando para aquele cassete cuspindo muita porra quente no meus peitos. Saiu bastante mesmo e até espirrou um jato no meu queixo. Me levantei ele me abraçou e ficou espalhando a porra pelos nossos corpo e esfregando o pinto ainda um pouco duro entre minhas coxas. Demos mais uns amassos e entramos de novo embaixo d'água, nos demos banho e saímos. Tivemos que ouvir aquela zoeira da galera mas eu estava tão satisfeita que nem liguei.

A noite saímos para comemorar o seu aniversário que seria no dia seguinte e acabamos ficando juntos por dois meses. Ele, apesar de ser quase três anos mais novo que eu (um moleque pra dizer a verdade), me ensinou muita coisa gostosa como boquete, engolir porra e sexo anal, coisas que eu vivia dizendo que não ia fazer nunca, fora as chupadas magníficas que ele dava na minha buceta. Terminamos depois porque ele queria um relacionamento sério e sabia que eu era uma vagabunda. Não cheguei a dar pra outros caras enquanto estava com ele, mas fiquei com alguns e me abri pra vários. Ainda tenho saudade daquela pica. Hoje ele tá com vinte anos, vira e mexe eu cruzo com ele, continua gostoso e agora que é um homem deve estar metendo maravilhosamente bem. Azar o meu, nunca mais encontrei um caralho que me satisfizesse que nem o dele. &jbsp; 

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Minha prima do interior

AUTOR DESCONHECIDO

Meu nome é Oscar (falso é claro). Eu tinha 18 anos, e havia mudado para o interior, no Vale do Paraíba, E o que mais me chamava
atenção era uma prima 4 anos mais velha, muito gostosa, chamada Rejiane (falso também, pois está casada há muito tempo e nem temos
mais contato). Linda, disputada pelos caras da cidade, muito desejada e muito galinha. Ela sempre com um shortinho agarrado e
entrando no meio daquela bunda, coxas maravilhosas de fora, peitinhos redondos e durinhos apontando pra cima. Uma graça sem limites.
Ela era sacana, e eu percebia suas cruzadas de pernas, seu jeito de empinar o rabo na minha frente, suas abaixadas para pegar algo
no chão e quase enfiar os seios em minha cara. Muitas vezes, fazia questão de ficar se encostando em mim, pra me provocar. Começou
falando muito palavrão pra mim, e me ensinando aquelas musiquinhas de sacanagem. Até me dava uns catecismos pra ler e tocar punheta.
Mas ela era divinamente bonita e gostosa. Um certo dia eu estava em casa, e ela me telefonou para ver se eu poderia ajudá-la a
arrumar o jardim, pois tinha que tirar uns galhos e cortar umas plantas. Logo pensei em ver aquela bunda bonita pertinho de mim e
fui até lá. Realmente ela estava me aguardando e fizemos o serviço todo. Ficamos super suados e eu ajudando em tudo, só pra encostar
naquele corpo divino, até que ela me perguntou se eu queria tomar um banho. Eu respondi que seria uma boa idéia, mas que eu não
tinha uma roupa limpa para colocar, e ela então falou que isso não era problema pois me emprestaria uma camiseta. Meus tios estavam
na praia, e eu fui pro chuveiro. Estava sózinho no banheiro, e claro, ia tocar uma punheta pensando nela, pois aquela bunda e as
encoxadas que dei nela no jardim não saiam de minha cabeça. Nesse minuto, ela bateu na porta pedindo pra eu abrir, e eu todo
envergonhado, desliguei o chuveiro me enrolei numa toalha com muito nervosismo e abri a porta. Ela entrou e ficou me olhando,
dizendo umas coisas que eu nem prestava atenção, pois suas mãos ficavam me acariciando o rosto e a nuca. Ela segurou minha cabeça
com as duas mãos e me beijou muito gostoso. Eu nunca tinha beijado daquele jeito, de língua, e o pau quase rasgou a toalha, ela
então desceu as mãos pelas minhas costas, e soltou a toalha que caiu no chão, deixando meu cacete empinado e dolorido de tão duro.
Aí tudo mudou, a vergonha sumiu, e ela continuou a me beijar, e se roçar em mim, e meu pau se esfolando naquele shortinho gostoso.
Ela me beijava e abraçava toda suada, tirando a camiseta suja e deixando aqueles peitos lindos apontando prá mim, com uns bicos
muito tesudos. Tirou a camiseta, abriu o chuveiro e entrou debaixo daquela água morninha e gostosa de shortinho mesmo. Me puxou e
ficamos ali dentro abraçados, nos esfregando um no outro. Eu confesso que estava sem iniciativa, pois até aquela data, eu não tinha
tido uma mulher pra mim dessa forma, era só uma agarradinha aqui e ali com as menininhas da turma; e ela parece que sabendo disso,
foi tirando o shortinho molhado, e eu fui vendo aquela bunda maravilhosa, aquela bucetinha incrível, aquele corpo cheio de vontade e
de pecados. Ela ficou sentada no chão do Box e eu de pé, com a água caindo sobre a gente e enfiou meu pau em sua boca, com uma
vontade danada de beber toda minha porra, que não demorou nadinha prá esguichar e inundar sua boca. Eu, por inexperiência ainda
tentei afastar sua cabeça, pra tirar o pau de sua boca e não gozar dentro, mas ela afastou minhas mãos e continuou mamando até
engolir toda minha porra quente. Fiquei ali quieto, o pau amoleceu um pouquinho, ela ficou de pé e tomou um banho ali comigo, só me
olhando e me lavando com shampoo. Me olhava, me beijava no rosto sorria esfregava sabonete e pegava minha mão para alisar sua
bucetinha ensaboada. Quando acabamos o banho ela me enxugou, e fomos pro quarto onde aí sim ela me ensinou tudo que é gostoso. Ela
tinha um corpo escultural. morena de pele clara, e cabelos negros, com aqueles olhos castanhos, que pareciam duas bolinhas de gude.
Deitamos na cama e ela tomava a iniciativa de me ensinar tudo. Eu tinha certos receios, mais por nojo e por inexperiência e ela me
deixava muito a vontade quando chupava meu pau, engolindo inteiro e ao mesmo tempo afagava minha bunda me abraçando forte sem tirar
o pau da boca. Ia e vinha com a cabeça e rolava o pau de um lado prá outro, dentro da boca quente e muito sedenta de mais porra. Eu
estava apaixonado por aquela situação maravilhosa, e pelo presente que estava recebendo dela. Não gozei novamente, e ela me colocou
chupando seus peitos e ia ao mesmo tempo empurrando minha cabeça para baixo. Eu desconfiava que ela queria que eu enfiasse a língua
naquela buceta, e logo fui até ela. Ainda com nojo, fechei os olhos e meti a língua. Chupei muito a buceta mais gostosa que tive até
hoje. Chupava e enfiava a língua inteira dentro dela. Comecei a observar uma mulher que nunca tinha visto. Eu chupava seu grelo
amado e ela pedia pra eu enfiar o dedo em seu cúzinho enquanto lhe enfiava a língua. Ela segurava minha cabeça atrás de minhas
orelhas, e me apertava contra o grelo quente e molhado. Ela gozava sem parar e gritava muito. Eu chupei aquele grelo por uma meia
hora sem parar, e sentia que o molhado de sua buceta, nosso suor, minha saliva, tudo isso misturado escorria pelo meu pescoço. Ela
gozou inúmeras vezes, e deitou desfalecida para descansar. A buceta toda avermelhada e inchada, e eu alí com o pau super duro. Ela
me abraçou e foi me conduzindo prá meter o pau bem devagar. Meti e ela nem bem sentia a vara penetrar, já começava a rebolar e
gritar muito. Loucura aquela mulher. Sabia tudo de como gozar e como fazer gozar, acho que gozou inúmeras vezes. Impressionante como
fodia aquela fêmea no cio com seus 19 aninhos. Que excelente professora, que puta maravilhosa. O melhor estava por vir ainda, depois
que descansamos, ela abraçada em mim, mais velha, mais experiente, mais linda que antes, ofegante e gostosa. muito cheia de tesão
prá mim. Ficamos ali um pouco, e meu pau não amolecia de tudo, ainda estava meio duro, quando ela começou a chupar outra vez me
colocou de pé, e ajoelhou-se colocando seus seios em volta da vara dura e de vez em quando abaixava bem a boca e dava uma lambida no
pau. Depois ficou de quatro, e pedia pra eu meter em sua boca como se fosse em seu cú. Uma delícia, uma cadela no cio mesmo. Hoje
entendo tudo que ela me fazia. Me ensinou até um 69, que me recordo, ficava com a boca em sua buceta e meu nariz roçando seu
cuzinho, e enquanto chupava a bucetona ela pedia pra enfiar o dedo em seu cu. Quando estava de pau totalmente duro novamente, ela
abriu uma gavetinha, e pegou um creme nívea, lambuzando todinho meu pau. Ela me olhando, com uma cara de tesão e de carinho. Era
super bonita e com toda meiguice, disse que ia perder o cabacinho do cu comigo. Eu alí, sem saber até o que era isso tudo e o que
ela pretendia, fui vendo-a ficar de quatro prá mim, bem na beirada da cama. Eu fiquei em pé e ela arreganhou aquele cú divino e
maravilhoso. Um cúzinho rosadinho e fechadinho de tudo. Ela abaixou a cabeça, deitando num travesseiro e a bunda ficou empinada
esperando o pau entrar. Ia me conduzindo me puxando com os braços passando por baixo e por entre suas pernas até que coloquei a
cabeça do pau no cuzinho adorado e ela começou a se masturbar, enquanto que tomava no cuzinho. Fui enfiando e ela virava o olho e
gritava gozando. Depois, tirou o pau do rabo e deitou normalmente na cama, encostando os joelhos em seus seios como um franguinho
assado, deixando o cúzinho a mostra e saltadinho e a bucetinha saliente. Ela me conduzindo novamente, me fazendo penetrá-la
novamento no cuzinho já amaciadinhoe apertadinho. Fui metendo e ela se masturbava metendo o dedo no grelo e pondo na boca, e gozando
enquanto tomava no rabo. Enfiei tanto o pau naquela bundinha adorada, naquela posição deliciosa, que o pau entrava todinho e meus
pentelhos grudavam nos dela, pois eu estava comendo o cuzinho pela frente, e escorria aquele gozo fantástico daquela buceta amada.
Eu beijava sua boca com dificuldades, pois as pernas encolhidas não deixavam eu me encostar nela. Fiquei olhando aquela cara de
tesão e de amor. Perguntei prá ela se eu a tinha deixado com tesão e ela respondeu com um beijo longo e molhado, que eu ia foder
aquele cuzinho sempre, e realmente foi o que aconteceu. Durante muito tempo eu a enrabáva deitada. Ela adorava dar a bunda deitada
bem esticadinha. Abria o cu abrindo as pernas, dava uma leve erguida no rabo e depois que o pau entrava ela deitava e se esticava.
Eu metia e deitava sobre suas costas, sentindo seu pescoço em minha boca. Como ela adorava ser comida no cuzinho, deitada. Não
ficava mais de quatro, ela dizia que sentia mais o caralho dessa forma. Ficava com as mãos pra cima me acariciando enquanto tomava
bastante na bunda. Apesar de minha inexperiência, podia perceber que o cuzinho era muito fechadinho e sem uso, pois o pau sempre
saia machucado e arranhado. Me sentia o dono do rabo. Foram três anos de maravilhosa sacanagem. Hoje sei que fui usado, mas foi
super compensador. Estas trepadas me marcam até hoje, pois apesar de tantos anos, até agora fico de pau duro lembrando de Rejiane.
Ficamos juntos muito tempo. Aquela buceta me marcou tanto, que fiquei por longos anos lembrando e até sentindo seu gosto em minha
língua e seu cheiro em meu nariz. Seu leite escorrido, penetrava em meu nariz e me embriagava com aquele suco de desejo. Aprendi com
ela a delicia do 69, que ela adorava fazer, pedindo sempre que eu enfiasse primeiro um depois dois dedos em seu cu, enquanto a
chupava. Lembro de como ela adorava ficar olhando na janela as pessoas que passavam na calçada, e eu por trás dela abaixado,
lambendo seu cúzinho e sua bucetinha. Ela era uma puta. Uma tremenda duma puta que sabia fazer um macho feliz. Nunca mais vi uma
mulher tão desejosa de tomar uma vara. Ela adorava beber minha porra, me tocar punheta, por o pau na boca, no nariz, no ouvido. No
vão dos peitos. Quando ela ia se casar, eu já estava com 19 anos e ela com 24, nos despedimos. Despedida amada, sincera, devedora,
pois ela me iniciou num cúzinho adorado e numa bucetinha fantástica. Na despedida, trepamos muito, mas ficamos muito tempo nos
beijando e nos desejando. Fiquei abraçado a ela uma noite toda e até choramos pois ela dizia que não daria mais depois de casada.
Durante muitos anos, eu comi aquele cuzinho, chupei aquela buceta e aqueles peitinhos, fui chupado e amado eu percebia isso. Que
prima deliciosa. Casou com um dentista, que se ela fizer com ele o que fazia comigo, ele deve ser um cara super feliz. Sempre que
lembro disso ainda fico excitado e o pau levanta...

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

ABANDONADOS
Paulo Mohylovski

mohylovski@yahoo.com.br

    

 Acordei com o telefone tocando insistentemente. Virei de lado e enfiei a cabeça debaixo do travesseiro. O telefone não parava. Resolvi atender. Era Elza.

- O que você quer? – perguntei.

- Trepar. – ela respondeu simplesmente.

- Mas trepamos ontem.

- Eu quero aproveitar que meu marido está viajando.

- Mas por que não de tarde?

- De tarde, eu não posso. E agora estou perto da sua casa.

- Tudo bem. Estou te esperando.

Desligamos.

Fechei um pouco os olhos. Uma leve excitação começou a tomar conta do meu corpo. Acabei ficando excitado. Abri os olhos e me levantei.

Mal tive tempo de lavar o rosto, Elza já estava no portão, tocando a campainha com insistência.

- Que ansiedade é essa? – perguntei, abrindo o portão.

- Não quero que me vejam na porta da sua casa.

Entramos rapidamente.

O próximo passo foi ir para a cama. Tive tempo de tomar apenas uma xícara de café. Elza tirou a roupa. Ficou de calcinha e sutiã vermelhos. Estava ardente e maliciosa.

- Só você pra ter este fogo nesta hora da manhã.

- Por que? Você não tem?

- Tenho, mas eu não uso calcinha vermelha, de puta.

- Eu ia estranhar muito se te visse vestido de calcinha.

Rimos.

- Bem, vamos ao que interessa. – falei.

Ela deu um sorriso malicioso.

Comecei com os peitos. Tirei um do sutiã. Afaguei o biquinho. Elza se contorceu. Continuei nele por um tempo. Depois fui para o outro. Desta vez, alisei e belisquei. Elza deu um gritinho e se contorceu mais uma vez.

Puxei sua calcinha pra baixo, até seus pés. Elza deu um pulinho pra frente e a calcinha ficou no chão. Ela ficou de salto alto e completamente nua.

Eu abracei seu corpo. Estava quente. Beijei a sua boca. Ela ficou ofegante. Os olhos brilhando de tesão.

Ela acariciou meu pau por cima da cueca. Depois o tirou pra fora. Estava grosso e duro. Elza se ajoelhou e começou a me chupar. Ela olhava pra cima, tentando ver minha reação.

Depois de um tempo me chupando, Elza se levantou. Andou até a cama, rebolando. Sentou na beirada e se preparou pra tirar os sapatos.

- Não! Fica de salto alto.

Ela sorriu e não tirou mais os sapatos. Ficou esperando por mim. Eu me aproximei. Não estava muito concentrado. Segurei o queixo de Elza. Ela me olhou de uma maneira indefesa. Eu a empurrei para a cama. Ela se deitou de pernas abertas. Tirei minha cueca e fiquei nu. Enterrei meu pau na buceta de Elza. Ela deu um longo gemido de prazer. As suas pernas ficaram escancaradas. O salto alto me excitou. Eu metia olhando para os sapatos dela.

Fiquei um tempo, enfiando e tirando. Depois mandei que Elza ficasse de quatro. Ela ficou ainda mais escancarada, olhando para trás, me esperando.

Eu me ajoelhei atrás dela e enfiei. Elza estava encharcada e o pau entrou fácil. Comecei a bombar com força. Olhava para o corpo branco de Elza. Os seus cabelos estavam soltos. Ela tentava prendê-los, mas naquela posição não conseguia. Estava sentindo muito calor. Seu corpo começou a ficar vermelho. Ela me olhou. O seu rosto estava vermelho e suado. Eu também comecei a suar. Os nossos sexos produziam um chiado interessante. Ela rebolava todo o corpo, querendo que eu enfiasse tudo.

De repente, Elza começou a falar palavras obscenas:

- Mete! Fode! Me faz de puta! Me arromba!

Segurei-a com firmeza. Subi em cima dela, como se fosse um cachorro vadio. Deste jeito meu pau entrava todo na sua xota. Fiquei me equilibrando nas duas mãos. Elza ficou em silêncio, sentindo o peso do meu corpo. Acabei me desvencilhando dela e me deitei na cama.

- Preciso tomar água. – ela disse e foi até a cozinha.

Voltou com um copo. Tomei um gole. Ela tomou mais um pouco, depois colocou o copo no criado-mudo. Deitou-se do meu lado e perguntou:

- O que você quer que eu faça?

- Quero que você me chupe.

Ela deu um sorriso malicioso. Aproximou-se do meu pau. Me olhou mais uma vez e depois começou a me chupar. Ela segurava meu pau com delicadeza, mas a sua boca me engolia com voracidade.

- Ah, minha nossa! Que gostoso! – eu disse.

Ela me olhou sem tirar o pau da boca. Deu até um sorriso, sem largar o cacete. Ela também batia punheta pra mim, com a boca. Era muito excitante. Não sei como não gozei.

- Chupa meu saco! – falei.

Ela deu outro sorriso. Ela sempre sorria quando eu lhe dava uma ordem. Desta vez, não foi diferente. Ela grudou a boca nas minhas bolas. Eu não via o seu rosto, apenas seus cabelos ruivos. Mas sentia a melhor sensação do mundo. Meu pau endureceu ainda mais.

Puxei-a para perto de mim. Ela ficou me olhando, esperando.

- E agora, o que você quer? – ela perguntou.

- Quero que você suba no meu pau, mas olhando para os meus pés.

Outro sorriso.

Ela tirou o salto alto e se ajeitou de cócoras em cima do meu pau. Fez o encaixe. A sua buceta parecia uma flor carnívora faminta.

No começo, ela subia e descia vagarosamente. Depois aumentou a velocidade. Não agüentou muito tempo naquela posição. Teve que fincar os joelhos na cama. Ajoelhada foi mais fácil. Todo seu corpo tremia. Fiquei olhando para a sua bunda. Ela apertava e a soltava. Quando apertava, a bunda ficava todo enrugada. Olhei também para as suas costas. Elza tinha o dorso bonito. Estava avermelhado e suado. Por ser muito branca, o corpo de Elza, quando excitado, começava a ficar vermelho. As suas faces também. Ela ficou exausta e caiu ao meu lado. Estava ofegante.

- Preciso de água. – ela disse e tomou um gole do copo.

Não esperei muito tempo. Pulei pra cima dela e enfiei meu pau na sua buceta.

- Dá um tempo. Preciso respirar. – ela disse.

- Nada disso. Agora fiquei tarado.

Ela ficou em silêncio. Abriu as pernas. Eu metia com força. Todo seu corpo se mexia num ritmo violento. Elza parecia que estava passando mal. Tentava limpar o suor do rosto, respirar. Finalmente começou a se sentir melhor. Decidi maltratá-la e enfiava com todas minhas forças. Eu martelava seu sexo com intensidade.

Ela sorriu e abriu as pernas ainda mais.

- Gosta que eu fique assim? Toda aberta?

- Gosto. – respondi com dificuldade.

Não conseguia dizer mais nenhuma outra palavra. Todo meu corpo tremia de excitação. Eu tentava me controlar para não gozar. Cada vez que eu parava de bombar, Elza entrelaçava as suas pernas nas minhas costas, me puxando para continuar enfiando.

Ela gozou várias vezes nesta brincadeira. Eu já não conseguia mais me controlar. Precisava gozar de qualquer jeito. Desvencilhei de Elza e me deitei ao seu lado.

- Eu quero gozar. – eu disse.

- Como?

- Na sua boca.

Mais um sorriso malicioso.

Ela se ajeitou e colocou a boca no meu pau. Parecia satisfeita em me ver assim, indefeso, a sua mercê. Resolveu caprichar. Segurou o pau de pé e afundou a boca até o fim. Fez isso umas cinco vezes. Parecia uma tortura. Depois começou a me punhetear com a boca, me olhando.

Quando estava gozando, gritei como um condenado:

- Eu te amo, sua puta!

Era sempre assim. Eu gritava enquanto enchia a boca de Elza de porra. Ela nunca engolia, mas deixava escorrer pelos seus lábios, pelos peitos, por tudo.

Fiquei exausto. Trepar desta maneira selvagem logo de manhã me paralisava completamente. Fiquei largado na cama, achando que Elza fosse ficar ainda um tempo comigo. Ela começou a se vestir:

- Onde você vai?

- Tenho que ir embora.

- Fica mais um pouco.

- Não posso. Tenho um compromisso. Amanhã, eu volto.

- Tudo bem.

Depois que ela se vestiu parecia uma nova pessoa. Nada demonstrava que ela tivesse acabado de dar uma foda. Gostaria de ter esta capacidade das mulheres. Eu me sentia um trapo.

Voltei para cama. Dormi profundamente. Depois de mais duas horas de sono profundo, acordei e fui cuidar da minha vida.

No dia seguinte, depois do almoço, Elza me ligou:

- Vamos trepar. – ela disse.

- Você é uma tarada. Quer todo dia.

- Quero. Eu adoro sexo.

Mais uma tarde de completa putaria. Não preciso descrever a trepada, pois era sempre a mesma coisa. Terminava sempre gozando na boca dela e gritando:

- Eu te amo, sua puta.

Desta vez, depois de gozar, Elza ficou alguns minutos ao meu lado. Esperei que ela fosse falar que me amava, que queria ficar comigo, como sempre fazia, mas desta vez ela não disse nada disso.

- Eu vou me separar. – ela disse.

- Eu não tenho condições de ficar com você. Eu mal consigo me sustentar.

- Mas quem disse que quero ficar com você? Eu vou embora pra Itália. Conheci um italiano e ele quer me levar pra lá.

- Como assim? – perguntei, perplexo.

- Eu também estou trepando com ele há uma semana. Eu saio daqui e vou trepar com ele. O cara tá doido. Vai montar uma exposição dos meus quadros em Roma.

Elza era pintora.

Eu estava atônito. Não conseguia dizer nada. De fato, Elza partiu. Ela me mandou um cartão da Itália.

O mais engraçado foi que não fiquei abalado, mas tomei um susto quando vi o marido de Elza na porta de casa:

- Eu sei que ela está com você. Eu não me importo que ela trepe com você, mas eu não quero que ela me abandone.

Tive vontade de rir:

- Sabe de uma coisa, meu velho? A Elza nos abandonou. Ela está na Itália, morando com um italiano cheio da grana.

O cara ficou me olhando e começou a chorar. Ele me abraçou e eu fiquei dando tapinhas nas suas costas, tentando consolá-lo...

 
 

Paulo Mohylovski

 
 

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

REENCONTRO DE CORPOS AMANTES

gifs_oral_099

By Lan -  elainemartinss@hotmail.com>

Fazia mais de um interminável mês que tínhamos brigado, fizemos as pazes, e já tinham umas duas semanas que eu ainda não tinha sentido aquele corpo novamente me fazendo sentir tudo aquilo que sempre me proporcionara...
Fiz o convite para um local que ele ainda não sabia qual, ele aceitou e já preparei os ingredientes para incrementar o encontro..
Meia dúzia de velas, incenso de morango e vinho.
Descaradamente caminhei com ele até o motel de antigamente...entramos...fui pro banho primeiro..e enquanto ele tomava o dele, eu preparava o cenário..
Em cada canto da parece uma vela, fazendo da cama o altar, o quarto estava  iluminado apenas por elas, no ar, o cheiro da sensualidade daquele incenso, o som..musica tranqüila..ambiente perfeito.
Ele voltou do banho, tomamos o vinho...e dávamos ''start'' ao jogo..
Veio pra cima, segurou meu pescoço com as duas mãos firmes, e começou a me beijar, sugava meus lábios como se os quisesse pra ele, sua língua quente e molhada, com gosto de vinho, explorava tudo, ele beijava com tanto tesão que meu corpo não agüentava ficar ali parado sob o dele, eu me remexia inteirinha, sem parar.
Deitou sobre meu corpo e eu ali sem saída, sendo completamente atacada e sem defesa..
Beijos loucos, loucos e loucos, minha boca só sentia...a força com ele a pegava, a sentia..
Depois de viajar longe ali, eu resolvi contra atacar..ele não podia ficar sendo o dono da situação por muito tempo, afinal quem planejou tudo fui eu, eu o faria sentir.
Deitei ele e comecei o contra ataque..
Segurei firme suas mãos...seios nus sobre os peitos dele, pernas firmes segurando o corpo dele ali parado na cama, e a boca em ação, fui matar a saudade de agir, de fazer ele sentir..
Beijei ele alucinadamente, mãos presas às minhas, corpo preso em minhas pernas, e eu ali totalmente nua em cima dele, controlando toda situação..
Cheirei muito, minha respiração sugava  a energia do corpo dele, sem tocar minha língua e nem minha boca, fui só inspirando aquela pele, passei pelo pescoço, rosto colado, ele sentia minha boca mas não minha língua, minha respiração, mas não meu nariz...e fui passeando pelo corpo dele. Todo pescoço eu já tinha explorado e descendo levemente fui até o tórax, e quando me deparei com aqueles mamilos com piercing não agüentei...Abocanhei...
Engoli todo, soltei as mãos dele, a apertei aqueles peitos todos meus, minha lingua rodeava firme, forte e profundo...
Ele tremia...desci até sua barriga e enquanto isso meus seios massageavam seu pau estourando...Fiz espanhola nele sem tocar meus seios....só com o corpo...e ele só olhando e se deliciando, com aquela cara de ''vou me vingar''..
E eu nem ai, era isso que eu queria, deixar ele doido, mostrar pra ele novamente que sexo é uma coisa que gosto e que sei fazer.
Desci até seu pau...sem toca-lo, ele ali em pé como um cassete..duro..explodindo como um vulcão..Abri bem minha boca e sem toca-lo cheguei até a raiz...só lá foi que fechei toda minha boca, e ele a sentiu..
Completamente sugado..completamente tomado por minha boca, comecei então a fazer meus movimentos, descer, subir, lamber, apertar em meus lábios, soltá-los..fiz mto...chupei mto...tava com muita saudade de engolir aquilo tudo de novo...ele não agüentando muito, começou a babar...e isso só lubrificava...
Judiei...fiz com toda minha vontade, com todo meu tesão....engolia tudinho...e descia e subia freneticamente..
Quando senti sua veia latejar..ele subitamente levantou...me jogou na cama...e veio pra cima...veio se vingar..
Pegou meus dois seios juntos...e não sei como, os engoliu juntos e inteiros..que tesão!..
Desceu rapidamente, abriu minhas pernas como um animal...olhou pra minha cara, como quem dissesse '' agora vc ta fodida''....e eu tava mesmo!
O filha da puta, tava com a boca pelando, pegando foto, e quente! Quente demais..
Me chupou maravilhosamente, coisa de louco...segundos, eu disse segundos, foram o bastante pra eu gemer como louca, e gozar ali na boca dele...
Tava uma delicia..ele continuou...e eu pra me esquivar...fui fechando as pernas...virando de lado....e ele sem parar...abriu novamente minhas pernas como um cavalo....me virou de costas, e abriu minha bunda e mergulhou ali..
Chupou meu rabo, desceu até minha xana e lambia com muita vontade...
E eu já doidinha, toda aberta, molhada, gozada..
Novamente deixei de ser passiva, tinha que atacar!!! Tinha que deixar ele louco, e não eu.
Achei forças não sei onde, e  o deitei...subi em cima dele e trepei...mas trepei muitoo...cavalguei como nunca, forte...fundo....lá no fundo...mexia meu corpo e com meu pompoarismo o fiz sentir cada pedaço dentro de mim...
Minha xana ardia de tesão..que pau gostoso do caralho...
Meti muito, muito mesmo...gemia ali sentada no pau dele, pulando feito cabrita...feio uma cachorra..
E a guerra continuava...ele me virou...me deitou na cama, e veio pra cima, subiu minhas pernas em seu ombro...e meteu sua vara sem dó..sem piedade...
Eu? Gritei...
Ele sorriu...satisfeito..
Batia em mim como bicho, metia forte, como se me punisse por ter pulado em cima dele daquele jeito..
'' vc não quer me deixar louco...então toma!!!"
Nuossa!!! Que coisa gostosa...que delicia...''mete mais''  ....''eu gosto'''...não adianta...qto mais força mais gostoso!..
Ele não agüentou..me chamou pra tomar leite..mas não quis...eu queria sentir aquele jato dentro de mim, e senti....nitidamente senti...e acabei gozando junto de tesão..
Round 1 terminado...quem perdeu? Ngm..na verdade, os dois sempre saem ganhando..
Sorri mesmo assim e disse...
'' arrregou hen..'' 1x0..
Ele sorriu tb, sarcasticamente sorriu....e com a tora dura veio pra cima novamente para minha surpresa..
'' vc que pensa''...''só estamos começando''.
Me virou de quatro e ai sim judiou legal....quanta força!!! Quanta raiva!! Quanto tesão!..realmente eu não ia ganhar..
Ele tava com fôlego total...corpo forte...metia demais, me fazia gritar, e quanto mais eu gritava, mais ele metia...qto mais eu gemia, mais ele metia...e eu ali...só tomando a vara...sendo fodida como a muito não sentia..
'' vc não quer ser fodida'' ''então'' toma..
Molhou seus dedos, e passou no meu rabo....enfiou nele...e me comia na frente com seu pau e atrás com seu dedo....puta que pariu que tesão..
Quando ele viu que tinha permissão, tirou o pau explodindo da minha xana e o enfiou no meu rabo..bem cavalo mesmo, bem forte, sem nenhum limite...enfiou tudinho e ainda me esfregou seu saco pra ver que tinha entrado tudo..
Começou a bombar, bombar demais...eu ia perder feio..não podia deixar..
Sai...não deixei mais...empinei mais a bunda e ofereci minha xana pra ele...
'' vc quer comer? Então come''
''Come direito'' ''come com força'' '' come com vontade'' ''come animal'' '' come minha xana come'' '' não é isso que vc quer'' ''então...mete'' ''mete mais'''. E rebolava ali de quatro no pau dele, me apoei na cama, e metia minha xana com tudo naquele pau...mta força, tava dando várias ''bucetadas'' nele...e logo não agüentou novamente...e tirou gozando muito por toda minha bunda..
Deitamos, tomamos mais vinho...e minutos depois, ligam da recepção..
'' Faltam 15 minutos''
Caralho!! Já?
Arreguei pra saideira..rs, tomei outro banho...ele tb, nos vestimos e saímos..
Foi um reencontro louco...a gente sempre sente tudo de bom em nossas transas..e ali matei minha saudade...com gosto..com vontade...deixei minha química unir-se a dele, e gozamos gostoso...nos sentimos gostosos...e quem sabe não é o só um recomeço...
__________

DANIELLE FICA CURIOSA
by Paulo Mohylovski

Jennifer estava deitada na sua cama, pensando em Leonora. Elas tinham trepado mais uma vez. Apesar de já terem feito sexo várias vezes, Jennifer sempre achava muito excitante sentir a língua de Leonora no meio da sua buceta. Era delicada, quente e macia. Era uma língua cheia de fogo e desejo. Leonora não tinhas dúvidas do seu sentimento e nem da sua sexualidade. Jennifer era que continuava ainda combatendo esta sua atração cada vez mais forte por Leonora. Mesmo assim, ali deitada, sentia o mesmo fogo que a consumia há algumas horas atrás, quando estavam juntas no motel.
Jennifer deixou a sua mão passear pelas suas pernas. Sem perceber, abriu o zíper da calça e afagou delicadamente o início dos seus pêlos. Leonora. Aquele nome vinha envolvido em um sentimento de mistério e perversão. Leonora. Abriu ainda mais o zíper até que finalmente abaixou a calça e a calcinha. Ficou nua da cintura para baixo. Os seus pensamentos continuavam cada vez mais eróticos. Sentia os seus olhos se fechando. Suavemente abriu os lábios da buceta e enfiou um dedo no meio dela. Cada vez que pensava em Leonora, ficava cada vez mais úmida. Lembrou-se dos beijos cheios de saliva, do banho demorado e o outro beijo debaixo do chuveiro.
Jennifer começou a se masturbar com mais volúpia. Tirou uma das pernas da calça e se abriu por inteira, como se fosse um compasso. Continuava com o dedo enfiado e introduziu mais dois. O seu sexo umedecido já fazia um chiado alto e impressionante. Com a sua mão livre, Jennifer puxou a blusa para cima e descobriu os seus seios. Apertou um e depois apertou o outro, como Leonora fazia. Estava cada vez mais excitada. Já não conseguia mais sufocar os gemidos.
Neste momento, Danielle passou pelo quarto de Jennifer e aqueles sons estranhos chamaram a sua atenção. A garota colocou a cabeça pela porta entreaberta e viu Jennifer de pernas abertas, com os dedos enfiados na buceta. Por um momento, Danielle virou a cabeça, mas a curiosidade foi mais forte. Olhou novamente pela porta entreaberta. A outra garota se debulhava de prazer. Danielle, que nunca tinha pensado em transar com outra mulher, sentiu um calor infernal subindo pelas suas pernas. Mordeu o lábio e inconscientemente levou a sua mão até a calcinha, que nesta altura estava completamente úmida. Sem perder tempo, afastou o tecido e colocou um dedo no meio da buceta loira.
Jennifer continuava gemendo e murmurando o nome de Leonora. De repente, ela abriu os olhos e viu através do espelho, Danielle se masturbando furiosamente. Deu um grito involuntário e a loirinha percebeu que estava sendo olhada. Ela se ajeitou e correu, assustada, para o quarto. Jennifer vestiu a calça e foi atrás da loirinha. Encontrou-a no quarto, com o olhar atemorizado.
- Jennifer, eu não queria te olhar. – ela disse com a sua voz infantil – mas quando eu te vi nua e fazendo aquilo, bem, eu fiquei molhadinha...
Jennifer riu:
- Não se preocupe, Danielle. Eu não estou zangada com você.
- Não?!
- Não.
Danielle se sentou na cama:
- Nem vai contar pro paizinho?
Jennifer riu novamente:
- Claro que não, sua tonta.
Danielle fez um biquinho lindo.
- Sabe, Jennifer, eu tenho curiosidade pra saber como é fazer sexo com outra mulher. É gostoso?
Jennifer olhou para a cara sapeca de Danielle:
- Por que você quer saber, garota?
Danielle ficou com o olhar mais maroto ainda:
- Você promete que não conta pro paizinho?
- Prometo.
Danielle suspirou e depois disse de uma só vez:
- Eu queria transar com você, Jennifer.
Jennifer ficou séria:
- Você sabe que estas coisas não são assim. Eu amo a Leonora.
- Eu sei, mas eu fico excitadinha quando eu vejo vocês juntas. Olha, agora mesmo, eu tô toda meladinha. Coloca a mão aqui. Coloca.
Jennifer se sentou na beirada da cama. Danielle pegou a mão dela e a levou até o meio das suas pernas:
- Não estou quentinha, Jennifer?
- Muito.
- Então...
Danielle deu outro sorriso maroto.
Jennifer se levantou:
- Não, Danielle, eu não saberia fazer com você.
- Por que?
- Porque comigo e com a Leonora, é ela que toma iniciativa. Eu não saberia...
Jennifer não conseguiu terminar a frase: Danielle pulou da cama e lhe deu um beijo na boca.
Ficaram se beijando. Uma língua se enroscando na outra. As mãos se espalhando pelos corpos quentes. As roupas caindo no chão. A nudez exposta. A cama começando a ficar desarrumada. Pernas entre pernas. Boca com boca. Boca na buceta. Buceta com buceta.
- Ai, que gostoso! – Danielle disse quando Jennifer começou a chupá-la.
Em pouco tempo, estava começando a gozar. Neste momento, Jennifer enfiou um dedo no cu de Danielle sem parar de chupá-la. A loirinha quase morreu de prazer. Ela nunca tinha sentido tanto tesão numa chupada. Sentiu uma tontura gostosa e fechou os olhos curtindo o resto de prazer que morria. Quando abriu os olhos, Jennifer estava lhe beijando os seios delicadamente. Depois a beijou de uma maneira suave e meiga.
- Gostou, Dani?
- Adorei.
Jennifer se levantou e vestiu a roupa:
- Se cuida, garota. – disse, saindo do quarto.
- Jennifer! –Danielle a chamou novamente.
- O que foi?
- Eu posso transar com você e a Leonora?

Paulo Mohylovski
_______________
 
COMENDO A TIA SÔNIA NO BANHEIRO
by Paulo Mohylovski

Foram dois dias de loucura. Minha tia apareceu em casa para passar o final de semana. Ela tinha que conversar com o seu ex-marido sobre a separação. Eles moravam em cidades diferentes e Tia Sônia precisava de algum lugar para ficar. Minha mãe ofereceu a nossa casa e tia Sônia aceitou. Antes de continuar, vou dizer como é a tia Sônia: ela é baixinha, meio gordinha, bunda grande, cabelos longos e lisos e olhos claros. Já está um pouco enrugada em volta dos olhos, mas tem um olhar sacana que sempre me excitou. Já bati várias punhetas para tia Sônia.
No primeiro dia, ela ficou conversando com minha mãe. À noite, ela se sentou comigo para ver televisão. Minha mãe dorme muito cedo e tem o sono pesado. Fiquei na sala com tia Sônia, que não parava de cruzar e descruzar as pernas. Ela estava com uma camisolinha bem curta. Eu não conseguia prestar atenção na televisão. Eu olhava com o rabo de olho para as pernas da minha tia. Até que não agüentei mais e fiquei de pau duro. Decidi me esticar no sofá para que meu cacete ficasse visível por baixo do calção. Ficou a maior tenda armada, mesmo assim tia Sônia continuava prestando atenção na televisão. Até que fui mais ousado e tirei o cacete pra fora. Comecei a bater uma sem me importar se tia Sônia ficaria chocada ou não. Quando dei por mim, tia Sônia estava ao meu lado, com a mão no meu pau e beijando minha boca. Fiquei louco de tesão. Ela beijava gostoso e depois começou a morder meus mamilos, como só uma mulher experiente sabe fazer.
Meu pau estava cada vez mais duro e grosso. Tia Sônia puxou a minha camisa para cima e começou a morder minha barriga. Depois puxou o calção até as minhas canelas e começou a chupar meu pau. Ela chupava como uma louca. Parecia que não via pinto há séculos. Ela chegou a levantar meu pau bem reto pra ficar chupando meu saco. Eu estava quase esporrando quando ela parou. "Vamos até o banheiro", ela disse. Achei a proposta excitante e acompanhei tia Sônia até o banheiro.
Mal fechamos a porta, tia Sônia tirou toda a roupa, ficando completamente pelada. Ela se curvou, apoiando o corpo na parede. Arrebitou a bunda e me estimulou a comer sua buceta por trás. Meu pau era grande, mas não conseguia fazer o encaixe direito. Tia Sônia abriu a bunda com as duas mãos e mostrou a buceta arreganhada. "Enfia devagar que o pau entra todo", ela disse.
Eu fiquei enlouquecido quando vi tia Sônia toda aberta na minha frente. Coloquei o pau e empurrei. Foi entrando gostoso. Tia Sônia rebolava para que entrasse tudo. Como ainda continuava difícil, ela se curvou ainda mais. Sua cabeça quase se encostava nos seus joelhos. Deste modo, a pica entrou fácil e eu senti a buceta úmida de tia Sônia. Comecei a estocar num ritmo lento. Aos poucos fui aumentando a velocidade. Tia Sônia tentava abafar os gemidos mordendo a toalha de banho. Sua cara ficava toda enrugada. Eu resolvi ser mais perverso e comecei a bombar com todas as minhas forças. Cheguei a enfiar um dedo no seu cu só pra ver a sua agonia, tentando se controlar para não fazer um escândalo.
Ela ficou algum tempo naquela posição. Virou-se e me beijou na boca. Disse que estava cansada e se sentou na privada, de pernas abertas. "Me chupa, sobrinho", ela disse. Eu me sentei aos seus pés e encaixei a minha boca na entrada da sua racha. Coloquei só a ponta da língua, passando o dedo por cima do seu grelo, que logo ficou duro. Depois enfiei a língua toda, dando um verdadeiro beijo no meio da buceta de titia. Ela me segurou pelos cabelos e começou a me fazer carinho. Ela tinha um toque de mão bem gostoso, o que me fez ter mais vontade de chupá-la. Tentei inutilmente enfiar a língua no seu cuzinho, mas a posição não estava fácil. Meu pau estava duro que nem aço. Eu batia punheta enquanto chupava. Já não estava agüentando. "Você já gozou, titia?", perguntei. E ela respondeu: "Faz tempo".
Quando ela disse aquilo, eu me levantei e enterrei o pau na sua boca. Titia ficou linda com a boca toda estufada. Ela me chupou que nem uma prostituta, me olhando nos olhos. Eu não agüentei tanta safadeza e acabei esporrando na boca de titia. Eu quase desmaiei. Minhas pernas ficaram bambas. Eu me limpei com papel higiênico e fui para o meu quarto, onde caí na cama e dormi profundamente.
Na noite seguinte, repetimos a dose. Minha mãe embaçou um pouco, mas quando ela disse que iria dormir, titia e eu nos olhamos, cúmplices e excitados. Esperamos meia hora. Enquanto isto ficamos na cozinha. Titia tirou os peitos pra fora e eu fiquei chupando, enquanto apalpava a sua buceta. Tia Sônia parecia completamente desconcertada. Ela não conseguia nem falar direito de tanto tesão. Quando percebemos que o caminho estava livre, fomos para o banheiro.
Desta vez, pusemos uma toalha no chão. Eu me deitei de costas e segurei firmemente o pau. Titia tirou a roupa e foi se agachando até se ver entalada com minha rola. Ela estava de costas para mim e eu pude ver a sua bunda descendo e subindo enquanto sua buceta engolia meu pau. Fiquei doido com aquele cuzinho se abrindo e fechando. "Titia", sussurrei. Ela se virou e me olhou. "Posso comer o seu cuzinho?", perguntei. Ela não disse nada. Ela se levantou, abriu a bunda e desceu novamente. Desta vez encaixando a rabiola no meu pau.
Que delicia sentir aquele cuzinho se abrindo e envolvendo meu cacete! Eu ergui um pouco a cabeça e vi a bunda se dividindo em duas com meu pau no meio. Entrei em delírio erótico, mal conseguindo me controlar. Tia Sônia, sacana como era, ficou acariciando meu saco. O que me deixou ainda mais tesudo.
Titia rebolava suavemente, tremendo a bunda em torno do meu cacete. Não agüentei. Titia percebeu e se levantou. Depois se agachou entre minhas pernas e começou a me chupar. Até me ver esporrando na sua boca...
Nunca mais esqueci destas nossas duas fodas. Toda vez que entro no banheiro, me lembro que foi ali que comi tia Sônia sem ninguém desconfiar de nada...

Paulo Mohylovski

sábado, 4 de setembro de 2010

RAFAELA

conto de Gabriel
narcisosantos@hotmail.com
 gifs_mast_023

Conheci Rafaela pela Internet e ficamos amigos. Começamos a trocar fotos e emails e a nossa amizade se solidificou a ponto de começarmos a trocar confidências.
Rafaela era morena, tinha 29 anos, cabelos castanhos e era casada.
Quando lhe contei que gostava de sexo virtual, Rafaela às vezes me provocava, a ponto de me deixar excitado. Mas ela apenas gostava de me provocar . Nunca fizemos sexo virtual porque ela dizia amar muito o marido.
Ficava falando sacanagens prá mim até me ouvir dizer (por telefone ou pelo MSN) que estava de pau duro . Uma vez ela duvidou . Eu não tenho cam, mas lhe mandei uma foto do meu pau
Ela riu de mim e me mandou tomar um banho frio . Mas numa outra vez que conversamos, me provocou novamente. 
Moramos em cidades diferentes, mas um dia, apareceu uma oportunidade de nos encontrarmos 
Rafaela viria com o marido para alguns eventos em São Paulo, e  combinamos de nos encontrar nas horas livres que ela teria, durante as reuniões dele.
Combinamos de nos encontrar no meu apartamento e eu morria de ansiedade.
Meu coração parecia que ia saltar pela boca, quando ela chegou.
Rafaela era ainda mais bonita do que nas fotos, estava com uma maquiagem leve, saia e blusa, bem discreta . Deliciosa !
Nem chegamos a nos falar direito, eu fui logo puxando-a pela mão e me grudando naquele corpo moreno. Agarrei-a pela cintura, afastei os cabelos do pescoço dela e me agarrei nela como um vampiro faminto.
Ela disse baixinho alguma coisa que não entendei. Eu fui logo abrindo as pernas dela e metendo a mão por baixo da calcinha. 
Logo meus dedos alcançaram sua buceta sedosa e escorregaram prá dentro dela. Eu estava louco de tesão, apertei-a contra a parede, subi a sua saia, afastei a sua calcinha pro lado e sem avisar, enfiei todo o cacete durinho dentro da sua buceta, Enfiava tão fundo que fui ficando na ponto dos pés.
Eu metia forte, levantei a sua saia até a altura da cintura e apertava sua bunda e dava tapinhas..
- " Nossa" ela disse,
Ela me segurava pelo pescoço prá se equilibrar, eu levantei uma de suas pernas e segurei-a pela coxa, junto à minha cintura, enquanto a fodia com força, , estocando-a.
Eu falava baixinho que ela era um tesão, que era gostosa, enquanto a beijava, mordia, lambia.
Entrava e saia, aumentava e diminuía o ritmo, parava às vezes e pedia prá ela : "olha pra mim, olha prá mim ". Ela me olhava, não dizia nada.
Aumentei o ritmo, martelando dentro dela, e estava quase gozando..
- "vou gozar", eu disse, apertando sua coxa . Aumentei a intensidade dos movimentos e senti o gozo chegando...e urrei como um animal, gritei um "ahhhhhhhhhh" prolongado e gozei como um louco, em espasmos deliciosos.
Não tirei o pau de dentro dela enquanto esporrava, e não sei quanto tempo ficamos abraçados, eu com a boca no seu pescoço, ela acariciando os meus cabelos.
Aos poucos, meu coração que havia disparado foi voltando ao normal e fui saindo de dentro dela, lentamente.
Então disse : " desculpa, não pude me controlar. Você  me deixou louco de tesão"
- “Oi, né,  Gabriel ?” , ela disse,me olhando,
Nós estavamos vestidos ainda, eu só tinha tirado o pau prá fora das calças, e ela estava com  o vestido levantado.
Fiquei olhando prá ela sem saber o que fazer, envergonhado, sem atitude.
Ela me puxou pela mão, sentando-se no chão e me disse :
- “ fica aqui, Gabriel. “ .
Ficamos um tempo, comigo deitado no seu colo e ela , acariciando os meus cabelos, sem dizer nada.
Não sei quantas vezes mais eu pedi desculpas. 
Ela não disse nada, pediu pra que eu levantasse, deitou-se  e me puxou prá junto dela.
Ficamos quietos , abraçados , lado a lado e logo estavamos trocando beijinhos..
Mais relaxados, os beijos foram ficando mais quentes , nossas linguas se encontravam como duas cobras famintas, e então eu desci a lingua pelo seu pescoço lindo e macio, devagarinho tirei a sua blusa ,o soutien,  liberando os seus peitinhos que a essa altura pediam para serem chupados.
Fiquei chupando os seus peitinhos por um tempo, ora lambendo , ora passeando a lingua pelos bicos e mordiscando os mamilos até ficarem durinhos. Enquanto abocanhava um deles, com uma das mãos comecei a acariciar o outro. Ela fechou os olhos , dizendo :  “delicia, delicia..”
Lentamente fui tirando a sua saia e a calcinha , e desci a lingua pela sua barriga e xoxota,  que não era depilada Comeci a morder os seus pentelhos e a esfregar o rosto neles, cheirando sua buceta como se fosse um cachorro. Depois desci, e comecei a passar a língua, lambendo toda a vagina, chupando toda a buceta até chegar ao grelinho que estava super inchado e quase explodindo.
Não conseguia me soltar daquela xoxota, fui chupando o clitóris com força e falando ao mesmo tempo :  “Que delícia de buceta. Quero te foder, quero te foder. “
Enfiei dois dedos dentro da xoxota com movimentos de vai e vem, fodendo ela com meus dedos.

Rafaela gemia baixinho, acariciando os próprios seios, apertando os biquinhos com força.
De repente, não aguentando mais, começou a gozar, um gozo tão intenso que soltou muita baba na minha boca e eu não conseguia parar de lamber. Lambia, lambia e ela gozava alucinadamente, se contorcendo prá todos os lados.
Depois de gozar, com o rosto todo avermelhado e com a respiração alterada, Rafaela me puxou para um longo beijo de língua, seguidos de muitos outros .
Ficamos novamente apenas abraçados, eu lhe dizendo palavras de carinho e ela sem dizer nada, apenas me olhando docemente.
Ficamos sentindo um o corpo do outro, desde a respiração até as batidas dos corações.. De vez em quando nos olhavamos e trocavamos beijos gostosos. 
Depois de um bom tempo assim, Rafaela veio beijando o meu pescoço, tirando a minha camisa, beijando a minha barriga, com beijinhos delicados e rapidos, me lambia e olhava prá mim..
Sempre me olhando tirou a minha calça e acariciou o meu pau , que estava meio mole ainda. Ela beijou a parte interior de minhas pernas e o sexo começou a reagir lentamente e ela começou a me masturbar devagarinho, depois o colocou na boca e começou a chupar , me masturbando e me olhando, até que a pica parecia querer estourar de tão dura, brilhando . Ela alisava-a com o rosto, com a lingua, e eu adorava ,lambeu-o de baixo pra cima, abocanhou cada uma das bolas, o que me levava a perder a respiração, tocava com a lingua, a cabecinha  e cobriu o pau com a boca..,penetrando profundamente em sua boca.
Manteve o carinho com a língua  tocando o céu da boca  enquanto ia e vinha rapidamente com a boca na extensão dele, me olhava safadamente, enquanto me chupava rapidamente.. Com a mão puxou o prepúcio para baixo da glande úmida que pulsava, apertou firmemente engolindo-o todo..Eu estava tonto,sem ação, apertando,acariciando os cabelos dela.
Senti um calor percorrendo o meu corpo todo e os testiculos explodindo.
- “não aguento de tesão”,  eu disse, “quero te foder....”
- “me fode !! “- ela disse
Ela agarrou-se a mim beijando-me demoradamente a boca, eu deitei sobre ela e abri bem suas pernas . Estiquei a mão até o pinto e passei a roça-lo no seu cuzinho e na sua boceta, alternadamente .Ela gemia .
Enquanto eu brincava pincelando seus buraquinhos, ela mordiscava desesperadamente meus ombros, meus lábios  . Tonto de tesão encaixei a pica dura como pedra na sua xoxota e enfiei numa só estocada, dando inicio a um vaivém delicioso, eu queria que o tempo parasse ali, sua xana se abriu por completo, engolindo todo o meu cacete. Ela deitou-se sobre mim ,dançava loucamente sobre o  meu pau firme, duro, querendo entrar bem fundo, bem apertadinho. Ela se movimentava para frente e para trás,alternando entre rápido e  devagar. Passava as mãos entre meus cabelos enquanto sua boca beijava a minha, meus dentes, minha língua, meu pescoço. Parecia querer fazer um monte de coisas até que não desse mais para segurar...Requebrou sobre mim, sem parar de pular  . Eu não resisti e disse que ia gozar..
Quando avisei que ia gozar, ela saiu rapidamente de cima de mim e levou meu pau à boca, mas a porra explodiu no seu rosto e colo,deslizando sobre os seios.As faces e o queixo dela ficaram brilhantes de porra.
Limpei o seu rosto com a minha camisa e a beijei, beijei, beijei, entre palavras de afeto e agradecimento. 
Ficamos assim mais algum tempo até que ela me disse que precisava ir embora .
Ainda conversamos pela Internet mas não tocamos nesse delicioso encontro.
E agora, só de escrever tudo isso, relembrando cada detalhe daquela transa, fiquei com o pau duro e louco de tesão..

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

KIARA

Conto de Kiara
kiarajf@yahoo.com.br

gifs_sexo_123

Numa sexta-feira de minhas férias, meu primo ainda estava viajando e minha amiga Bianca me ligou dizendo:
- Kiara, os meus pais vão viajar e irão passar o final de semana em São Paulo, quer passar o sábado e domingo aqui comigo??,
Logo respondi:  - ?Quero sim, vai ser superlegal passar o tempo aí com você Bianca, hoje de tarde logo depois do almoço eu vou para aí!?,
Logo que cheguei, fui me instalando e passamos a tarde conversando e vendo TV, à noite ficamos planejando o que faríamos no sábado, se fizesse sol, uma piscina, senão um cinema ou um filme no vídeo, deixando à noite para uma danceteria.
A cama de Bianca tinha uma parte retrátil, de onde saía outra cama, que foi onde eu deitei, conversamos sobre besteiras, roupas, amigos, vestibular, até que chegamos aos assuntos sobre sexo, imediatamente lembrei da transa deliciosa que tivemos com o meu primo.
Bianca toda assanhada disse: -
Sabe o Roger, o meu novo namorado??,
respondi para ela: - Sei sim, vocês já estão transando??, Bianca respondeu: - Estamos sim, você precisa ver o cacete dele, é simplesmente delirante!?,
Ela foi me contando os detalhes sobre o seu novo namorado e comecei a perceber que aquilo mexia comigo, minha xoxota já estava ficando molhadinha.
Bianca então fez a revelação:  - O pau dele é simplesmente anormal, de dimensões cavalares, as nossas transas são sempre muito complicadas, ele só comeu uma vez o meu cuzinho e deixou ele todo arrombado, mas sabe que até que eu gostei muito!?, Enlouquecida pela minha imaginação, estiquei o braço e comecei a alisar a bundinha de Bianca, por cima do short macio que ela vestia,
Sua reação não poderia ser melhor, parou de falar e fechou os olhos, Bianca ficou de bruços, expondo sua bundinha redondinha e carnuda, enfiei a mão por dentro de seu short e iniciei uma massagem no seu cuzinho dizendo: - Nossa, como ele é gostosinho, é uma maldade maltratá-lo!?,
Sem lubrificar penetrei-a com o indicador, fazendo-a dar um gritinho abafado, foi quando tocou o interfone,
Para minha surpresa, era o tal Roger fazendo uma visitinha surpresa.
______

Enquanto os dois conversavam na sala, eu me masturbava deliciosamente no quarto, tentando diminuir o tesão da minha xoxota,
De vez em quando, levava os dedos à boca, provando do meu próprio gozo que saia da minha xoxota, o gostinho parecia especialmente saboroso naquele dia,
de tanto me masturbar, acabei gozando loucamente e refeita, percebi que já se passara uma hora e nada, procurei meu chinelo e fui até a sala, pensei comigo: ?
-Acho que os dois saíram para curtir a noite juntos!?, doce engano, havia apenas um abajur aceso, iluminando bem o rosto contraído de Roger, sentado no sofá com a calça entre as pernas,
Bianca estava à sua frente, agachada e começava a abaixar a cueca do seu gatinho, quando aquele cacete saiu da cueca, eu tive que me segurar para não gritar de susto, falei comigo mesma: - Nossa, que cacete enorme, é muito comprido e muito grosso, será que Bianca consegue engolir todo aquele cacete??,
Logo Bianca caiu de boca, atacando apenas a cabeçona inchada, eu salivava invejando minha amiga, com uma ferramenta luxuosa daquelas à disposição.
A boca delicada de Bianca se contorcia, tentando abocanhar o máximo possível daquele cacete gigante, que a cada pulsação parecia estar prestes a explodir,
Observei por uns dez minutos, admirando o habilidoso boquete e os gemidos de ambos, até que esbarrei numa cadeira e os dois ouviram,
Bianca levantou o rosto todo lambuzado e fez cara de surpresa, Roger tentou levantar a calça envergonhado e disse: - Você está com visitas? Quem é essa garota??, Bianca disse: -É uma amiga muito íntima que veio dormir aqui em casa neste final de semana, Prontamente eu disse: - Não se preocupem, podem continuar o que estavam fazendo, só vim beber uma água e já estou voltando para o quarto
Bianca então aprontou mais uma surpresa perguntando: Kiara, vem ficar aqui conosco ??,
Logo respondi louca de tesão: - Vou adorar ficar junto de vocês! ,
_________

Apesar da minha interrupção, o pau de Roger continuava duríssimo, brilhando sob a luz do abajur e a cada segundo mais apetitoso. Ele nos olhava surpreso, enquanto eu me sentava ao seu lado, chegando perto de Roger logo disse: ?- O seu cacete é bem crescidinho
Ele deu uma risadinha e eu logo disse:   - Posso pegar??, Acho que isso despertou seu desejo, pois ele respondeu na hora: - Se Bianca deixar, pode sim!?,
Logo Bianca disse: -Pode pegar Kiara,
Logo que minha amiga autorizou, segurei a rola com uma mão, que mal fechava ao seu redor, senti o calor que emanava daquele caralho, volumoso e ainda melado de cuspe e de suas próprias secreções, olhei para Bianca, que retribuía com cumplicidade, e caímos de boca no cacete de Roger.
Enquanto eu tentava colocar o cacete, ou parte, pelo menos na boca, Bianca acariciava o saco, dotado de bolas enormes,
Roger gemia e parecia tão excitado que o pau tremia dentro da minha boca, fiquei sentindo aquele colosso pulsar, anunciando um gozo espetacular, prendi-o com meus lábios e aguardei,
Bianca logo parou de lamber seus testículos e ficou observando e dizendo: - Hoje você vai saborear uma porra diferente, muito docinha e gostosa!?, 
E logo senti o primeiro jato, abundante e potente.
Atingiu direto a minha garganta, os seguintes molharam minha boquinha e a porra era tanta que escorreu pelos cantinhos da minha boca, minha garganta ardia com o esperma viscoso de Roger, o gosto era forte e saboroso, Nesse instante, Bianca segurou minha cabeça e me brindou com um beijo delicioso, recolhendo o que restara do sêmen de seu namorado e mostrando os encantos de ser amada por uma mulher,
Logo Bianca disse: - A sua boca está toda docinha da porra de meu gatinho , deu um sorrisinho e se deliciava com o gostinho doce de porra na boca. Bianca continuou me beijando e fazia aquilo com enorme perícia, ela mordia meus lábios, chupava minha língua, me enchia de tesão, De repente ela começou a descer, Roger nos observava, já envolvido por aquela atmosfera sexual, no meio da sala dos pais de Bianca,
Ela encontrou meus seios completamente inchados, meus mamilos duros e sensíveis e disse: -Que peitinho delicioso, vou saborear ele todinho!
O roçar de sua boca entreaberta me fez ver estrelas, minha xoxota totalmente encharcada suplicava por um carinho, mas Bianca se dedicava aos peitos, que mamava com certa violência, me fazendo gritar de prazer: 
- Bianca, que delicia, você chupa muito gostoso,
Eeu deitei no chão e ela continuou sua jornada, com destino certo, beijou minha barriga, minha virilha e finalmente minha bocetinha, toda lisinha e molhadinha de tesão, Bianca acariciou meu clitóris, com movimentos circulares de endoidecer, depois se ajeitou e posicionada, me colocou numa posição deliciosa,
Iamos fazer um 69, o cheirinho de sua bocetinha acendeu imediatamente um fogo em mim, eu queria ser delicada com minha amiga de tantos anos, mas não resisti, meti a língua naquela xoxota, recolhendo seus líquidos e provando do sabor daquela carne macia, Bianca fez o mesmo, o que quase me fez desfalecer, eu gozava em sua boca, que não parava um minuto de me sugar, sem conseguir mais me controlar,
_________

Virei o rosto e flagrei Roger batendo uma punheta, eu logo disse para Bianca: -Posso sentir aquele cacete delicioso na minha xoxota??,
Bianca respondeu: - Fica de quatro e com as pernas bem abertas,
Logo pude sentir sua língua quente tocando meu anelzinho, que se contraiu deliciosamente, Bianca percorreu toda a extensão, dos grandes lábios ao cuzinho, a sua saliva misturada aos meus líquidos proporcionavam sensações maravilhosas. Pronta para o pauzão de Roger implorei: -Deixa ele me foder agora...?,
Era a senha certa, Roger se postou atrás de mim e encostou seu cacete na minha xoxota, eu me movi para trás esfregando a entradinha na ponta daquela vara, estava quente como nunca, pedi novamente: -Mete gostoso em mim Roger
E  bem devagar o cacete de Roger foi invadindo a minha bocetinha, Bianca bem de perto, contava o que via, como se fosse uma narração, minha bocetinha apertava aquele caralhão, parecia não haver espaço para um fio de cabelo e Roger continuou forçando, conseguindo entalar pouco mais da metade do seu delicioso cacete, meus músculos se contraíam e eu mexia os quadris, tentando acomodá-lo melhor, tudo em vão, o bem-dotado iniciou as estocadas, me impedindo de pensar, eu mordia os lábios, excitadíssima, sentindo seu cacete pulsar na minha xoxota, dando a impressão de que ia estourá-la,
Eu estava sendo arregaçada pelo namorado de Bianca, a pica mais grossa da minha vida.
Para meu delírio, Roger não demonstrava sinal de cansaço e Bianca provava que amiga era, ela se esgueirou por baixo do meu corpo e voltou a chupar meus peitos, mamando devagar com sua boca carnuda e aconchegante, eu berrava sendo arrombada por Roger e excitada por Bianca, foram 15 ou 20 minutos de tesão puro, eu não conseguia dizer uma palavra, apenas grunhia, sentindo o pau ir e vir dentro de mim, se esfregando, forçando as paredes da minha bocetinha,
Vendo a demora de Roger em gozar, Bianca se moveu até a entrada da minha gruta, começou a lamber o caralho de seu namorado e em pouquíssimo tempo ele gozou, e que gozo delicioso, sua ejaculação parecia não ter fim, foram jatos fortes e fartos de porra inundando minha boceta, aliviando a ardência que já começava,
Roger perguntou: - Está sentindo a minha porra dentro da sua xoxota??,
Logo respondi para ele: - Estou sentindo ela todinha dentro de mim, minha xoxota está molhadinha com a sua porra!?,
A
os poucos ele foi tirando o cacete de dentro de mim e a porra começou a escorrer de dentro de minha boceta.
__________

Roger parecia um super-homem, seu pau não amoleceu, e Bianca não demorou a recebê-lo também, 
À distância pude ver como aquele homem era tesudo, na posição papai e mamãe, ele levava Bianca ao desespero, movendo seu cacete com intensidade e forçando com jeito,
Bianca gritou várias vezes que estava gozando e eu ficava feliz em ver seu prazer, já com muito tesão tomando conta do meu corpo, queria senti-lo novamente dentro de mim,
Roger estava fora de si e metia com vontade, quando Bianca anunciou mais um gozo, ele tirou o membro pulsante e pediu: - Bianca, quero comer bem gostoso o seu cuzinho,
Ela estava tão excitada que disse: -Come ele todinho, quero sentir a sua vara todinha dentro do meu cu!, apoiando o tronco no sofá, arrebitou a bundinha para o namorado, a visão era tão tesuda que até eu imaginei ser um homem para penetrá-la, Roger avançou com vontade e logo tinha feito a cabeça lustrosa do seu pau desaparecer no rabo de Bianca, ela berrava muito, e parecia estar alucinada de tesão e logo disse: - Come agora o cuzinho da Kiara, ela ta louca de tesão para dar o cuzinho para você!
Roger tirou o cacete de dentro do cuzinho da Bianca e perguntou: -Quer dar o seu cuzinho Kiara??,
Com cara de safada, disse:  - Quero sim e fique sabendo que eu adoro sexo anal??,
Eu estava de pé e Roger levantou para me agarrar, ele me abraçou, encostando seu pau na minha perna, nos beijamos ardentemente até que, descontrolada, me virei, apoiei as mãos na parede e levantei o meu bumbum, Roger meteu o caralho por baixo, encostando a ponta na minha xoxota, espalhando o melado até o cuzinho, depois segurou minha cintura e enfiou sem piedade, eu sentia cada centímetro da sua pica arrastando para dentro de mim, ele dizia:  - Kiara, como o seu cuzinho é delicioso e bem safadinho, ele já engoliu toda a minha pica!
Minhas pernas tremiam e meu rabinho pedia misericórdia, com muito esforço a vara entrou toda e Roger começou o vai e vem.
Apesar da dor inevitável, eu me desmanchava naquele pauzão, rebolava tentando encaixá- lo melhor e parava para senti-lo arrebentando minhas pregas,
Roger puxava-o até ficar só a pontinha e depois metia todo para dentro de novo, então ele me fez tirar as mãos da parede e me apertou contra seu corpo, parecia que ia me levantar com seu cacete comprido, duro feito pedra no meu cu, eu mantinha as pernas bem presas ao chão, para ajudar as estocadas vigorosas, de vez em quando, sentia seu saco encostar em mim, e gritava:  - Isso! Vai fundo, mete tudo no meu cuzinho, acaba comigo!?, Roger anunciou que ia gozar e Bianca pediu para ficar com sua porra, eu não podia negar nada depois dela ter dividido aquela maravilha comigo, sentei toda arreganhada no chão e vi Roger esporrar na cara de Bianca, lambuzando-a nas bochechas, lábios e queixo, o líquido espesso escorria devagar pelo pescoço dela, não agüentei e fui ajudá-la a se limpar, lambendo tudo que podia daquele néctar dos deuses,
Roger estava jogando num canto se recuperando.
____________

Dormimos os três juntos, mas no dia seguinte deixei os dois sozinhos, com o cu em chamas fui para casa lembrar do calibre daquele caralho.
Bom pessoal, foi assim que mais uma vez experimentei uma transa deliciosa com minha amiga Bianca, adorei saborear o cacete delicioso que o namorado dela tem, . Se alguma garota ou mulher quiser trocar experiências e saber mais sobre mim me escrevam e se tiver alguma garota que tenha também iniciado a sua vida sexual com o primo, adoraria trocar mails. Anotem o meu mail e me escrevam: kiarajf@yahoo.com.br - Beijos com carinho Kiara!

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

MAMAE ERA UMA PUTA - PARTE QUATRO

 

mar_a_0010
SINTO POR TER INTERROMPIDO MEU ULTIMO RELATO, MAS NAO SOU DE FERRO E QUANDO COMEÇO A ME LEMBRAR DAQUELES DIAS...UAU...SOU OBRIGADA A ENFIAR MEU DEDO NA BOCETA E NA FRENTE DO MEU COMPUTADOR MESMO TOCAR AQUELA SIRIRICA! HOJE NAO VAI SER DIFERENTE, JA ESTOU TODA MOLHADA.

QUANDO PAREI A ULTIMA VEZ, MEU PAI ESTAVA SOCANDO COM VONTADE NA BUCETA DA PUTA DA MINHA MAEZINHA ENQUANTO SUA AMIGA GRAVIDA( A VACA DA MARTA) LEVAVA FERRO DO MARIDO. BOM A COISA NAO PAROU POR AI... MAMAE AINDA LEVOU NO CU PARA MEU DELEITE, ENQUANTO MEU PAI A SEGURAVA PELOS CABELOS E A FAZIA SE CURVAR ATE O CHAO. ELA DELIRAVA: _ENFIA...ENFIA ATE AS BOLAS...ARREBENTA MEU RABO! PEDRO METENDO NA MULHER ESTAVA HIPNOTIZADO: -OLHA BEMZINHO...A CACHORRA DA TUA AMIGA TA GOZANDO PELO CU. _ENTAO EU TAMBEM QUERO!-DISSE MARTA. QUANDO O CACETE DE PEDRO AFUNDOU NA SUA MULHER ELA GRITOU E GEMEU. _MAIS...TUDO...NOSSA COMO É GRANDE.
MEUS PAIS SAIRAM DE ONDE ESTAVAM E MAMAE JA FOI SE APROXIMANDO DO CASAL E DIZENDO: _VOCE JA TEM LEITINHO MARTA? _METE A BOCA NA MINHA TETA E MAMA LUCIA! MINHA MAE NAO SE FEZ DE ROGADA E SE AJOELHOU APANHANDO AS TETAS ENORMES DA AMIGA( INCHADAS E ESCURAS. _QUE VACA! OLHA COMO ELA CHUPA..._DISSE PEDRO. PAPAI SE CURVANDO PARA OLHAR MELHOR PARECIA TOCAR PUNHETA VENDO A MULHER MAMAR NA AMIGA GRAVIDA.
EU POR MINHA VEZ JA NAO AGUENTAVA MAIS.JA HAVIA GOZADO MAIS DE DUAS VEZES E JA TINHA SOCADO OS DEDOS NA BOCETA, NO CU E CHUPADO MEU LIQUIDO...ESTAVA SACIADA. FOI ASSIM QUE SAI DALI...MOLHADA E SATISFEITA!
MAS EU AINDA SABERIA O RESTO DA HISTORIA... DOIS OU TRES DIAS DEPOIS PROCURANDO CALCINHAS NO ARMARIO DE MINHA MAE ENCONTREI UM CADERNO GRANDE, QUE NAS PRIMEIRAS PAGINAS SE REVELOU SER O SEU DIARIO.. QUE DIARIO! BASTA QUE DEPOIS DE TE -LO LIDO DESCOBRI O LADO MAIS PERVERSO DE MEUS PAIS... EU VOU CONTAR...

*

MAMAE ERA UMA PUTA 5

MVC-187S
SENTADA AQUI EM FRENTE A TELA DO COMP. ESCREVENDO, SINTO MINHA BOCETA ARDER E MEUS MAMILOS DUROS...TAL COMO FOI NA PRIMEIRA VEZ EM QUE LI O DIARIO DE MINHA MAE. ME VEJO SENTADA NA CAMA DE CASAL DE MEUS PAIS, DEDOS TREMULUS E SUADOS, A RESPIRAÇAO OFEGANTE ENQUANTO EU FOLHEAVA O CADERNO E NAO ACREDITANDO NO QUE MEUS OLHOS LIAM... QUANTAS VEZES ME MASTURBEI NAQUELE DIA EU PERDI A CONTA.. EU LIA E PROCURAVA NAS PAGINAS O RELATO PERVERTIDO DE DONA ANA: ...

JUNHO

DOIS MESES DE CASADOS E SO O QUE FAZEMOS É FODER E FODER. FODEMOS NA CAMA, NO SOFA, NA SALA E NA COZINHA. SOU INSACIAVEL E SEI QUE AS VEZES O ASSUSTO DA MANEIRA COMO GOSTO DE TREPAR. EU O CHUPO, ADORO CHUPAR AQUELE PAU GRANDE E DE CABEÇA VERMELHA. AS VEZES O ENCONTRO SENTADO NO SOFA ASSISTINDO TV E NAO RESISTO. ALI MESMO DIGO-LHE QUE QUERO VER SEU PAU E ELE ME MOSTRA. ENTAO ME AJOELHO E METO AQUELE CARALHO(ADORO ESSA PALAVRA) NA BOCA CHUPANDO-O ATE GOZAR. AGORA O ESTOU ACOSTUMANDO A GOZAR EM MINHA BOCA E ADORO O SABOR DA PORRA. NOSSA! SERA QUE ISSO É ERRADO? QUANDO FODEMOS O FAÇO NAS MAIS DIFERENTES POSIÇOES E SEMPRE GOSTO MAIS QUANDO ESTOU DE QUATRO E ELE ME COME COMO UMA CADELA. O ESTOU ACOSTUMANDO TBEM A FALAR PALAVROES...EU ACHO UM DELIRIO QUANDO ELE ME XINGA DE VACA E PUTA... ...

MAIO...

DEI O CU ONTEM A NOITE. DEI O RABO. DEI A BUNDA. ELE ME COMEU COMO NUNCA HAVIA ME COMIDO E ENQUANTO SOCAVA NO MEU BURACO VIRGEM EU BERRAVA COMO LOUCA. NO COMEÇO CONFESSO DOEU E COMO DOEU...AQUILO ENTROU COMO FERRO EM BRASA E AEDEU COMO PIMENTA...MAS A DOR ERA TAO BOA QUE CHEGEUI A ESTRANHAR...ADOREI A DOR...TANTO AOREI QUE DEI O CU MAIS DUAS VEZES NA MESMA NOITE E FIZ COM QUE ELE ME COMESSE EM FRENTE AO ESPELHO PARA VER MELHOR O CARALHO ME ALARGANDO. QUANDO ELE GOZOU FIZ QUESTAO QUE O FIZEESSE NA MINHA BOCA...ADORO PORRA... .

..JUNHO...

DUAS SEMANAS SEM TREPAR...BRIGAMOS FEIO E ELE ESTA ME REJEITANDO. NAO AGUENTO E VOU AO BANHEIRO AONDE ME MASTURBO LOUCAMANETE TODAS AS NOITES...ENFIO COISAS NA BOCETA E NO CU E DEPOIS ME OLHO NO ESPELHO. DESCOBRI QUE APERTAR MEUS MAMILOS ME DA UMA SENSASSAO TAO BOA. ME CONTROLO PARA NAO GRITAR DE DOR QUANDO GOZO. ...

JUNHO...

FIZEMOS AS PAZES E ELE NA MESMA NOITE ME FODEU.ME MOSTREI A MAIOR PUTA DE TODAS...CHUPEI DEI A BOCETA E O CU E LHE IMPLOREI PARA QUE ME TORCESSE OS MAMILOS ATE EU GRITAR. ELE ESTRANHOU O PEDIDO MAS VI QUE SEUS OLHOS BRILHARAM DE TESAO QUANDO ME TORTUROU. ELE GOSTA E EU SEI. .

..AGOSTO...

DESCOBRI QUE TORTURA SEXUAL SE CHAMA SADOMASOQUISMO. CONTEI PARA ELE E IMPLOREI QUE COMPRASSE REVISTAS SOBRE O ASSUNTO. QUANDO FODEMOS LHE ORDENO SEMPRE QUE BATA NA MINHA BUNDA. EU GOZO...AHA COMO O FILHO DA PUTA ME FODE ! ELE É UM ANIMAL E EU SOU SUA CACHORRA. ..

.SETEMBRO...

TIVEMOS O MAIOR ORGASMO DAS NOSSAS VIDAS ONTEM. FIZ COM QUE ELE ME BATESSE COM O CHINELO ATE MINHA BUNDA FICAR VERMELHA E ENTAO ELE ME COMEU O CU...FINALMENTE QUANDO ESTAVA PARA GOZAR LHE DISSE QUE QUERIA QUE MIJASSE EM MIM. ELE O FEZ. SEU PAU MOLHADO DE MIJO ACABOU NA MINHA BOCA E DEPOIS NA MINHA BUNDA!CARALHO AINDA ESTOU TAO TESUDA QUE SERIA CAPAZ DE TREPAR O DIA INTEIRO.