terça-feira, 27 de abril de 2010

MINHA ESPOSA NO DRIVE-IN


 

Para sair da rotina, eu e minha esposa costumamos freqüentar um famoso Drive-in na Marginal Tietê em São Paulo. É um lugar bem tranqüilo, onde você entra com o carro em um Box e fecha a cortina, deita os bancos da frente e curte a vontade. Sempre tive um grande tesão de vê-la transando com outro, mas sentia muito medo de conversar a respeito, mas o destino acelerou a fantasia. Certo dia de fevereiro de 2003, aqui em São Paulo, fazia um calorão daqueles e resolvemos depois de uma festa, dar uma trepadinha no Drive-in, pois ela quando transa, adora ouvir os gemidos dos Boxes vizinhos, pois são todos encostados uns ao outros. Chegamos, pedimos uma caipirinha e depois de bebê-la, começamos com os carinhos íntimos, ela ouvia gemidos nos boxes vizinhos, então ela começou a ficar com a bocetinha molhada, pois ao passar meu dedo médio sentia aquele líquido pegajoso molhá-lo. Joguei-a no banco deitado e comecei a lamber seu grelo molhado e cheirando a sexo, enquanto ela urrava cada vez mais alto. Aquilo certamente chamou a atenção de alguém. Como estava calor, abrimos as portas do nosso carro e eu então, sentado no banco do motorista, puxei sua cabeça em direção ao meu pau, que latejava de tesão, ela então chupava deliciosamente e vagarosamente minha pica, ficando de quatro no banco dianteiro, com sua maravilhosa bundinha em direção a porta do automóvel que estava aberta. Ela chupava e gemia ao mesmo tempo de tanto tesão, quando de repente ela dá um grito de prazer tão alto que até assustei e, do nada, aparece um rapaz de uns 25/30 anos (provavelmente de um Box vizinho) com um mastro enorme, enraba minha esposinha por trás e ela, apesar de assustada, não consegue esboçar nenhuma reação contra, (muito menos eu). Automaticamente de quatro com um baita pauzão na boceta, ela tira meu pau da boca e começa a masturbar-me rapidamente. O que me assustava era o tanto que ela gritava de prazer, nunca tinha ouvido ela gritar nesta altura!! O rapaz, não soltava do quadril dela, enfiando e tirando freneticamente aquele mastro em sua vagina. Não me contive, gozei em seu peito enquanto ela era enrabada . Ficamos trepando na mesma posição sem parar por quase 1 hora. Ela gozou quatro vezes, foi um recorde. Só paramos, quando o atrevido rapaz gozou pela terceira vez, a vagina dela pegava fogo, ensopada, ainda gozei pela última vez esfregando meu pênis em seu grelinho. Depois de tudo, nos apresentamos e ficamos surpresos em saber que a namorada dele estava assistindo tudo no canto do Box, se masturbando é claro. Eles estavam no carro do Box ao lado nosso e com os gemidos de minha esposa, ele brincando com a namorada que era extremamente liberal, foi para o nosso Box. Eu nunca tinha notado, mas os Box daquele drive-in tem uma passagem entre eles. Enfim, trocamos nossos telefones e de vez em quando, nos encontramos nos Boxes daquele Drive-in ( conto de autor desconhecido )

_____________________


 

COMO EU VIREI UMA PUTA

(conto de autor desconhecido)


 

Oi, meu nome é Nicole Avelin, sou carioca e moro na Zona Sul do Rio de Janeiro.

Sou de família de classe média alta e sempre fui criada com todos os confortos do mundo, tipo assim, meu daddy era um executivo bem empregado e tinha um salário milionário.

Eu sou filha única, a princesinha do meu daddy! E realmente eu sou gata, tenho a pele bem branquinha, olhos e cabelos negros e um corpinho bem gostosinho com seios BEM grandes.

Desde os treze anos eu já tinha uns peitões que eram maiores que a maioria das mulheres adultas, quando fiz 15 já usava soutien tamanho 60 e depois passei a usar só soutiens importados dos States. Eles são bem mais confortáveis para garotas muito peitudas como eu, só que eles usam outro sistema, chamado 'cup size' e o meu peito é um 'E-cup', para ter idéia, 'D-cup'já é considerado grandão!

Mas a minha vida mudou um bocado nessa mesma época...

minha mãe se divorciou do meu pai, depois soubemos que ela tinha um caso com o chefe dele.

O papai praticamente quebrou, começou a beber e tudo mais, acabou, é claro, perdendo o emprego e tentou montar uma firma de consultoria que não está rendendo quase nada, nosso padrão de vida caiu MUITO!

Ainda tínhamos um bom apartamento e a minha mão pagava minhas despesas com cursos, academia e colégio, mas ela nunca me dá dinheiro de verdade e meu pai não tem condições de me dar mais as roupas que eu quero nem pagar as minhas 'nights' na Nuth, Six e outras boates caras...

Não que eu seja mimadinha, mas como eu vou andar com minhas amigas sem estar no mesmo nível delas? Todas tem bolsa da Mr. Officer e eu não? E tipo assim, eu tenho que ficar repetindo roupa o tempo todo... uma vergonha! O pior é não poder ir dançar na sexta e no sábado nas boates que minhas amigas vão porque eu não tenho dinheiro pra ir! Como eu vou poder ter uma vida social assim? Eu tenho 16 anos, estou na flor da idade para viver!

Um dia eu estava na escola e vi uma amiga minha chamada Roberta vindo com um vestido LIN-DO que eu tinha visto para vender no shopping Rio Sul, ele era caríssimo! A Beta estava em uma situação quase igual à minha... a mãe estava com problemas de saúde e o pai estava gastando tudo com ela, eu não entendia como ela conseguia continuar indo pra 'night' direto com as meninas e ainda estar sempre com roupas novas das melhores marcas... Resolvi ir falar com ela! A Beta ficou meio sem graça no começo, achei esquisito mas insisti, disse que queria saber a fórmula dela e que faria qualquer coisa para poder voltar a ter dinheiro como antes.

Ela olhou para mim e sorriu meio safada. "Qualquer coisa Nica?" ela perguntou. "Claro... qualquer coisa... eu estou louca para renovar meu guarda roupa... e quanto tempo que eu não vou nem no Le Village! Ninguém merece" eu respondi rindo."Tá bom... então faz o seguinte... vai me encontrar hoje de noite no Shenanighans para a gente conversar."

Ela respondeu misteriosa, eu até gostei, o lugar é um 'pub' irlandês bem legal, onde muitos gringos frequentam, é engraçado ver os caras dando em cima da gente, especialmente os coroas!

Eu falo inglês muito bem e vejo como eles ficam loucos com as patricinhas cariocas como eu que ficam por lá. O único problema é que tem umas meninas que são, digamos, de vida mais fácil!

Não é uma coisa aberta, mas eu já saquei que tem umas putas que vão lá para ficar com os gringos...

De noite eu fui bem bonita, um vestido decotado que mostra bem meus peitões e que tem um rasgo lateral bem alto, deixando à mostra a perna direita até lá em cima, quase aparecendo a calcinha, botei um saltinho para arrebitar ainda mais a bundinha e uns brincos grandes para chamar atenção para meu rosto bonito.

Roberta já estava lá, ela é uma loira de 1,65 , mais ou menos, com um rostinho de anjo e cabelo encaracolado longo lindo, ela é magrinha mas tem pernas longas e uma bundinha bonita, além de seios pontudos e médios para grandes. Ela estava com uma saia curtinha e uma calcinha bem enfiada no rabo... e o top quase transparente deixava os homens loucos, era óbvio que ela estava sem soutien!

Não me entendam errado ela estava LINDA, mas eu achei que estava à beira do vulgar... chamativo demais! A Beta logo me chamou e nós sentamos em uma mesinha de quatro lugares e ficamos conversando.

"Nica, sabe... aquele vestido que nós vimos depois do cinema ia ficar perfeito no seu corpo! Valoriza bem essas tetas durinhas que você tem!" ela disse rindo... ela e as meninas sempre chamam meus seios de tetas, acho que meio de despeito.

"E se usar aquele sapatinho do conjunto então... você ia arrasar!"

"Eu bem que gostaria de poder comprar os dois!" eu ri meio sonhadora. "Mas só o sapato é mais de 100 reais e o vestido estava a uns 300!"

"Não se preocupe! Essa dureza passa!" ela me garantiu piscando um olho. "É só saber como fazer... ser esperta..." eu fiquei olhando sem entender.

"Dois 'dry martinis' para nós!" ela falou para a garçonete.

"Beta... eu não tenho dinheiro!" eu falei meio envergonhada, "Não vou poder beber nada!"

"Você é boba mesmo hein?" ela riu na minha cara. "Com uns peitões deliciosos desses você acha que precisa pagar alguma coisa?"

Eu olhei meio sem entender mas logo percebi que ela estava olhando para dois gringos, daqueles meio coroas, barrigudos e grandões, super bem vestidos ao estilo deles, mas já meio carecas e com cabelos brancos. Beta estava sorrindo... flertando MUITO!

Eu fiquei meio sem graça e perguntei o que ela estava fazendo, ela só riu outra vez para mim e falou para eu me acalmar... estava garantindo que nossa noite ia ser legal... e nós não iríamos pagar nada... Rapidinho os dois gringos chegaram na nossa mesa e, como nós duas falamos inglês, eles começaram a conversar... pedimos tudo na conta deles, bebemos um bocado!

Eles até que eram bem engraçados... ficavam nos cantando e falando como as cariocas são bonitas.. tipo assim, meio bobões mas legal!

Uma hora um deles falou que os dois estavam em um apartamento alugado para temporada e perguntaram se não queríamos ir continuar a conversar lá...

Beta riu e perguntou o que eles queriam fazer, ficou dando papo para os caras e eles acabaram falando que queriam tirar umas fotos da gente. Eu fiquei calada, morrendo de vergonha... minha cara tava toda vermelha!

A Roberta riu e agarrou o braço de um deles como que numa brincadeira carinhosa, roçando bem os seios dela no braço do gringo e disse: "Que legal eu sempre quis ser modelo! Mas modelos ganham bem... Nós vamos ganhar bem se posarmos para vocês?"

Eles logo começaram a brincar e ofereceram 100 dólares para cada se a gente posasse para eles! Era muito dinheiro mas eu fiz que ia dizer não.

A Roberta logo me pegou pelo braço e levou para o banheiro, dizendo que já voltaríamos. "E aí Nicole?" a Roberta me perguntou enquanto passava mais batom. "Vamos lá?"

"V-você tá louca!" eu respondi de olhos arregalados. "Com 100 dólares você compra seu vestido... já pensou nisso?"

"Sei lá... eu fico com vergonha..." eu falei meio cabreira, mas já imaginando o vestido no meu corpo!

"Não sei se conseguiria!"

"Você é boba mesmo hein!" ela riu e pegou uma pilulazinha, partiu ao meio e engoliu.

"Pega... vai te acalmar!" Eu peguei e engoli, achei que fosse algum calmante, ela terminou de passar o batom e me puxou de volta para a mesa.

"Nós vamos!" ela logo falou e eles comemoraram muito e, em menos de dez minutos, nós estávamos no apartamento dos gringos. Era até bem arrumadinho, e eles brincando muito com a gente.

Eu senti uma energia enorme! Estava elétrica, logo percebí que a Roberta não tinha me dado um calmante...

Um dos gringos armou uma câmera para filmar a gente e outro pegou uma câmera fotográfica toda moderna, eles colocaram uma música meio dance meio techno e eu comecei a dançar a Roberta pegou os nossos 200 dólares e colocou na bolsa dela, eu já estava rindo e mexendo o corpo, doidona!

Logo notei que eles estavam olhando cheios de tesão... isso me excitou e eu comecei a dançar ainda mais sensualmente, balançando bem o corpo. Fazendo meus seios grandes quicarem no meu corpo!

Um deles mandou a Beta dançar comigo e ela se aproximou, dançando bem sensual, toda se roçando em mim.

Um deles filmava enquanto o outro tirava um monte de fotos. Isso estava muito engraçado!

Muito doida com o ecstase que tinha tomado eu comecei a agarrar ela, nunca fui atraída por mulheres, mas era o máximo me sentir toda desejada e gostosa, uma verdadeira superstar para aqueles coroas!

A Roberta não perdeu tempo e começou a passar a mão em mim, dizendo que isso deixava eles doidos, eu ria muito e também pegava nela, passava a mão na bunda e tudo.

Uma hora ela pegou minhas tetas nas mãos e olhou para câmera levantado elas, como que oferecendo, eu sorri bem safada para o gringo.

De surpresa ela abaixou as alças e colocou meus peitos para fora! Ao invés de ficar com raiva eu achei aquilo engraçado, e balancei os ombros fazendo as mamas enormes dançarem, de um lado para o outro! Um deles, John, colocou a câmera fixa em um tripé e sentou no sofá atrás da gente, nos mandando sentar com ele.

A Roberta riu e falou que aí ele tinha que pagar mais 50 dólares para cada uma.

Ele nem pensou... tirou uma nota de 100 e colocou na bolsa dela. Eu ria loucamente e me oferecia para a câmera do outro, o Bob.

A Beta me puxou e eu me virei para ver que ela estava de joelhos no sofá virada para o John, uma perna dela para cada lado de uma das pernas grandes e grossas do coroa gordinho, como se ela estivesse cavalgando o cara.

Eu estava me divertindo muito por efeito da droga e resolvi fazer a mesma coisa.

O gringo parecia que estava no paraíso, nós duas roçando na perna dele, Beta, muito safada, ficava acariciando o peito dele e falando no ouvido do cara ela ia desabotoando a camisa dele e se roçando toda no corpo dele, eu ria muito mas não fazia muita coisa, só ficava esfregando as tetas no peito já desnudo dele.

Rapidinho ela já estava sem o top, que não escondia mesmo muita coisa... Eu fiquei meio sem ação, só olhando, até que ele colocou a mão nas nossas bundas e nos puxou para ele, eu fiquei paralisada do susto! Eu só voltei a entender o que estava acontecendo quando senti ele botando o bico do meu peito na boca! Meu decote já estava debaixo das minhas tetas e o gringo mamava gostosamente nos meus peitões... americano adora peito e ele estava se deliciando com os meus! Meus biquinhos são curtos, não são grandes, mas o mamilo é E-NOR-ME tem mais de cinco cm de um lado ao outro!

Eu sentia um tesão LOUCO e fiquei gemendo e olhando o John chupar e brincar com minha tetas.

Já a Roberta foi se roçando toda no corpo dele indo mais para baixo até ficar ajoelhada no meio das pernas do coroa, eu via com tesão ela abrindo o zíper do cara e tirando o pau pra fora.

Eu segurava com força a cabeça dele e o coroa não só mamava como começou a brincar com a minha bocetinha por cima da calcinha também. Beta já estava com a pica dele na mão, não era grande mas era MUITO grossa, dessas que tem a cabeça meio pequena mas é bem largona abaixo dela!

O gringo pedia para ela chupar, quase implorava de tanto tesão que sentia e ela só torturando o velho, esfregando o pinto no rosto... botando ele no meio dos peitos... lambendo e perguntando o tempo todo se ele queria que ela chupasse. Ele quase gritava que sim!

"Então vai ter que me pagar mais 100 dólares... se pagar eu chupo sua pica bem gostoso!"

Ela respondeu olhando para cima... no olho dele com uma cara de putinha safada. O gringo não pensou duas vezes... deu o dinheiro e ela começou a chupar.

Eu estava louca de tesão, minha calcinha já de lado e minha xaninha toda molhada, uma mão dele e uma minha brincando juntas perto do grelinho. Foi demais para o coroa... ele gozou muito rápido.

E deve ter sido muita porra porque a Roberta parecia estar engolindo tudo, mas ainda assim caia um monte de porra quente da boca dela, escorrendo pelo queixo até cair nos peitinhos durinhos da minha amiga. Ela não parou de mamar! Só tirou a boca quando ele estava já quase desmaiado de tanto prazer. Eu mesma senti um orgasmo gostoso no dedo do gringo, fiquei meio molinha também.. e o pior é que depois de gozar bateu uma culpa enorme... eu tinha me prostituído!

Bob tinha tirado foto de tudo e estava com um volume enorme dentro da calça... todo duro!

Ele estava de pé do meu lado o John todo mole embaixo de mim e eu cheia de vergonha.

Quando eu viro de novo pro Bob ele tinha posto o pau pra fora! Eu olhei para cima e vi o gringo sorrindo... todo crente que eu ia chupar o caralho dele como a Roberta fez com o John. Bob era o mais alto, devia ter pelo menos um metro e noventa e era também o mais barrigudo, tinha uma pança de chopp horrível! Mas apesar disso ele tinha um pauzão grande... bonito... tipo de ator de filme pornô... eu fiquei olhando mas não ia botar a pica daquele desconhecido na boca de jeito nenhum!

"Vai Nica... eu sei que você gosta de chupar uma pica... você mesma me contou..." A Roberta falou chegando perto de mim. O gringo notou que eu não queria chupar ele e perguntou se eu já tinha feito isso.

A Roberta tomou a dianteira e ficou falando pra ele que eu nunca tinha chupado, que era a primeira vez que estava fazendo programa - gente! Só nessa hora eu me dei conta que estava fazendo um programa... eu era uma garota de programa! Eu fiquei toda vermelha!

O Bob ficou ainda mais excitado ouvindo isso e ofereceu ainda mais dinheiro para mim... eu fiquei de boca aberta, era MUITA grana! "Beta... eu não quero.. eu tô com muita vergonha!!!" eu falei MUITO encabulada, mas pensando na oferta do coroa.

"Nicole Avelin! Deixa de ser boba! Esses gringos são cheios da grana!" ela virou pra ele e falou que eu só chupava se ele me desse 300 dólares. Eu quis dizer que não, mas... pô, são 300 dólares! È muito dinheiro!

Fiquei calada, quase querendo que ele recusasse. Mas ele olhou para mim e sorriu. Parece que ter uma gatinha peituda e novinha, que ele achava que era inexperiente, o deixou ainda mais excitado! Bob aceitou! "Agora amiga..." A Roberta virou para mim, "...chupa a pica desse gringo!" eu peguei meio sem jeito no pau dele e comecei a punhetar aquela pica grande e dura do coroa, ela viu que eu estava meio indecisa e continuou, "Ninguém vai saber, boba! E você vai ganhar um dinheirão para poder sair na night o quanto quiser..."

Eu sorri, já faz muito tempo que eu estou nessa dureza! Eu mereço umas roupitchas novas! E poder ir numa boate legal de vez em quando não é? Ninguém vai saber mesmo... o daddy não tem como me dar o que eu preciso... então, por que não? Tipo assim, Eu sempre gostei de chupar o pau dos meus namorados... não é TÃO diferente assim!

Roberta pegou os 300 dólares e colocou na minha calcinha e eu abri a boquinha logo a cabeçona entrou nos meus lábios e eu senti o gosto de homem na minha língua. Tá bom eu sou uma puta, estou chupando pica por dinheiro... e daí? Ninguém tá sabendo... tipo assim, só eu e a Beta sabemos... e ela é mais puta ainda que eu! Ninguém do colégio nem do inglês e nem da galera da praia vai saber.

"Isso, chupa gostoso Nica... eu sabia que você não ia resistir" A Beta falou no meu ouvido. "Agora você sabe como eu tô sempre com dinheiro... é só você querer que tem um monte de caras loucos para comer a gente e pagar muito bem... os coroas adoram patricinhas gatinhas como nós!"

"Eu estava ainda no efeito do Ecstasy e comecei a achar tudo o máximo.. era engraçado... eu me sentia o máximo o cara estava gemendo que nem criança de tanto prazer e a Roberta ainda de quebra ajoelhou atrás de mim e começou a levantar meu vestido, eu nem tentei reclamar... estava muito gostoso aquele monte de sensações estranhas! Mais estranho ainda foi quando ela começou a bincar com minhas tetas com uma mão e com minha xaninha com a outra! Foi bizarro! Tipo assim... meio videoclip do T.A.T.U.!

Eu mamava como uma boqueteira louca! Estava outra vez morrendo de tesão, o Bob me pegou pela cabeça e me fazia engolir muito, quase engasgava... ele era muito grande! Mas eu gosto de chupar e sei como fazer, levei o gringo à loucura.

A Roberta ria e me chamava de putinha boqueteira, vadiazinha peituda e não parava de me masturbar de jeito nenhum! Ela sabia como brincar com o meu grelinho! Quando Bob começou a gemer e eu quis tirar a cabeça ela segurou meus cabelos junto dele e me forçou a ficar com a pica enterrada nos meus lábios."Engole sua piranha peituda... vai vaquinha, engole a porra toda" A Roberta falava aumentando a velocidade do dedinho na minha boceta. "... eu quero ver você gozando com a boca cheia do leitinho do coroa, vai deixar de ser metidinha sua vadia!"

Eu nem sei por que, mas isso me deu um tesão louco! Gozei como uma louca enquanto o gringo jorrava sua porra quente na minha boca! Engoli tudinho... eu nunca tinha engolido, mas nessa situação não tinha como fazer outra coisa. O gosto nem é ruim...Um pouco do gozo caiu no meu vestido um monte escorreu pelo meio dos meus peitões... O Bob olhava todo bobo... a maior cara de feliz, eu até sorri pra ele, tinha gozado duas vezes!

Depois disso nós nos limpamos com calma, eles nos trataram super bem, foram carinhosérrimos e nós fomos embora cheias da grana!

Rimos MUITO, foi uma aventura louca, mas eu não sabia se queria fazer isso de novo.

No dia seguinte, adivinha... lá estávamos nós duas no shopping para comprar meu vestido! Gastei a maior grana! Me senti de volta aos bons tempos... quando o daddy tinha dinheiro para me dar. Eu passei a andar mais com a Beta e ela me levou para um monte de lugares legais. A garota tinha um monte de conhecidos, a gente entrava como VIP nas boates, muito chique! Beta era muito amiga de uma garota chamada Márcia, a mais patricinha de todas as nossas amigas, a garota era MUITO metidinha, o pai era industrial separado da mãe, muito rico, mas a mãe era meio maluca e não estava nem aí ara ela e a irmã mais velha. O pai pagava tudo para elas, mas por algum motivo que na época eu não sabia não dava dinheiro direto para a Márcia nem a irmã, só o bastante. A mãe é que dava a grana que ela gastava na night, que sempre era bem pouco.

Durante um mês eu acompanhei elas, o dinheiro ia que nem água eu nunca soube guardar nada!

Comprei um monte de roupas, saí todo dia que quis... fiz tudo que queria... o maior paraíso!

A Roberta me convidou várias vezes para outros programas, mas eu não tinha coragem, fiquei morrendo de vergonha, mas ela não se importava, continuava oferecendo e saindo comigo.

Eu gostava de sair com a Márcia e a Beta porque não só a Roberta sempre dava um jeitinho da gente entrar de graça e beber por conta de uns coroas que ela conhecia, como ela sempre tinha e para a gente. Eu tinha adorado e estava usando ecstasy direto... gastei muito com isso também.

No fim do mês já estava praticamente dura de novo! Foi nessa época e junto dessas duas que eu tive minha segunda experiência como garota de programa. Mas isso fica para o próximo capítulo


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Conte sua fantasia