quarta-feira, 31 de março de 2010

Pros amigos que pediram mais contos meus, no post de hoje tem um chamado "Dani"..e um outro conto que recebi por email, de um autor desconhecido, um conto muito excitante.

G.

____________


 

DANIELA ( DANI)

Conto de Gabriel

narcisosantos@hotmail.com


 

Daniela era amiga do meu filho Ricardo.. Ela estava sempre em casa, fazendo trabalhos da faculdade ou por algum outro pretexto.

Eu acho que ela era apaixonada por ele, mas ele não gostava dela . Os olhares dela, o jeito como o tratava revelavam que ela estava realmente apaixonada.

Daniela era um gordinha muito bonita, de coxas grossas e ombros largos.,alem dos seios fartos. O meu filho Ricardo nao gosta de mulheres fofinhas, mas parece que Dani não entendia isso, sempre se fazendo presente.

Um dia, Ricardo, Daniela e mais alguns amigos foram para uma balada e lá, todos beberam muito..

Trouxeram Ricardo e Daniela meio bebados , os dois moles.

Depois de uma pequena reunião familiar decidimos que Dani ia dormir lá em casa

O pequeno escritório, que fica ao lado da sala, foi improvisado pra que ela dormisse lá ..

Colocamos um colchão no chão e ela dormiu logo pois estava tonta da bebida.

Eu confesso que fiquei muito balançado com a presença dela dormindo em casa.

Há muito tempo que eu tinha tesão naquela gordinha e lembrar dela dormindo ali, perto de mim, me deixou excitado.

Dei uma olhadinha e percebi que ela tinha tirado os tenis e a calça, pois eles estavam ao lado da sua cama. Mas ela estava com um cobertor sobre o corpo.

Imaginar que aquela gordinha gostosa estava dormindo só de camiseta e calcinha me deixou de pau duro.

A noite foi passando ;eu sem conseguir dormir , fui até a cozinha.. Estava muito excitado ,passei pela sala e não resisti entrei no escritorio improvisado de quarto. Tirei o pau pra fora e planejei me masturbar olhando para aquela fofinha dormindo.

Acontece que o "quarto" estava muito escuro, não dava pra ver nada, só o vulto deitado.

Eu me ajoelhei , e comecei a me masturbar.

Como não dava pra ver nada, pensei em sentir seu corpo com as mãos ,pelo menos tocar aquela pele macia..

Lentamente, tirei a coberta e senti as coxas grossas, alisei-as, me tocando..

Senti um arrepio de tesão, ela estava dormindo pesadamente, encostei a boca nas coxas, sentindo seu perfume. Estava alucinado de desejo.

Apenas encostei os labios num toque sutil mas aquilo era como um aperitivo que desperta ainda mais o apetite.

Senti ,com as mãos; as coxas, as costas largas ,apesar da camiseta e sem refletir muito, comecei virando-a suavemente, de frente.

Não podia ver seu rosto, mas senti que ela dormia pois sua respiração estava pesada. Provavelmente estava tão bebada que não percebia nada.

Com ela deitada de frente, comecei a fazer caricias nos seus pés. Caricias sutis com a lingua e suaves toques dos dedos.. Me masturbava lentamente, parava..

O pau pulsava quando eu afastava as mãos..Eu não queria gozar logo , mas logo recomeçava a punheta ,subindo a mão suavemente pelas pernas e coxas macias..

Não percebendo nenhuma reação, levantei seus braços, colocando-os acima da cabeça e levantei a camiseta de Daniela , sentindo com a lingua a maciez da barriga proeminente,

Passei a lingua em toda a extensão daquela enorme barriga, lisa e perfumada. Sabia que era perigoso, mas já não podia parar .

Levantei a camiseta até sentir que os seios estavam desnudos. Meus olhos já estavam se acostumando com a escuridão mas não podia distinguir como eram. Toquei um mamilo com a lingua..

Eu estava quase gozando mas queria chegar ao orgasmo sentindo sua xaninha.

Desci a mão e me detive na xaninha, num toque suave. O contato do seio na minha lingua era muito gostoso e comecei a chupar devagar.

Chupei os enormes seios alternadamente, enquanto acariciava sua buceta por cima da calcinha.

Fui ficando mais ousado e decidi que gozaria na punheta chupando a xana dela..

Desci a boca para a virilha, comecei a descer a calcinha dela... nenhuma reação...

Desci a calcinha pelas pernas até tirá-la completamente e ensandecido , comecei a chupá-la intensificando minha punheta..

Nessa hora, senti que ela se mexeu, deu um longo suspiro e percebi que tinha acordado. Fiquei petrificado, parei de chupar , mas não sai do lugar..

Ela falou, ainda com a voz um pouco pastosa : "- o que está acontecendo ? "

": - nada," eu sussurrei, "dorme.."

: - "Ricardo ?," ela perguntou ." É você ?"

Antes que eu tivesse a iniciativa de responder ou de esboçar qualquer reação , ela prosseguiu : "voce é louco, meu ? Sua familia pode perceber . O que tá fazendo comigo ? "

" Nada", eu murmurei sem saber o que dizer. Meu coração palpitava.

Ela continuou falando ,eu sabia que ela não conseguia ver nada, apenas um vulto, como eu.

Ela disse : - "sabia que você queria ficar comigo. Percebi pelo jeito carinhoso com que vc me tratou na balada. Voce é muito atencioso. Só não ficou porque a sua namorada tava lá, não é ?"

"É", eu disse..

" Sabia", ela respondeu ,.." voce sabe que eu tenho o maior tesão por você, Ricardo ? Quando te vejo fico louca de tesão… e me masturbo pensando em você ..meto a mão na minha bucetinha e faço bem gostoso, até gozar. "

-" Eu também tenho o maior tesão por você", eu disse , bem baixinho, disfarçando a voz.

" Adorei a surpresa" ela disse ,tirando a camiseta .." sou sua.

Então pedi pra ela fechar os olhos , peguei a camiseta e vendei os olhos dela. Ela protestou , dizendo que já estava escuro, mas só disse, " fica quietinha" e pedi pra ela apenas sentir...

" faço o que voce quiser, Ricardo.." ela respondeu

Mais tranquilo, eu fui me acalmando. Agora tinha certeza que ela não ia me reconhecer e continuaria pensando que era o meu filho.

Mais relaxado, pude ceder à tentação daqueles peitos macios.

Senti-os com as mãos sedentes e com a boca e então chupei como um desesperado , até os mamilos ficarem durinhos.

Mordisquei os biquinhos durinhos , suguei, suguei, enquanto sugava um, apalpava o outro com a mão .

Daniela estava louca, se contorcia e gemia, falava : "que delicia, que delicia.…"

Continuei na minha viagem : desci a lingua pelo barrigão macio dando beijinhos e mordidinhas e cheguei na sua grutinha, quente, macia e molhada. E beijei. Lambi bem devagar os grandes labios,de baixo pra cima , sentindo o gosto....

lambi rapidamente o grelinho , durinho, delicioso. Sem pressa . Ela gemia de tesão, repetindo : "que delicia,que delicia..que tesão "

Então comecei a chupar… chupar… e ela rebolava…as vezes lambia também seu cuzinho. Enfiei o dedo no seu cuzinho… e ela não se aguentava…Sua buceta estava completamente ensopada, eu sentia o liquido fluindo junto à minha saliva.

Falei: "esfrega esta buceta na minha cara ;… vai… mexe gostoso… goza na minha boca…" e meti a lingua vorazmente em seu sexo, abocanhei com gosto , dando chupões e lambendo seu grelo com fúria , enquanto ia fudendo com o dedo aquele cuzinho apertado e gostoso dela… Ela gemia dizendo : "gostoso,gostoso, "

Isso me deixava mais louco ainda, meu pau pulsava e eu enlouquecia quando ela gemia e apertava meu dedo com o cuzinho . Ela gemia e eu não parava de fazer aquele movimento de vai e vem acompanhado de loucas chupadas no

grelinho. Ela então sussurrou... -vou gozar!!!

Comecei a sugar mais rapido o seu grelinho a esta altura totalmente inchado, até ela gozar na minha boca., com um tranco e um espasmo . Assustei-me, mas continuei chupando todo seu gozo, até ela afastar a minha cabeça, me mandando parar .

Ela ficou deitada, arfante. Eu não podia ver o seu rosto mas imagino que estivesse de olhos fechados. Nesse meio tempo ela havia tirado a venda..

Fiquei receoso que a visão dela tivesse se acostumado com o escuro e ela fosse me reconhecer, mas alguns minutos depois, ela pegou no meu braço e disse :

"- vem, Ricardo, me fode..."

Coloquei ela de quatro, assim ela não poderia ver o meu rosto e porque é a posição em que eu mais gosto de foder a mulher.

Daniela empinou a bundinha e disse : "vem, amor "

Apertei suas nadegas e beijei seus quadris

Ela começou a rebolar e dizer que queria logo sentir meu pau.

Colocou uma mão para trás, pegou meu pau e posicionou bem na entradinha.da buceta . Empurrei bem forte e entrou a cabeça. Ela abriu a boca como se estivesse gritando, mas apenas pediu mais. Enfiei mais um pouco e entrou metade.

Ela começou a gemer e disse que queria tudo lá dentro.

Comecei a me movimentar e num instante o pau entrou por completo, sobrando de fora só as minhas bolas.

O pau entrava e saía alucinadamente daquela bucetinha lubrificada pelo seu gozo, , sem parar.

Ela começou a dizer: "Me fode, gostoso. Mete, mete, me fode...".

Enquanto eu a comia, ela se tocava na bucetinha . Eu dava tapas na bunda dela, e ela pedia pra eu meter mais forte.

Quando ela começou a rebolar a bundinha, da maneira mais sexy possível, não aguentei e gemi : "vou gozar, vou gozar "...

"Goza amor, goza ,me enche de porra "....

Senti o prazer percorrendo meu corpo e esporrei nas costas, nadegas e nos quadris dela, soltando urros de prazer, sentindo meu corpo todinho tremer na mais gostosa metida que já havia dado.

Ela se esticou na cama: " agora preciso tomar um banho," ela disse.

Eu saí rapidamente enquanto ela se virava pra procurar a roupa.

Foi algo maravilhoso, especial.


 

_________________________


 

O COMEÇO DE TODA HISTÓRIA

Autor Desconhecido


 

Ola meu nome é Sandra,

Na última semana um amiguinho "virtual" me perguntou como foi a primeira vez, por isso achei legal falar da minha primeira, no meu, talvez, último conto.

Como esta história é meio curtinha, vou contar duas em uma, a minha primeira vez, e a minha primeira vez com meu irmão.

Bem a minha primeira vez aconteceu quando eu tinha acabado de completar 15 anos, eu estava no último ano do ginásio, e eu estudava de manhã, nesse dia a gente teve uma palestra sobre doenças sexuais transmissiveis, nossa foi no audtório da escola, com todos os alunos, tinha vindo uma mulher do governo , acho que era assistente social, por que eu morava em um bairro muito pobre e a escola idem,

Haviam algumas garotas que já transavam e lembro de uma que havia engravidado, por isso da palestra,

Bem eu era do grupo das "bobinhas", nunca haviamos dormido com ninguem, e eramos super amigas, na escola eramos em quatro, mas eu morava perto da casa da Angela, e as outras duas moravam perto uma da outra, logo, eu tinha mais amizade com a Angela, logico e depois da aula sempre ia na casa dela, por que os pais dela trabalhavam e na minha casa, minha mãe tmabém trabalhava e a minha irmã e meu irmão eram um saco naquela época,

Então a gente ficava fazendo as coisas juntas, naquela época, entre nós quatro eu fui a unica que havia bejado um garoto (tinha beijado pela primeira vez um ano antes),

Bom nesse dia que a gnete teve a palestra eu fui para a casa dela, almoçamos e ficamos no quarto fazenod a lição de casa, depois começamos a falar dos meninos da escola, tinha um bonitinho que nós duas eramos gamadas, até que a gente caiu na conversa sobre a palestra, ficamos fazendo piadas sobre as cenas que mostraram, lembro até hoje (mostrava assim a sombra de um homem e uma mulher e ela colocava a cabeça na altura do penis do homem, (lembro que para mim foi uma surpresa, nunca havia imaginado aquilo) e depois o homem atrás da mulher ...rs.... tudo isso para dizer que se pegava doença em qualquer posição),

Bem rimos bastante, e ela me perguntou como era beijar na boca, para mim aquilo era o auge da minha vida, uma coisa maravilhosa, sem igual, e foi isso que disse para ela, ela ficou com uma cara de estou com vontade até que ela me fez a proposta: me beija? - fiquei meia sem graça, até ri, mas ela repetiu e disse: sério, to falando sério, quero experimentar.

Ainda levando na brincadeira eu deitei de frente para ela na cama, e fitei os olhos dela, fazendo um bico como se fosse beija-la, eu estava brincando, não acreditava que ela faria aquilo, mas então ela se aproximou e deu um "selinho", me assustei mas continuei, abri bem a boca e suguei a lingua dela, ela correspondeu e começou a me beijar de uma forma gostosa, instintivamente nos abraçamos, e nos beijamos muito, ficamos um bom tempo com as bocas juntas, uma saboreando a outra, então me subiu um calor por todo meu corpo, nunca havia sentido aquilo até aquele momento, passamos a nos abraçar forte até nossos peitos se tocarem e se espremerem uma na outra,

Ainda não tinhamos um corpo formado éramos muito novas, nossos seios eram nada mais que um "montinho" ressaltado e nossa cintura era reta, a unica coisa que a Angela tinha era um bum bum bem feitinho, eu nem isso tinha, alias, ainda não tenho..rs,

Bem, nós duas nos abraçamos com força e começamos a cruzar nossas pernas entre nós e apertar as costas uma da outra, ficamos nos massageando e senti um arrepio na espinha, paramos de nos beijar e passamos a roças nossos rostos uma na outra e nos lambiamos, chupavamos o pescoço, até que eu não resisti e passei a mão na cintura dela por baixo do uniforme da escola, nossas respirações estavam ofegantes e o meu coração parecia que iria explodir,

Nos beijamos de novo enquanto tentavamos tirar o uniforme uma da outra, e ficamos só de calça de abrigo e soutien, eu, em seguida, levantei o soutien dela e comecei a beijar e chupar os bicos dela, Angela se contorceu e gemeu, enquanto fiquei chupando ela, nos despimos,

Quando eu ia tirar a calcinha notei que ela estava molhada, enxarcada, eu diria, quando parei de sugar os bicos do seio dela, ela me puxou e passamos a nos beijar na boca de novo, enquanto nossas coxas ficavam roçando no sexo uma da outra, uma sensação nova, estranha, gostosa, mas saber que estavamos fazendo uma coisa errada parecia tornar aquilo mais gostoso, nossas coxas ficavam molhadas com o liqido que nós mesmas deixavamos escorrer de nossas vaginas ainda virgens, foi quando ela desceu com a boca até a minha vagina, e começou a lamber,

A lingua quente, a pressão gostosa sobre o meu sexo, me deram um choque que me deixaram em transe, contorci meu corpo e arqueei minha barriga para cima, levei minhas mãos a cabeça e me descabelei, como era gostoso aquela sensação, .....abri toda a minha perna, a Angela também se empolgou e passou a quase me morder, foi quando ela separou os labios da minha vagina com as mãos, acho que para ver, sei la o que ela queria fazer, mas em seguida enfiou um dedo entre os labios da minha vagina,

Naquela é poca eu olhava e não entendia como alguem poderia me penetrar ali..

A dor foi imediata, soltei um "hmmmm" de dor e me sentei, aquela sensação gostosa parou na hora, e fiquei com medo sentei meio desesperada na cama, tinha sangue, a Angela não sabia o que fazer, e começou a pedir desculpa, manchou o lençol, e ficamos meio desesperadas tanto que não sei direito o que aconteceu depois, só sei que fui mebora correndo chorando para casa, tomei banho e depois com um espelhinho olhei a minha vagina, estava diferente, (com buraquinho...rs),

Bem assim foi que perdi a minha virgindade...idiota né, gente?

Bom depois disso, depois de alguns meses, eu continuava a usar o espelhinho para ver como andava a minha vagina, eu ficava com esperanças de ela voltar a ser como antes, mais idiota ainda, né?

Bem depois daquilo paramos um pouco de ficar indo uma na casa da outra, e por isso fiquei mais tempo em casa, e acabei encontrando revistas, tipo playboy, do meu irmão,

Em uma dessas eu vi a foto de uma menina com um consolo dentro da vagina e ela toda de perna aberta e ela ainda ficava esticando os labios do órgão..fiquei meio pasmada com aquilo, e tontinha do jeito que eu era, tirei a roupa ficando só de camiseta, sentei na cama abri bem as pernas separei os lábios com uma mão, enquanto a outra segurava o espelho para eu ver minha vaginhinha, eu ficava sempre olhando passando o dedo por entre os labios, me masturbando massageando o clitóris, sempre nas segundas, quartas e sextas, dias em que não ficava ninguem em casa a tarde por que meu irmão ia jogar volei,

Bem eu fazia isso, de costas para a porta do quarto que ficava aberta (burra, como eu só eu mesma)

Bem é óbvio que nesse dia, meu irmão voltou por motivos que nem eu mais lembro, mas ele voltou e adivinha, entrou no quarto e me viu daquele jeito,

Não tinhamos uma grande relação entre irmãos, eramos mais amigos do que irmãos, pelo fato de eu ser de pai diferente, e por eu ter sido a causa da separação da nossa mãe e do pai deles,

Bom, ele entrou e fez uma pergunta para lá de besta: o que voce está fazendo?,

Com o susto, tentei me jogar para dentro das cobertas, e com isso rasguei a revista dele...ele ficou braaaaaavoooo... rs, nossa ele ficou vermelho que só vendo, me xingou por ter rasgado a revista e ameaçou de contar para a nossa mãe, Ah lembrei :ele voltou por que ele tinha esquecido a joelheira, bem ele pegou a joelheira p da vida, e saiu de casa xingando, fiquei em casa meio desesperada, o que eu ia fazer????

Voces devem ter pensado... ela vai se oferecer para dormir com ele só para ele não contar, certo???

Errado...eu era tão ingenua e boba que isso nem me passou pela cabeça, a única coisa que pensei foi Oh meu Deus o que vou fazer agora???

Peguei a revista dele que rasgou e colei com durex, de certa forma eu sabia que ele não ia contar, senão a mãe ia ficar sabendo que ele tinha aquelas revistas, acho que por isso não me preocupei tanto, mas quando ele voltou eu quiz explicar que não era nada daquilo que ele viu, que era para ele esquecer, etc, etc, etc.,

ele me ignorou e foi dormir direto, logo em seguida a mãe voltou jantamos e dormimos, tentei conversar com ele no quarto dormiamos no mesmo quarto, mas ele me ignorou,

no dia seguinte fui a escola normal, e voltei para casa, ele também tinha voltado do colégio, almoçamos sem trocar uma palavra, mas depois do almoço ele ficou na sala assistindo tv, e eu trouxe a revista dele toda emendada com durex, sentei do lado dele e estiquei os braços dando a revista toda emendada, ele olhou e deu risada, e eu pedi desculpa e disse, que acho que não tinha ficado muito legal, que eu dava dinheiro para ele comprar outra, ele riu de novo, e pediu desculpas por ter me xingado e gritado comigo no dia anterior, eu disse que tudo bem, ai ele olhou para baixo e falou: - - Eu não estava bravo com voce...o problema sou eu..voce já.......transou? ...pausa..... respondi:

- Não.....sério, nunca transei com ninguém... ...

- então...o que você estava fazendo?..

Bem ai eu contei a história que acabei de contar a voces, e disse que provavelmente eu não era mais virgem, ele prestou atenção em tudo o que eu disse e olhando para mim respondeu:

-Eu tava bravo por que pensei que voce com 15 anos já tava transando por ai e eu nada (ele é 1 ano e tres meses mais velho que eu)

Eu fiquei meia sem jeito, mas respondi que eu nunca havia dormido com ninguém só com minha amiga, ai começamos a conversar sobre sexo, sobre quem ainda era virgem, quem não era....,

Ai eu disse que para os homens o melhor seria que eles não fossem virgens, e as mulheres seriam melhores se ainda não fossem virgens... rs....ai eu disse: é mas para os homens é facil, voces podem dizer que são ou não são, que ninguem vai saber, mas a mulher da pra perceber na hora que é virgem ou não e ele me surpreendeu dizendo que não sabia a diferença,

Ai tentei explicar, dizendo que tinha uma pelizinha que some depois que acontece alguma coisa, ele ficou super interessado, fazia pergunta, do tipo, onde ficava a pelizinha, como era, se era grosso, cor diferente...rs,

Tentei explicar, mas ele não conseguiu entender, eu ficava tentando explicar, meio com vergonha, e meio que dando muitas risadas, ai ele falou : mostra !!

Fiquei sem reação, ai ele disse: ah vai, mostra ai, qual o problema? eu queria ver um pouquinho, eu juro que não conto nada para a mamãe.

- respondi na lata: só se voce me mostar o seu primeiro eu nunca vi um pintinho também ...

Depois que falei fiquei vermelha de vergonha, sei la o que deu em mim naquela hora, mas ele prontamente puxou a calça de moleton dele para a frente e mostrou o penis dele, estava grande, arregalei os olhos, achei bonitinho...rs,

Nunca tinha visto um, e me segurei para não apertar ele, sei la aquele capacetezinho em cima era bonitinho...rs,

Ai ele falou agora é a sua vez,

Eu me levantei e tirei a calça jeans e a calcinha e fiquei de pé, ai ele pediu para eu ficar que nem no dia anterior que ele me pegou ...

Então eu sentei na outra poltrona e abri bem as pernas, e ele veio e se ajoelhou na minha frente com a cara bem na direção da minha vagina, me perguntou se ele podia colocar a mão, e eu fiz um sim com a cabeça, ele passou os dedos por entre os meus pelinhos, o dedo pelo meu clitóris, e sem nenhum aviso ele caiu de boca em minha vagina,

Com o susto eu dei um grito, mas para falar a verdade eu tive um pouco de saudades de sentir uma boquinha ali...rs, e ao invés de impedi-lo eu segurei a cabeça dele e arqueei meu corpo empurrando minha vagina contra a boca quente dele, ele lambia, sugava, pressionava, que me fazia gemer, ter um homem (nem me passava pela minha cabeça que quem estava ali era meu meio irmão, eu sentia um homem mesmo, e isso era muito bom, e acho que ele pensou a mesma coisa) tanto que gozei pela primeira vez na minha vida só com as lambidas dele, talvez, por que o momento foi tão especial e sem programaçào, não sei, mas a única coisa que poss odizer é que foi uma delicia, foi quando ele enfiou um dedo em mim, e foi vindo com a lingua pela minha barriga, meu umbigo ( outro arrepiozinho) levantou totalmente minha camiseta e começou a chupar meus seios, fiquei arrepiada, ele foi subindo subindo, até nossas bocas se tocarem, nos beijamos, seus braços me envolveram, e senti seu penis na entrada da minha vagina, quando a cabeça entrou me proporcionou uma dorzinha mas nada que me tirasse o prazer do momento, ele escorregou para dentro de mim, com enorme facilidade, talvez pelo fato de eu ter gozado, se movimentou gostoso dentro de mim, e ficou estocando, e como era a primeira vez dele ele gozou logo, mas quando ele ia ejacular, acho que aquela sensação nova assustou ele, e ele tirou as pressas o penis de dentro de mim e ejaculou, nossa aquilo me assustou muito, não imaginava que era assim, a primeira vista pensei que ele tinha feito xixi, e aquela coisa gosmenta e quente atingiu meus seios e barriga, para minha surpresa, ele começou a tremer, e eu o abracei e nos beijamos muito, e brinquei um pouquinho com o penis murchinho dele, ele ficou meio sem jeito, mas então eu desci e chupei ele, que experiência, sentir o gostinho daquele pedaço de carne, depois disso tomei um banho e trouxinha do jeito que eu era fui correndo para a casa da Angela contar o que aconteceu.

A noite transamos de novo, eu me sentia a namorada dele, mas como era proibido, diziamos que eramos amantes um para o outro, e prometemso ser assim o resto da vida, seriamos um só, e eu concordei, transamos em silencio, eu em pé apoiada na beliche e ele atrás estocando suavemente, mas de forma muito gostosa, nessas transas noturnas eu nunca consegui gozar, acho que por causa do medo de ser pega pela mãe que dormia no quarto do lado, mas eram transas tão gostosas, que me dão saudades até hoje,

Bem saudades eu também vou sentir de escrever aqui, não sei se esta é a última, mas mesmo assim, já estou sentindo saudades...rs. Beijinhos para todo mundo e muito obrigada pelo carinho.


 


 

Um comentário:

  1. Sinto muito tesão lendo contos/relatos de incesto. Prefiro aqueles de relações de irmã
    e irmão. É muito gostoso só de pensar que estou
    dando a buceta pro meu irmão.

    Célia.

    ResponderExcluir

Conte sua fantasia